Décor do dia: cozinha com armários coloridos

Móveis em tons inesperados dão atmosfera cool ao ambiente
Por Miochell Lott I Foto Maíra Acayaba

Na hora de criar esta cozinha, parte de um apartamento descolado em São Paulo, o estúdio Superlimão não economizou na ousadia: a prática comum de deixar as cores fortes para paredes e pequenos acessórios enquanto elementos maiores e mais caros assumem tons neutros foi completamente negligenciada, dando origem a um ambiente cheio de personalidade. Aqui, os armários assumiram tons vibrantes de verde, azul e amarelo, criando uma atmosfera festiva que não perde nada em sofisticação graças às superfícies lisas e minimalistas, sem puxadores. Ao fundo, o vidro canelado deixa que a luminosidade entre ao mesmo tempo quer não permite a visão da área de serviço. Chic!

Anúncios

A vibrante cozinha amarela acende o porão da casa do norte de Londres

O escritório de arquitetura Russian for Fish injetou cor no porão de um apartamento duplex londrino, instalando uma cozinha amarela brilhante.

Beresford Road by Russian for FishA propriedade Beresford Road está localizada no bairro norte de Londres, em Islington, e é o lar de um jovem casal e seus dois cães.

Beresford Road by Russian for FishO nível do solo, que acolhe dois quartos, um banheiro e uma área de vestir, era espaçoso e cheio de luz – enquanto o porão abrigava uma série de corredores estreitos e quartos fracos e vagos.

Beresford Road by Russian for FishOs clientes pediram ao Russian for Fish para projetar um nível de porão mais acolhedor, que refletiu sua propensão para “restrição contemporânea de estilo de galeria”.
Para fazer isso, o time criou uma cozinha de cor amarela para que o espaço apareça significativamente mais brilhante. A sombra também se estende até a escada.

Beresford Road by Russian for FishInfluenciados pela paleta de materiais de edifícios industriais, os arquitetos usaram um concreto leve e polido para o pavimento e alguns dos muros do porão. “O amarelo é uma ótima cor – ele traz os tons ocre do piso de concreto natural, elogia as paredes esbranquiçadas e cria calor em todo o apartamento, mesmo nos dias mais aborrecidos”, disse o arquiteto e fundador do estúdio Pereen d’Avoine . “Sentimos que precisávamos de um forte toque de cor para compensar o concreto usado em todo o espaço”.

Beresford Road by Russian for FishO verde é sutilmente introduzido através de plantas em vasos, que foram colocados em vários cantos ao redor da casa.
Além de revisar a estética do porão, a prática também ajustou o layout para abrir espaço para novas áreas de uso e chuveiro, que foram decoradas com telhas de mármore e acessórios de aço inoxidável.

vBeresford Road by Russian for FishO porão é mais iluminado por uma clarabóia que foi adicionada à extensão de retorno lateral existente.

Terminado com o mobiliário neutro do cliente, uma parede de prateleiras integradas também foi criada para exibir uma “extensa coleção de discos de vinil.

Beresford Road by Russian for FishVárias outras práticas usaram bloqueio de cores para formar pontos focais em negrito em projetos residenciais.

O arquiteto Henning Stummel criou uma rica cozinha laranja para cumprimentar a fachada de aço russet de sua casa, enquanto os projetos da RA inseriram uma escada de azul brilhante para os interiores, de outra forma minimalistas, da casa de Londres Roksanda Ilincic. []

Photography is by Peter Landers.

Décor do dia: sala de estar com inspiração art déco

Materiais nobres e geometrias se encontram com sofisticação
Por Michell Lott I Foto Reprodução

Décor do dia: sala de estar com inspiração art déco (Foto: reprodução)Foi com inspiração no estilo art déco que a dupla por trás do Dimore Studio criou esta sala de estar, parte do hotel boutique Saint-Marc, em Paris, usando como estratégia o que fazem de melhor: misturar o antigo e o novo em uma perfeita alquimia. Paredes e teto rosa millennial ganham a companhia de rodapés altos, em preto e dourado, emoldurando uma composição cheia de geometrias, sejam elas nas formas ou nas estampas. O resultado mostra como é possível equilibrar o mínimo e o máximo em harmonia, tudo isso com uma boa dose de perfume vintage!

Marcenaria e tons claros tornam apartamento aconchegante e caloroso

Metamoorfose Studio valorizou revestimentos já existentes em apê de 120m² na Vila Madalena, em São Paulo
Por Marcel Verrumo I Fotos Ana Mello

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)Pequenos detalhes são importantes para mudar completamente a atmosfera de um ambiente. Neste apartamento de 120m² na Vila Madalena, em São Paulo, os profissionais do Metamoorfose Studio, capitaneados pelos arquitetos André Procópio e Aline D’Avola, criaram um lar aconchegante e caloroso graças a ao protagonismo que deram à madeira, que foi mantida no chão e valorizada na marcenaria.

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)O piso amadeirado já existia na construção e foi mantido, assim como o forro, porque os profissionais não queriam executar uma obra que causasse muito quebra-quebra. Valorizar a estrutura já existente para evitar uma grande reforma, aliás, foi uma das premissas da obra, que também aproveitou o antigo mobiliário.

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)

Outro item relacionado à madeira e que também deu aconchego ao ambiente foram os móveis, principalmente a marcenaria inserida em toda uma parede principal da sala e que a interligou à parede do lado. Essa marcenaria, aliás, tem painéis com cortes de CNC que imprimiram uma geometria à estrutura e tornaram o projeto mais delicado. Os tons claros da madeira valorizaram ainda mais esse trabalho, deixando-o delicado.

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)
© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)

O que também imprimiu personalidade aos ambientes foram as cores, que aparecem já no hall de entrada e no que dá para os ambientes íntimos. O azul diferenciou esse canto das outras paredes da casa, em cinza, e o destacou do restante. No décor, a inserção de elementos pretos e cinzas, além do próprio verde das plantas, deu mais autenticidade à morada.

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)
© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)

O quarto infantil, que também foi reformado pelo escritório, dialoga com a paleta neutra da sala, graças às suas cores claras e à madeira, e se tornou mais contemporânea graças ao adesivo azul pontiagudo colado na parede, da Less Design. As cores, bem como as formas curvilíneas dos móveis, tornaram o espaço lúdico.

© 2017 Ana Mello (Foto: © 2017 Ana Mello)

Décor do dia: tons escuros e poderosos se mesclam na sala de estar

Misturas ousadas serão tendência na decoração em 2018
Por Michell Lott I Foto Reprodução

Décor do dia: tons escuros e poderosos se mesclam na sala de estar (Foto: divulgação)De acordo com a marca sueca Alcro, em 2018 o uso ousado das cores será uma tendência poderosa. Pintar o teto, as portas ou apostar em paredes com mais de uma cor são só algumas das modalidades: tapetes e móveis também irão se lançar nessa aventura cromática. Nesta sala de estar, poderosos e profundos tons de azul e verde se misturam em harmonia na paleta chamada Dark Wood, responsável por orquestrar um clima sóbrio, porém divertido e acolhedor, inspirado nas pinturas renascentistas, nos dândis britânicos e na Itália dos anos 1970. Que tal?

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro

Em um dos endereços mais nobres do Rio de Janeiro, no Flamengo, a estilista mistura cores, padronagens e coleções com a ajuda do escritório Ouriço Arquitetura e Design
Texto Maria Clara Drummond I Produção Daniela Arend I Fotos Fran Parente

A moradora posa apoiada em uma cômoda desenhada pelo escritório Ouriço Arquitetura e Design, diante da parede revestida com sobras de tecido de uma coleção antiga da estilista, onde figuram pôsteres de cinema pintados à mão, comprados em Cuba


É possível que este seja o apartamento mais charmoso da Avenida Rui Barbosa, recanto que abriga os mais sofisticados edifícios cariocas e, consequentemente, algumas das mais belas moradias da cidade. O que torna tão especial o lar de Isabela Capeto é justamente a proeza de unir, em perfeita harmonia, o aspecto tradicional da arquitetura original, como os roda-tetos, os lustres de gesso e o piso de parquet bicolor, coma mistura quente e afetuosa de estampas que fizeram seu nome como estilista; um intercâmbio entre os adornos do prédio, oriundos da Europa, coma brasilidade característica da marca homônima.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)O living com vista para o Pão de Açúcar exibe um sofá e dois pufes Mole, de Sergio Rodrigues, ao redor de mesa de centro feita a partir do estrado de uma cama – na parede, quadros de Leda Catunda, de Pedro Espírito Santo e, emoldurando a varanda coberta, uma série de fotos feitas por Isabela Capeto, à frente de um móbile de Daniel Steegmann Mangrané


Por qualquer cômodo que se percorra, todos os detalhes gritam: Isabela Capeto! E não à toa, já que o imóvel dos anos 1950 foi comprado na mesma época em que a moradora se preparava para inaugurar sua nova loja no Leblon, mais precisamente na rua Dias Ferreira, seu primeiro endereço: “É uma volta às origens”, comenta.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)A entrada da cozinha tem azulejos da série Panacea Phantastica, de Adriana Varejão – sobre a bancada, escultura da Bordallo Pinheiro e abajur revestido com tecido de Josef Frank, da Svenskt Tenn, customizado por Isabela Capeto

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)Ainda no living, um sofá com estofado da Fábrica de Tecidos Bangu, mesas de centro da rua do Lavradio e duas poltronas Costela, de Martin Eisler, antecedem a cômoda que sustenta escultura de Tiago Carneiro da Cunha


A reforma foi comandada pelo arquiteto Beto Figueiredo, do escritório Ouriço Arquitetura e Design, amigo de Isabela e seu colaborador de longa data. Coube a ele abrir a cozinha para o ambiente social, deixando-a mais iluminada e posicionada à vista parcial do Morro da Viúva – a Avenida Rui Barbosa é uma localidade rara por abranger tanto o panorama frontal do Aterro do Flamengo e do Pão de Açúcar quanto o dos fundos, da pedreira.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)Coleção de toy art na estante da biblioteca


Portas, armários e cortinas são forrados por tecidos de estampas que fizeram parte das coleções anteriores da grife. “Quis que a casa inteira tivesse o mesmo piso, da sala de estar à cozinha e aos banheiros, para dar mais equilíbrio.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)Cerâmicas de faiança da Bordallo Pinheiro adornam a cozinha


Assim também os lustres de gesso têm desenho semelhante, e os banheiros dos quartos são iguais, só mudando a cor”, diz Isabela, que mora com sua filha adolescente, Francisca. Os três quartos e o amplo hall interno viraram duas suítes e um closet dos sonhos para comportar as roupas da proprietária.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)Isabela brinca com a coleção de pequenos brinquedos que pertence a ela e à filha, Francisca Capeto

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)O hall de entrada que se transformou em biblioteca possui bancos do Mestre Noza, comprados em Juazeiro do Norte, sobre piso original dos anos 1950


Poucos itens foram adquiridos especialmente para a decoração, como os dois tambores que se tornaram mesas laterais. Nas salas de estar e de jantar, móveis de Sergio Rodrigues – incluindo uma mesa de jantar feita e nomeada em sua homenagem(!) – convivem com artesanato brasileiro, com arte naïf e com trabalhos de artistas próximos a Isabela, como Tiago Carneiro da Cunha, Adriana Varejão e Beatriz Milhazes.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)A mesa Capeto, de Sergio Rodrigues, foi feita em homenagem à estilista e protagoniza a sala de jantar – ao redor dela, bancos que pertenceram a lojas de Isabela, e, ao fundo, um aparador também de um ponto antigo abriga coleções que misturam arte naïf, arte contemporânea e artesanato brasileiro


Destacam-se, ainda, o móbile de Daniel Steegmann Mangrané, o quadro de Gerben Mulder e uma fotografia de Paulo Nazareth. Cada coisa tem uma história pessoal e interessante para contar. Os pequenos bancos eram parte da loja antiga. Faianças da Bordallo Pinheiro, algumas criadas pela própria estilista em parceria coma fábrica portuguesa, saltam aos olhos na parede da cozinha.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)Isabela posa na varanda, sobre banquinho trazido de uma loja sua

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)A vista para o Pão de Açúcar que se tem do living


A residência de 232 m² é atravessada por uma imensa quantidade de referências, como hall de entrada transformado em uma colorida biblioteca repleta de livros de arte, moda e literatura. “Concentramos o volume de objetos ali e deixamos o apartamento mais livre”, afirma Beto Figueiredo. Sábia decisão, capaz de evitar que o mix de cores, estampas e elementos dos demais ambientes resultasse em tumulto e excesso de informação. Eles trazem, sim, graça, charme, bom gosto e personalidade, marcas registradas da trajetória de Isabela Capeto.

A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)O closet abriga poltrona Kilin, de Sergio Rodrigues
A casa da estilista Isabela Capeto no Rio de Janeiro (Foto: Fran Parente)O quarto da moradora traz tecidos de coleções anteriores e objetos que a estilista garimpa em viagens

Décor do dia: elementos vintage usados de forma atual na sala

Veludo, marmorite, tons terrosos e outras tendências com perfume vintage se unem com elegância e frescor
Por Michell Lott I Foto Reprodução

Resultado de imagem para living roomApesar de ser completamente formado por elementos com perfume vintage, o resultado alcançado pelo Cordero Atelier neste ambiente, parte do espaço multiuso Nueva Carolina, é cheio de frescor. Não por acaso, todas essas estéticas são fortes tendências do momento. Para começar, a parede foi pintada em um laranja fechado que se enquadra perfeitamente na tão falada paleta de tons terrosos que é um must have atual. No piso, o marmorite mostra que voltou e nem devia ter ido embora. Os móveis, de madeira, foram revestidos de veludo azul, tecido este que conquistou novamente os amantes da decoração e da moda com sua textura acolhedora. Nas janelas, o vidro texturizado toma o lugar do liso, adicionando nostalgia e grafismo inesperado. Para finalizar com um sopro da natureza, uma palmeira pincela a tendência da floresta urbana, deixando que o verde penetre o indoor.