SPFW: “Alguns falam que negro com dreads não é sinônimo de beleza”, diz modelo haitiano

Jean Woolmay Denson Pierre, de 23 anos, cruza pela quinta vez as passarelas da São Paulo Fashion Week. Em conversa com a Marie Claire, ele conta que se achava muito feio para ser modelo
PRISCILLA GEREMIAS

Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)
Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)

O modelo haitiano Jean Woolmay Denson Pierre, tem 23 anos e está pela quinta vez cruzando as passarelas da São Paulo Fashion Week. Em conversa com a Marie Claire, ele conta que se achava muito feio para ser modelo: “Os colegas da escola sempre me falavam que eu era muito escuro. Todo dia tinha uma brincadeira de mau gosto. Um dia pedi para um primo fazer umas fotos minhas, editei as imagens e postei no Facebook. Recebi muitos comentários legais e um fotógrafo do Haiti, chamado Gio, disse que eu tinha potencial e me chamou para fazer um ensaio fotográfico. Foi ai que minha carreira começou, aos 17 anos”, relembra.

No Haiti, o modelo foi coroado Rei do Carnaval e posou para revistas antes de chegar em São Paulo, em março de 2016, chegou a São Paulo no mês de março sem falar uma palavra em português e fazia cursinho para prestar o vestibular para Medicina, mas foi sua carreira como modelo que decolou. Na cidade, seus primeiros trabalhos foram com grandes marcas, como Nike, Lacoste, Fila e LAB Fantasma, dos irmãos Emicida e Fióti. “Daí decolou minha carreira de modelo internacional”, conta Jean.

O primeiro desfile do modelo no SPFW foi para a À LA GARÇONNE de Alexandre Herchcovitch e Fábio Souza. “Foi incrível, estava sem palavras, me lembro que agradeci muito a eles por essa oportunidade de deixar um haitiano desfilar no SPFW”.

Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)
Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)

O sucesso não livrou Jean de sofrer racismo e xenofobia. “Todo dia… Já perdi jobs por causa do meu cabelo, têm marcas que falam que negro com dreads não é sinônimo de beleza e que se eu quiser fazer o trabalho tenho que cortar meu cabelo. Eu gosto do meu cabelo e não vou cortar porque uma empresa não o quer. Sempre vai ter outra marca que vai me aceitar do jeito que eu sou. Também tem desfile que eu não pego porque sou ‘diferente’, fora do padrão, não sou como os outros modelos. É triste, mas essa é a realidade na moda daqui. Já cheguei em trabalho que não tinha maquiagem para minha cor. Ainda é fraca a participação de pessoas negras na passarela, na TV e nos comerciais. Precisaria ter mais, porque isso ajuda as crianças negras a acreditarem nelas, que elas podem chega no topo também e cria autoestima”, diz.

Jean, além de modelo, faz faculdade de Química. “Estou no quinto semestre. Às vezes é difícil conciliar, chego atrasado por causa dos jobs, nem todos os professores entendem. Mas eu gosto de estudar, não dá pra ficar só modelando e pagando de famoso na internet. Coloquei uma coisa na minha cabeça: não vou ficar jovem pra sempre”.

Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)
Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)

Vinda para o Brasil
Muito antes de chegar a semana de moda da capital paulista, o modelo, que nasceu em Porto Príncipe, no Haiti, teve que enfrentar um terremoto em seu país que fez com que sua família se separasse por um tempo.

Quando o terremoto devastou o país, em 2010, a família de Jean mantinha um mercadinho em Porto Príncipe. “Perdemos muita mercadoria. Lembro de sentir o tremor, de ver árvores e casas caídas, pessoas machucadas, todo mundo correndo. Passamos um mês dormindo em cabanas porque não podíamos voltar para casa”, disse o modelo assim que chegou em São Paulo em entrevista ao G1.

Seu pai, Jean Wilder Pierre, morou nas Bahamas, em algumas ilhas do Caribe e nos Estados Unidos para trabalhar como chef de cozinha e sustentar a família de classe média no Haiti. Ele passou oito anos nos Estados Unidos, destes, cinco, com a esposa. Neste período, o modelo e o irmão cinco anos mais novo, Jean Jaime, ficaram no Haiti, sob os cuidados da avó. Em 2012, seu pai resolveu vir para o Brasil, no Paraná, depois que um amigo o ajudou a conseguir o visto.

Foram quatro anos no Brasil até o pai do modelo trazer toda a família que foi morar em Joinville (PR), mas Jean resolveu se mudar para São Paulo para fazer cursinho e continuar a carreira de modelo, contrariando a vontade do pai.

Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)
Jean Woolmay Denson Pierre (Foto: Reprodução/ Instagram)
Anúncios

Os melhores perfumes masculinos para este outono

A temperatura cai, mas os aromas quentes e amadeirados aquecem as novidades na perfumaria para homens
POR GLAUCO JUNQUEIRA

As fragrâncias masculinas para o outono levam madeira, especiarias e pimenta (Foto: Divulgação/Polo)

Já dizia Carolina Herrera de Baez que o perfume é uma expressão invisível do eu. Assim como nós mudamos, seja de humor, de opinião, ou de expressão, o perfume também deve variar com a mudança das estações.

Enquanto os aromas da primavera e do verão são mais frescos, cítricos e frutados, as temperaturas amenas do outono pedem aromas mais quentes e vibrantes. Especiarias, madeira, couro são alguns dos elementos que deixam as fragrâncias mais marcantes e sensuais nesta estação do ano.

Conheça os perfumes ideais para usar neste outono:

1 – Polo Red Rush, Ralph Lauren, R$ 379 (75 ml)

Polo Red Rush, Ralph Lauren, R$ 379 (75 ml). (Foto: Divulgação)

Para um homem moderno e de atitude. A grande novidade da perfumaria em 2019 tem tudo para ser uma referência unânime para os homes. Esse lançamento da Ralph Lauren é uma explosão de adrenalina e energia. Com uma intrigante e contrastante combinação de notas, traz a mandarina vermelha, a menta fresca, o café vermelho e o cedro na sua composição. É uma fragrância intensa e energética, refinada e masculina, que traz o ator e DJ Ansel Elgort – que estreou sucessos como “A Culpa é das Estrelas” e “Baby Driver” – como o rosto da campanha.

Disponível para pré-venda exclusiva nas Lojas Renner a partir de abril, e em junho, chega ao Brasil nos demais pontos de venda.

2 – Sauvage, Dior, R$ 565 (100 ml)

Savage, Dior, R$ 565 (100 ml). (Foto: Divulgação)

Âmbar, bergamota, pimenta, e o acorde da baunilha absoluta dão o tom para essa fragrância criada por François Demachy, o perfumista-criador da Dior, que inspirou-se no deserto, na hora mágica do crepúsculo. Esse novo e misterioso eau de parfum acrescenta uma intensidade original ao Sauvage. Noturno, o homem Sauvage é confiante e elegante, mas também arisco, “selvagem”. O perfume é equilibrado e não “compete” com quem o usa, mas sim enaltece-o.

3 – Malbec Magnetic, O Boticário, R$ 169,90 (100 ml)

Malbec Magnetic, O Boticário, R$ 169,90 (100 ml). (Foto: Divulgação)

Aprofundando a sofisticação de Malbec, a linha Magnetic traz uma fragrância que desperta uma atração forte e inexplicável. A Colônia Malbec Magnetic é a expressão olfativa do magnetismo, atraente e viciante. Tem um acorde que traz notas da terra rica em minerais e o frutal da uva branca da Alsácia que, combinados com as madeiras de Malbec, revelam uma fragrância intrigante e extremamente sedutora.

4 – 212 VIP Body Spray, Carolina Herrera, R$ 159 (250 ml)

212 VIP Body Spray, Carolina Herrera, R$ 159 (250 ml). (Foto: Divulgação)

Carolina Herrera expandiu a coleção 212 VIP, reformulando quatro de seus perfumes na forma de sprays corporais. A novidade, em formato nostálgico do aerossol, oferece uma expressão perfumada e portátil de liberdade e ousadia.

Essa coleção eleva ainda mais a experiência de aplicar um perfume da cabeça aos pés, literalmente, com um nível mais sutil da fragrância em comparação com os perfumes originais. Usado sozinho, cada spray corporal se dissipa levemente na pele e no cabelo; quando mergulhado sobre um perfume de 212 VIP, juntos abrem um novo capítulo para um acabamento mais duradouro.

Águas de março: os novos perfumes sem gênero da Louis Vuitton

A linha ‘Les Colognes’ é uma aposta da marca em fragrâncias sem definição de gênero
POR GLAUCO JUNQUEIRA

Os três aromas da ‘Les Colognes’, da Louis Vuitton (Foto: Divulgação)

A tendência genderless, ou sem gênero, transcendeu a moda e chegou também à perfumaria. Agora, é a vez da maison francesa Louis Vuitton dar mais um passo em direção à não distinção de gênero e anunciar o lançamento de uma série de fragrâncias unissex que “capturam o espírito da Califórnia”.

Chama-se “Les Colognes” e contempla três aromas distintos, que remetem ao verão californiano: Sun Song, Cactus Garden e Afternoon Swim, todos de 100 ml.

Cavalier Belletrud é o mestre perfumista que assina as fragrâncias – mesmo criador de Acqua di Giò, da Armani – e descreve as essências como “leves e sofisticadas”. Os aromas são essencialmente cítricos, com notas frescas e vibrantes, que variam entre limão, laranja, bergamota, gengibre e erva mate.

As cases desenhadas pelo artista Alex Israel (Foto: Divulgação)

A grife francesa convocou, ainda, o artista californiano Alex Israel, para “dar cor” às cases que abrigam os frascos.

Vale lembrar que marcas como Dior (Collection Privée), Chanel (Les Exclusifs) e Tom Ford (Private Blend) já apostam em coleções unissex e têm muito êxito com o feito.

Les Colognes deve estar disponível a partir de 4 de abril em todas as flagships da marca e online, pelo valor de € 210 cada (aproximadamente R$ 900). Vai encarar?

Buquê na barba? Noivos lançam tendência nas redes sociais

Noivos de todo o planeta estão aderindo ao adereço divertido
Por Ana Carolina Castro

(Instagram/Reprodução)

Se você ainda não se deparou com os chamados “buquês na barba”, prepare-se para vê-los em breve, pois esse adereço exótico tem conquistado noivos de todo mundo. O motivo? A barba decorada com flores rende cliques divertidos e serve como uma alternativa masculina para o buquê.

A maioria dos noivos investem no adereço inusitado para surpreender no ensaio de fotos pré-casamento. Outra alternativa é decorar a barba no dia do casamento com as mesmas espécies de flores utilizadas no buquê da noiva.

Apesar de exóticas, as barbas decoradas já despontam como tendência da temporada entre os noivos adeptos do estilo boho chic. O que vocês acham da ideia?

A sensação desse verão são os chapéus de palha

Peça símbolo dos surfistas ganhou as praias do país
Por Eduardo Vilas Bôas

Divulgação: PROJECT SPORTS

Todo verão tem seus hits e o deste já está bem claro: são os chapéus de palha.

Apesar de serem peças unissex, o maior uso nas praias do litoral sudeste tem sido feito pelos homens. Esse acessório traz uma gracinha a mais ao visual, garantindo fotos estilosas e cheias de bossa para as redes sociais (para quem se importa com isso, claro!), mas, o seu principal atributo é garantir conforto e maior proteção solar ao usuário.

Vale destacar que este não é um produto novo – e nenhuma invenção para o Verão 2019. Esses chapéus já eram tradicionalmente usados pelos surfistas (na Ilha da Magia, em Florianópolis já é um símbolo) e, uma vez que a pratica esportiva ganhou maior visibilidade com a premiação do segundo título da Liga Mundial de Surfe (WSL) para o brasileiro Gabriel Medina, em dezembro de 2018, várias imagens do pessoal usando o acessório circularam pela web.

Interessou? Várias marcas já estão comercializando a peça, mas alerto que nem todas as lojinhas de praia já tem o produto à venda. Por isso, se vai para um destino litorâneo nos próximos dias é melhor garantir e levar o seu de casa.

Alguns modelos são bem equipados: têm estampa na aba interna, dupla camada de palha para dar maior proteção anti-UV e até bolsinhos secretos para guardar documento e dinheiro. Veja abaixo alguns selecionados.

Retreat, o novo conceito da moda de saúde e de bem-estar que está conquistando o mundo

Conheça um refúgio, em pleno Alentejo, onde cuidar do corpo e da mente é uma prioridade
Por Glauco Junqueira

Os ‘Retreats’, ou retiros são o novo conceito de saúde e bem-estar (Foto: Divulgação)

E aí, beleza?

O último post de 2018 não poderia ser mais especial que este! É uma sugestão de um novo tipo de cuidado com a saúde e com o bem-estar, que alia turismo, gastronomia, um spa exuberante e experiências únicas.

Foi-se o tempo em que os destinos de luxo eram sinônimos de hotéis de altíssimo padrão – hotéis  que proporcionavam apenas a fórmula “básica” composta por spas renomados, quartos modernos e superequipados, boa cama e boa mesa. Agora, surge um novo conceito de bem-estar: os “Retreats”, ou, simplesmente, retiros.

Uma das ‘Villas’ do Sublime Comporta, com lareira, piscina privada e decks de madeira (Foto: Divulgação)

Esqueça Indonésia, Tailândia ou qualquer outra ilha do Oceano Índico ou Pacífico. Estamos falando de um dos destinos mais badalados, não apenas de Portugal, mas do mundo. A Comporta virou definitivamente um balneário da moda. Não só pela extensa lista de frequentadores famosos (Christian Louboutin, Madonna, Maria Sharapova, Marina Ruy Barbosa, Harrison Ford); principalmente pela beleza selvagem e ímpar da região. Por isso mesmo, esse destino incrível deve entrar na sua wish list para 2019! Vamos a ele.

Lagoas secretas, dunas selvagens, arrozais extensos e quilômetros de praias de areia dourada da costa atlântica fazem parte desse cenário paradisíaco. O charme das vilas de pescadores, a deliciosa e confortante gastronomia alentejana, os vinhos e os inúmeros alojamentos locais fizeram da Comporta um must go.

Todavia, um hotel, em específico, chama a atenção por seu conceito único, rústico e que ganhou fama mundial. Começou por ser apenas uma casa de férias, transitou para um turismo rural de 14 quartos e está agora entre os lugares mais desejados do mundo.

O novo luxo é a simplicidade e serve de pano de fundo para esse hotel de charme (Foto: Divulgação)

A Comporta está para Portugal assim como Trancoso ou Fernando de Noronha estão para o Brasil: um misto de praia, campo, montanha, resorts ou pequenos hotéis hippie chics. Um verdadeiro convite a um retiro no meio do verde, no meio do nada.

Sublime no nome, invejável no conceito: o novo luxo é a simplicidade e serve de pano de fundo para esse hotel de charme, onde se respira calma. É, em pleno Alentejo, onde outrora havia praias selvagens e completamente desconhecidas do grande público, que surge esse empreendimento hoteleiro despojado, autêntico nos detalhes e totalmente integrado com a natureza.

A madeira é uma constante no design da propriedade (Foto: Divulgação)

No Sublime Comporta, a experiência hoteleira substitui o luxo habitual pela simplicidade do bem-estar de quem lá se hospeda, do ‘pé na areia’ e do convívio com o belo e o estético – sem qualquer ostentação. Lá, o luxo é sinônimo de qualidade, de atenção aos detalhes, de bem servir e de atender às necessidades do viajante com requinte e simplicidade, ao mesmo tempo. Pode parecer confuso ou mesmo contraditório; todavia, só quem lá esteve entenderá essas referências tão antagônicas.

Os quartos, as suítes e as novas Vilas ao estilo “Cabanas” da Comporta dividem-se entre vários edifícios, garantindo intimidade ao hotel. Ao todo, são 81 quartos; as Vilas, cada uma com tipologia diferente (com 2, 3, 4 e 5 quartos) incluem, todas, lareira exterior/interior ou suspensa, pavimento aquecido, uma piscina particular, vários decks e até 7.000m2 de área própria, ao ar livre. Todas as configurações contam com o serviço do hotel.

Inaugurado em 2014, o Sublime Comporta fica a aproximadamente uma hora de carro de Lisboa. Esse hotel charmoso fica num terreno de 17 hectares, no meio de um pinhal, onde a calmaria é uma constante – no melhor estilo de vida tranquila alentejana – e anda de mãos dadas com a privacidade dos hóspedes. Respira-se serenidade e confronta-se com um genuíno ambiente de conforto absoluto.

Nasceu da paixão de Gonçalo Pessoa, um piloto da TAP, apaixonado por aquela região, e de sua mulher, Patrícia Pessoa. Não imaginavam esse boom da Comporta, mas decidiram apostar na hotelaria que, mais tarde, tomou conta da casa de veraneio do casal.

Lareira e piscina exterior do Sublime Comporta (Foto: Divulgação)

É possível desfrutar do hotel tanto no verão quanto no inverno: se para os dias de calor a bela piscina exterior (inspirada nos antigos tanques de arroz da região) é um convite indecente para um mergulho revigorante, nos dias frios, a piscina interior aquecida do Spa recém-renovado (sobretudo quanto a menu e tratamentos) é o chamariz para relaxar e esquecer-se do tempo.

O restaurante principal do hotel, o ‘Sem Porta’, do Chef Tiago Santos. A cozinha inspira-se nas receitas tradicionais portuguesas (Foto: Divulgação)

Tudo no Sublime está em perfeita sintonia com a natureza. Sua decoração rústica e despretensiosa, na qual a madeira reina soberana, representa a fusão perfeita entre a beleza do ambiente natural e a simplicidade arquitetônica. O restaurante principal do hotel, chamado ‘Sem Porta’, foi desenhado pelo famoso arquiteto Miguel Câncio Martins (Buddha Bar, Man Ray entre outros) e por José Alberto Charrua. A arquitetura encontra a sua inspiração nos antigos celeiros da região. A cozinha inspira-se nas receitas tradicionais portuguesas, com enfoque na região: a apresentação de cada prato surpreende pela elegância. O Chef Tiago Santosutiliza produtos regionais, trabalhando com pescadores e adegas locais, dando prioridade aos produtos frescos e, sempre que possível, orgânicos.

A herdade conta ainda com o ‘Com Brasa’, restaurante sazonal onde a grelha é a estrela. Também especial é o ‘Food Circle’, localizado no meio do jardim biológico do hotel, onde há lugar apenas para 12 pessoas que queiram viver uma experiência gastronômica única, cozinhando com produtos frescos e biológicos, ao lado do chef.

O Sublime Spa, com piscina interior aquecida, sauna seca e a vapor, além de uma academia (Foto: Divulgação)

O Spa é estrela do hotel e surpreende por sua calma e sua simplicidade. Oferece uma ampla variedade de tratamentos personalizados a cada cliente: inclui 3 salas de tratamento (uma para casais), sauna seca e a vapor, piscina interior aquecida e uma academia. As terapeutas falam com cada indivíduo de forma a selecionar o melhor tratamento, utilizando produtos 100% biológicos da marca Amala, além de ervas aromáticas do jardim orgânico para as infusões.

O Spa inclui 3 salas de tratamento, com produtos 100% orgânicos da marca Amala (Foto: Divulgação)

Este tipo de turismo, de oferecer experiências inesquecíveis aos hóspedes, de oferecer qualidade e bem-estar, e não quantidade, de ser de fato um ‘retiro’ – quase que espiritual –, venceu.

Fica a sensação de sossego, de estar longe de tudo – e perto, ao mesmo tempo –, de uma total e instintiva sensação de isolamento e de ‘mundo à parte’. E, quando se fala em ‘sublime’, fica fácil entender que os vários sinônimos da palavra são incontestavelmente aplicáveis a esse hotel, bem como todos os adjetivos desse texto.