Dezembro chegou e, com ele, o planejamento para arrumar a casa

POR ANELISA LOPES

Dezembro chegou e, com ele a sensação de “não consegui fazer metade das tarefas que precisava”. A bem da verdade é que o ano passou rapidamente e foi extremamente intenso, deixando a ideia de muito a concretizar e pouco tempo a realizar. Mas não desanime. Se não vai dar tempo de colocar a mão na massa em 2019, ao menos, um planejamento com menos cobrança e mais tranquilidade para colocar a casa em ordem não leva mais que meia hora para ser rabiscado. 

Na ordem de prioridades, inicie pelo reparos estruturais. Eles não precisam incluir necessariamente a derrubada de paredes, mas podem começar pela troca de lâmpadas queimadas, encanamento com vazamentos, infiltrações ou rachaduras. No dia a dia, não nos damos conta do quanto estas pequenas coisas podem nos atrapalhar ou atrasar nossa rotina. 

Depois dos reparos básicos feitos, chegou a hora de considerar pintura, papel de parede, troca de revestimento ou piso. Os dois exigem um pouco mais de paciência, pois necessitam de medição, escolha e faxina depois da realização. Mas a partir desse ponto, sua casa já ganha cara nova e com pouco investimento financeiro. 

Em terceiro lugar vem a marcenaria planejada ou algum novo mobiliário como cama, sofá, mesa ou cômoda. Importante considerar neste ponto algo que exerça uma funcionalidade específica, como, por exemplo, uma sapateira para organizar melhor os sapatos ou um gabinete para o banheiro que ainda não foi pensado desde a mudança para a casa nova.

Por último, a decoração que, para muitos, é considerada,  erroneamente, o primeiro passo. Afinal, como escolher um vaso para a cômoda que não existe ou um quadro para a parede que está infiltrada? Na certa, não vai gerar o resultado esperado e ainda deixará o dono frustrado. Não tenha pressa, afinal, você tem mais 12 meses pela frente! (Anelisa Lopes  @anelisalopes)

Décor do dia: cozinha moderna em prédio do século 19

Tom de verde renova ambiente em edifício histórico em Londres
FOTO GENEVIEVE LUTKIN

Esta cozinha moderna em tons de verde sálvia faz parte de um prédio histórico construído em 1884 no estilo renascentista francês. O edifício, que serviu como QG do serviço secreto britânico durante a Segunda Guerra Mundial na região de Westminster, em Londres, não teve a estrutura alterada. Por isso, o objetivo do projeto assinado pelo escritório Sella Concept era criar uma proposta de interiores contemporânea sem tocar nas paredes, nos pisos ou no teto.

Em vez de mudanças estruturais, o escritório focou no uso inteligente de cores e materiais para determinar a estética moderna, preservando elementos como as cornijas e os frisos. Repare no forro todo trabalhado decorado com uma luminária pendente que exala o perfume de épocas passadas. Ao fundo, enquanto a marcenaria minimalista funciona como área de armazenamento para utensílios e acessórios de cozinha, prateleiras metalizadas propõem um interessante contraste estético.

Apê modernista em SP tem décor descolado e objetos vintage

Inspire-se na casa supercool da designer Patricia Giufrida
GABRIELA BONOMI

Patrícia veste Louis Vuitton em todas as fotos (Foto: Ricardo Bassetti)

Há pouca coisa que uma alma millennial não seja capaz de fazer. A designer Patrícia Giufrida, por exemplo, conseguiu a façanha de transformar em um doce lar de casal a república que o hoje noivo, Andrés Piza, morava com amigos. Com 260 m², o apê modernista fica no bairro paulistano de Higienópolis e reflete o bom gosto descolex de Pat, que tem 28 anos e é fundadora da marca de sapatos ultracool Pége. “O Dé se mudou para cá em 2009 e sublocou todos os três quartos. Teve época em que chegaram a morar seis pessoas aqui.” Pat foi uma delas. “Foi em 2012 que começamos a namorar e eu, a morar aqui. Fui chegando, ficando, trazendo cada hora uma coisinha… Foram quatro anos vivendo com o boy no formato república, até a galera sair de vez”, lembra. O “enfim sós” rolou em 2016.

Um áquario de vidro acomoda os sapatos das visitas no hall. (Foto: Ricardo Bassetti)

Quer dizer, não tão sós, já que Niko, o cachorro do casal, também é morador do apartamento (que Pat prefere chamar de casa) do primeiro andar de um edifício dos anos 50. Aí a designer arregaçou as mangas, tirou os sapatos (é regra da casa deixar os calçados no hall e entrar descalço) e #partiu upgrade! “Foi zero quebradeira, mas muito garimpo. Amo passear nas feirinhas de antiguidades daqui da cidade, tipo a da Praça Benedito Calixto”, conta, servindo um café passado na hora para a equipe da Glamour em xícaras garimpadas. Outro destaque do décor são as plantas – todas adquiridas na feira da madrugada do Ceagesp.

“Acho uma ótima saída para renovar o astral do lar e sem gastar muito.” Como boa millennial, de alma e cabeça inquietas, Pat tem olhos de lince para encontrar achados em antiquários, lojas de design, revistas… Se não os pode comprar, dá um jeitinho. “O sofá amarelo da sala de música eu mandei fazer. Ele foi inspirado no modelo Togo, do designer francês Michel Ducaroy, o primeiro sofá invertebrado feito só com espuma. Como não existe no Brasil, fui atrás de alguém que fizesse a réplica. Agora, é o lugar mais disputado da casa.”

Destaque para o banquinho que ganhou nome de “Leôncia”. (Foto: Ricardo Bassetti)

O gigatapete branco (veja na página ao lado) veio na mala de uma viagem do casal a Marrocos. É sobre ele, no chão, aliás, que os dois curtem ouvir os discos de vinil que colecionam. “E, quando convidamos a turma, todos sabem que só entram vinho branco e cerveja aqui. Nada de tinto, para não manchar nosso tapete xodó”, brinca.

Entre os garimpos mil de Pat, valem menção ainda às cadeiras da sala de jantar, arrematadas em um “Família Vende Tudo”, os quadros que enfeitam boa parte das paredes – alguns trazidos de fora, outros feitos pela própria moradora, assim como as instalações, digamos assim, tipo a de bolsinhas da foto acima. “Não faltam papel de arroz, pincéis e nanquim em casa. Quero me dedicar cada vez mais à pintura e criar um espaço exclusivo para isso. Acho que uma reforma pode vir a acontecer em breve por aqui.” Geminiana mesmo, Pat. Sim ou com certeza?

A sala de estar é a alma da casa, já que as festinhas rolam sobre o tapete trazido de Marrocos (Foto: Ricardo Bassetti)
“Quero me dedicar cada vez mais à pintura”, diz Pat, que assina algumas das obras que ficam nas paredes da casa (Foto: Ricardo Bassetti)

Décor do mundo

Misturinhas finas e ideias para inspirar e deixar sua casa cheia de refs., como a de Patrícia:

1. Banco, R$ 719, e 2. Tapete, R$ 379, ambos Westwing. 3. Cesto, R$ 109, TokStok. 4. Rolhas de vinho, R$ 180, Desmobilia. 5. Fotografia por Helm Silva, R$ 479, Fort Gallery (Foto: divulgação)

45 m² com marcenaria planejada e soluções surpreendentes

Apartamento em Hong Kong, na China, dá lições de como viver bem em pouco espaço
TEXTO MARIA CLARA VIEIRA | FOTOS DIVULGAÇÃO

Jovens e muito ocupados, os proprietários deste apartamento em Hong Kong, na China, queriam um lar prático e confortável em apenas 45 m². Para alcançar este objetivo, a marcenaria panejada nos mínimos detalhes criou ambientes aconchegantes e clean ao mesmo tempo – com espaço de sobra para armazenagem. O projeto é assinado por Patrick Lam, do escritório Sim-Plex Design Studio. No living, o piso elevado e a estante da TV criam um efeito de continuidade que camufla equipamentos eletrônicos e outros móveis. Repare, por exemplo, na mesa que se eleva e se retrai de acordo com a necessidade dos moradores – ela serve de apoio para refeições rápidas, para trabalho ou até para brincadeiras com o filho do casal.

Décor do dia: sala de jantar monocromática rica em texturas

Luminária de latão e cadeiras de modelos diferentes compõem ambiente minimalista
FOTO TOM FERGUSON

Monocromática, porém rica em texturas. Esta sala de jantar projetada pelo escritório Alexander & CO combina artisticamente a nostalgia e a estética contemporânea. Enquanto o minimalismo é equilibrado pelo foco nos detalhes artesanais, a paleta de cores suaves é complementada por superfícies naturais – repare no revestimento das cadeiras e nos objetos de cerâmica posicionados sobre o piso e também sobre a mesa de madeira natural.

O ambiente, que faz parte de uma residência histórica de dois andares em Sidney, tem teto branco com tábuas de madeira polida e detalhes de latão, a exemplo da luminária sobre a mesa. Ao redor dela, cadeiras de estilos diferentes compõem o cenário. Tais elementos evocam uma elegância atemporal que reflete ao mesmo tempo a herança vitoriana da casa e o estilo de vida contemporâneo dos moradores.

Décor do dia: móveis vintage no home office

Espaço de trabalho tira partido de janela ampla e aproveita entrada de luz natural
FOTO MIKHAIL LOSKUTOV

Trabalhar em casa tem suas vantagens. Além de poder fazer os próprios horários, é possível criar um espaço de trabalho agradável e que tenha a sua cara. Este home office projetado pela arquiteta e designer de interiores Iya Turabelidze, por exemplo, tira partido da janela ampla e aproveita a entrada de luz natural – algo raro nos ambientes corporativos.

A profissional optou por preservar a arquitetura histórica típica dos edifícios de Kiev ao renovar os interiores da antiga residência, caracterizada pelo piso de taco e teto com pé-direito duplo. O escritório recebeu escrivaninha e cadeira vintage, ambas de madeira, além de luminária articulada e uma obra de arte na parede. Sobre a mesa, um delicado arranjo floral traz um toque fresh. Já o espaço próximo à janela foi usado para acomodar alguns livros – uma solução simples que mantém as obras sempre à mão.

Um tour pelo novo espaço de coworking da Mindspace em Londres

A Mindspace, uma plataforma de coworking que fornece soluções elegantes de espaço de trabalho para startups, freelancers e empreendedores, abriu recentemente um novo espaço de coworking em Londres, Inglaterra, projetado pelo escritório de arquitetura John Robertson Architects.

mindspace-shoreditch-office-2
Communal space

Com 44.123 pés quadrados em dois andares, o Mindspace Shoreditch incorpora áreas informais para reuniões, lounges, secretárias, cozinhas, escritórios particulares e cabines telefônicas. A JRA colaborou estreitamente com a Mindspace para criar um design que fosse fiel ao seu estilo exclusivo de hospitalidade boutique, além de fornecer um espaço que refletisse o estilo de ponta e a vibração da área de East London.

O espaço do escritório apresenta murais de parede divertidos e uma variedade de móveis e obras de arte cuidadosamente selecionados, combinados para proporcionar um ambiente de trabalho envolvente e estimulante. A JRA foi responsável pelo conceito e pelo design desenvolvido, bem como pelos documentos finais de planejamento e pelo pacote de marcenaria.

A prática foi capaz de realizar o projeto em um prazo apertado, devido ao seu profundo conhecimento da marca Mindspace. O edifício oferece um ambiente elegante e comunitário para empresas de diferentes tamanhos e setores ”, disse John Robertson Architects.

mindspace-shoreditch-office-1
Reception
mindspace-shoreditch-office-4
Communal space
mindspace-shoreditch-office-5
Lounge zone
mindspace-shoreditch-office-7
Communal space
mindspace-shoreditch-office-14
Communal space
mindspace-shoreditch-office-8
Breakout space
mindspace-shoreditch-office-9
Breakout space
mindspace-shoreditch-office-12
Communal space
Meeting
Caferoom
mindspace-shoreditch-office-15
Meeting pod
mindspace-shoreditch-office-10
Phone booths
mindspace-shoreditch-office-11
Phone booths
mindspace-shoreditch-office-6
Phone booth