Décor do dia: coral e azul no banheiro

Elementos geométricos atualizam o espaço
Por Paula Jacob I Foto Pinterest

Já mostramos como usar o Living Coral na sala de estar e porque a Pantone elegeu a tonalidade como a cor do ano de 2019. Porém, uma combinação certeira para apostar na tendência é aplicá-la combinando com o azul. Caso deste banheiro do Hotel des Grands Boulevards, na França, que ainda usou os tons acinzentados para complementar o espaço acolhedor. O coral aparece no ladrilho delicado do piso e nos detalhes das luminárias redondas. Como uma parede bicolor, o outro revestimento preenche parte da parede onde está a pia e os espelhos em arcos, outra forma em alta nos interiores. O quê vintage, que lembra a estética inconfundível de Wes Anderson, faz parte de um dos itens essenciais da casa dos millennials: a nostalgia visual.

Anúncios

Décor do dia: tons terrosos e parede bicolor na sala

Cantinho do estar é decorado com cerâmicas coloridas e quadro floral
Por Paula Jacob I Foto Divulgação

Que tal investir em duas tendências de pintura em um ambiente só? Esta sala de estar mostra como usar paredes bicolores de um jeito elegante, usando um terracota na parte de baixo, contrastando com o off white da parte de cima e da janela. As texturas também estão presentes: a madeira antiga do piso e da luminária são o contraponto ideal para as superfícies das diversas cerâmicas coloridas. O toque final fica com o quadro vintage com estampa floral.

Décor do dia: preto e branco no quarto infantil

Combinações clássicas em objetos irreverentes tiram a decoração do lugar comum
Por Paula Jacob I Foto Pinterest

A decoração lúdica é a pedida certa para os quartos infantis, sem a necessidade de se ater à algum tema específico, muito menos à cores extravagantes. Este quarto mostra como aliar as formas e referência da infância com uma paleta de cor mais sóbria e minimalista. A cama preta em formato de carrinho está posicionada longe das paredes, permitindo maior circulação da criança no próprio quarto. Ao redor dela, diversos objetos de texturas variadas proporcionam conforto e acolhimento. A estrutura de madeira, que lembra uma porta de fazenda, guarda brinquedos e livros; e, junto com a luminária all white, que parece ter saído de um set de gravação, trazem certa personalidade para a decoração.

Escritório do fotógrafo Kiolo tem décor cosmopolita e mix de materiais

Com apenas 30 m², o novo local de trabalho tem espaço para a equipe, sala de reuniões privada, lounge e copa
Por Mariana Conte I fotos Mariana Orsi

Kiolo em seu novo escritório em Salvador, Bahia

Se você acompanha o site da Casa Vogue, provavelmente já viu um clique de Lucas Ferraz em algum dos projetos publicados por lá. Conhecido como Kiolo, o fotógrafo baiano tem se destacado no cenário da fotografia contemporânea. Tendo cada vez mais trabalhos e clientes, precisou transferir seu antigo escritório, que ficava em casa, para um local mais profissional, sem perder a atmosfera aconchegante, onde ele pudesse receber as pessoas com conforto.

O projeto do novo espaço de trabalho, que fica em Salvador, Bahia, – onde Kiolo mora –, tem assinatura do escritório GAM ARQUITETOS. Os profissionais precisaram otimizar os 30 m² e criaram, logo na entrada, um lounge de recepção com copa e mesa de produção da equipe.

Aos fundos, uma sala mais reservada permite que Kiolo trabalhe com privacidade, receba clientes e faça reuniões. Este ambiente foi todo pintado de azul, criando uma espécie de caixa que também serve para disfarçar um armário que funciona como depósito de materiais de limpeza. Na mesma marcenaria, nichos abriram espaço para um bar e objetos decorativos.

Essa área é isolada por meio de portas de correr de vidro com um truque muito interessante: divididos em três partes, os vidros inferiores e superiores são incolores, para ajudar na sensação de continuidade; no meio, uma opção canelada garante a privacidade.

Como a copa fica exposta, os arquitetos também projetaram uma estante de vergalhões e madeira e preencheram o móvel com livros e objetos de coleções do fotógrafo – uma das premissas do projeto era que o estilo de vida ligado à arte e às viagens estivesse presente na decoração cosmopolita do espaço.

Além de peças desenhadas pelo próprio escritório, como a estante da copa e a mesa da sala íntima com estrutura em aço pintado de preto e tampo em mármore Nero Marquina, há peças assinadas como o banco da entrada e cadeiras caramelo do designer Gustavo Bittencourt.

O lavabo é todo revestido de cimento queimado cinza. As louças e metais pretos e a cuba esculpida em granito preto serrado compõem o ambiente com harmonia e estilo.

Décor do dia: sala de estar com teto colorido

Cores neutras formam composição elegante e fora do comum
Por Paula Jacob I Fotos Ferm Living/ Divulgação

Tetos coloridos são uma aposta de interiores que proporciona um efeito incrível para a decoração dos cômodos. Esta sala de estar, por exemplo, decorada pela Ferm Living, mostra como aplicar uma tonalidade escura e terrosa no teto (incluindo a estrutura da luminária pendente), sem deixar o espaço pesado. Isso porque, na composição, predominam cores neutras, como tons de cinza, verde e azul. A parede cinza clara e o piso de madeira também garantem esse refresco visual. Os vasos de plantas atualizam o décor.

Esta casa toda branca é um exemplo de como texturas importam na decoração

Combinado a tons neutros e toques de dourado, o branco ganha formas, texturas e atmosfera sofisticada nesta casa nos Estados Unidos
Texto Carol Scolforo I Fotos Alyssa Rosenheck/ Divulgação

Branco total assusta ou atrai? Bem, a resposta pode ser surpreendente se depender de texturas e equilíbrio de formas, como as desta casa. O projeto da decoradora Jennifer Wagner Schmidt, baseada na Virgínia, nos Estados Unidos, impressiona pelo branco em todas as escolhas.

Toques de fibras naturais e madeira clara são os leves contrapontos que elevam o visual com equilíbrio. Há ainda o dourado surgindo em detalhes. O upgrade ao mix é imediato.

O verde de plantas é outro segredo que leva alto astral aos ambientes. Caso contrário, o branco total poderia se tornar sem vida.

As texturas também tiram qualquer monotonia. Um dos cantos da sala de estar as reúne em quadros de tramas, nichos com vasos na parede e aparador em tom de bege. Um jeito elegante e nada óbvio de exaltar o branco em clima contemporâneo.

Apartamento integrado de 40 m² ousa nos tons escuros

Preto e cinza são a base do décor da morada que possui soluções criativas de marcenaria para espaços pequenos
Texto: Vanessa D’Amaro I Fotos: Alain Brugier I Produção: Deborah Apsan

Há quem acredite que a grande máxima para decorar apartamento pequenos seja fugir de tons escuros, mas para o arquiteto Rogério Shinagawa é necessário uma certa transgressão para criar. Com apenas 40 m², os tons escuros chamam a atenção neste endereço paulistano. “O morador não queria nada claro e colorido, por isso foi sugerido o concreto e o preto como cor base”, explica. Valeu-se, portanto, de uma regra da moda: se a meta é elegância, cubra tudo de preto.

O principal trunfo do projeto, de acordo com o arquiteto, é a estante metálica, que organiza a área social. É nela em que são encaixados os volumes de marcenaria  (armários, nichos, mesa de refeições e painel da televisão), a bancada em Corian (cozinha com pia, cooktop e forno) e as portas (acesso ao banheiro e ao quarto).

Repare que a mesa de refeições pode ser aberta e, em seguida, encaixada na estante, aumentando a circulação e espaço na sala. Já o canto de estudo integra-se com a sala através de painéis camarão. Para complementar o guarda-roupa, foram criados nichos extras acima da mesa e gavetões embutidos na cama. Na varanda, por sua vez, biombos pivotantes com jardim vertical garantem a privacidade do morador.

No décor, os móveis e objetos são todos de designers nacionais e conferem cor e textura para os espaços. A iluminação é indireta com arandelas e fitas de led embutidas na marcenaria. “As paredes, piso e teto receberam cimento queimado na mesma cor para reduzir o efeito de limite entre eles, dando a sensação que o espaço é mais amplo”, afirma Rogério. Tanto a estrutura de aço quanto toda marcenaria foi feita na cor preta para criar nuances por conta de suas diferentes texturas e acabamentos.

“O morador precisava de um quarto espaçoso e uma banheira”, revela. Para que tudo fosse contemplado, a alvenaria foi reduzida apenas para a área do banheiro, que também recebeu tanque e lava roupa ocultos dentro de um nicho com portas de espelho.

Há outro dado importante sobre o banheiro da suíte. Antes da reforma, não existia incidência de luz natural no ambiente. Após as intervenções, a banheira que se abriu para o quarto através de portas camarão. “Como o banheiro é um espaço pequeno e menos iluminado, mantivemos o branco no teto e o piso e as paredes com porcelanato escuro”, ressalta.