Comemorando 40 anos da FORCE

Dança, arte e customização para comemorar os 40 anos do Nike Air Force 1 em Barcelona
by Fucking Young!

 40 years of the Air Force 1

Na semana passada estivemos na Nike Store Barcelona, ​​celebrando os 40 anos do Air Force 1 com a comunidade da dança, pois estes sapatos são uma referência para bailarinos de todo o mundo.

Renomada dançarina e coreógrafa Vicky Gomez, integrante do ¡Fama A Bailar! e os programas de TV Operación Triunfo, nos apresentou alguns dos principais dançarinos da Espanha, cada um deles se destacando em um estilo diferente de dança, mas todos eles fazem parte da comunidade da dança. Sofia Mae do Hip Hop, Raúl Claverias do Voguing e Wacking, Victor Vásquez do Dance Hall, Marina Molina do Popping e Fatu Africangyal representando o Afro.

Eles nos contaram sobre seus primórdios, suas dificuldades no caminho, e também sobre as coisas boas que a dança traz para eles. Uma coisa é clara: dançar é uma paixão. Eles também usaram sua voz e a plataforma da Nike para exigir melhores condições de trabalho e reconhecimento na Espanha para dançarinos e artistas em geral.

Mais tarde, o grafiteiro @mrdrippingg entrou em cena para liderar um workshop de personalização do Air Force 1, criando uma obra de arte ao vivo e incentivando o resto de nós a experimentar nosso Nike AF1.

Para mais www.nike.com

Aplicativos de namoro prosperam na China, mas não apenas para romances

A China reprimiu muitas empresas de tecnologia, mas permitiu que aplicativos de namoro que fornecem conexões sociais floresçam
Por Zixu Wang e Chang Che

Qu Tongzhou, 28, residente em Xangai.

THE NEW YORK TIMES – LIFE/STYLE – Quando Qu Tongzhou, uma assistente de fotografia em Xangai, partiu para uma tão aguardada viagem ao oeste da China em junho, ela achou as cidades que visitou pouco acolhedoras. Como efeito colateral das políticas de “zero-covid” do país, os moradores desconfiavam dos viajantes e alguns hotéis recusaram Qu, temendo que ela pudesse trazer o vírus.

Então Qu recorreu ao Tantan e ao Jimu, dois aplicativos populares de namoro chineses parecidos com o Tinder. Ela estava ciente dos riscos envolvidos em conhecer estranhos, mas os aplicativos renderam uma fonte de novos amigos, incluindo um empresário de biotecnologia na cidade de Lanzhou, um médico tibetano na cidade de Xining e um funcionário público em Karamay, uma cidade do noroeste de Xinjiang. A cada parada, seus “matches” lhe davam hospedagem e a levavam a bares e outros locais da região.

Quando carros sem motorista falham, como estão funcionando os sistemas de ‘assistência ao condutor’?

“Se eu não usasse esses aplicativos, não teria conhecido muitas pessoas”, disse Qu, 28 anos. “Ninguém teria me levado para passear na cidade.”

Nos últimos dois anos, a China reprimiu grande parte de sua indústria de tecnologia doméstica, proibindo instituições de ensino on-line com fins lucrativos, restringindo videogames e aplicando multas antitruste multibilionárias nas maiores plataformas de compras on-line. Alguns dos outrora famosos titãs da tecnologia da China, como Jack Ma, fundador da empresa de comércio eletrônico Alibaba, se afastaram da vista do público.

Mas um canto da indústria de tecnologia da China floresceu: os aplicativos de namoro.

O número de aplicativos de namoro na China com mais de 1.000 downloads subiu para 275 este ano, de 81 em 2017, de acordo com a data.ai, uma empresa de análise. Os downloads dos aplicativos aumentaram, assim como as compras dentro deles.

Os investidores também colocaram mais de US$ 5,3 bilhões em empresas de namoro e redes sociais no país no ano passado, acima dos US$ 300 milhões de 2019, segundo o PitchBook. E as maiores empresas de tecnologia da China, como a ByteDance e a Tencent, estão testando, adquirindo e investindo em novos aplicativos que prometem juntar estranhos.

Esses aplicativos estão florescendo – e Pequim parece deixá-los em paz – por mais do que apenas razões românticas. Eles prometem empurrar as pessoas ao casamento em um momento em que as taxas de casamento e fertilidade da China estão em baixa, mas os aplicativos também estão ajudando os usuários a combater a solidão, já que os lockdowns por conta da covid fizeram estragos nas conexões sociais.

Para muitas pessoas, os aplicativos se tornaram santuários virtuais – uma reviravolta do século 21 no que os urbanistas chamam de “terceiro lugar”, uma comunidade entre o trabalho e o lar – para explorar hobbies, discutir tópicos populares e fazer novos amigos.

Qu Tongzhou, 28, residente em Xangai. Recentemente, ela usou aplicativos de namoro para fazer amigos enquanto viajava para o oeste da China.
Qu Tongzhou, 28, residente em Xangai. Recentemente, ela usou aplicativos de namoro para fazer amigos enquanto viajava para o oeste da China.  Foto: Qilai Shen/The New York Times

“É muito difícil conhecer pessoas offline”, disse Raphael Zhao, 25, recém-formado em Pequim. Zhao baixou o Tantan em abril, depois de ficar confinado em seu campus por causa das medidas de contenção da covid. “Como essas plataformas são muito abrangentes, acabam te dando a esperança de conhecer alguém com quem convive.”

As autoridades chinesas tomaram medidas contra aplicativos de namoro no passado. Em 2019, o Tantan e outro aplicativo de namoro chamado Momo suspenderam alguns recursos do aplicativo depois que os reguladores os acusaram de negligenciar a disseminação de conteúdo pornográfico em suas plataformas.

Mas, ao contrário de aulas online e comércio de criptomoedas, áreas que os reguladores da China anularam inequivocamente, namoro e outros serviços centrados em encontros sociais permaneceram relativamente ilesos, pois os aplicativos definiram explicitamente seus objetivos como ajudar a sociedade chinesa a prosperar.

Ajudando o Estado

Zhang Lu, fundador do Soul, um aplicativo de namoro apoiado pela Tencent, disse que “a solidão é o principal problema que queremos resolver”. Blued, o aplicativo de namoro gay mais popular, se apresenta como um aplicativo de saúde pública e conscientização sobre o HIV. Seu site destaca seu trabalho na prevenção do HIV, colaborações com governos locais e encontros de seu fundador com funcionários de alto escalão, como o primeiro-ministro Li Keqiang. (O fundador do Blued renunciou no mês passado, aludindo aos desafios de gerenciar um aplicativo LGBTQ na China, mas os downloads do aplicativo permaneceram constantes.)

“Em vez de simplesmente reprimir, os aplicativos de namoro são vistos como tecnologias que podem ser efetivamente cooptadas pelo Estado”, disse Yun Zhou, professor assistente de sociologia e estudos chineses da Universidade de Michigan.

Quando o namoro pela internet chegou à China no início dos anos 2000, o poder de formar relacionamentos – antes desproporcionalmente nas mãos de casamenteiros de vilarejos, pais e chefes de fábrica – caiu cada vez mais sobre o indivíduo. Muitos estavam ansiosos pela mudança, gravitando para os recursos do WeChat, o popular aplicativo de mensagens, que permitia conversar com estranhos.

A tendência se acelerou na década de 2010 com a chegada de aplicativos de namoro como Momo e Tantan, que emulavam o Tinder. Ao lado do Soul, eles se tornaram os três aplicativos de namoro mais populares da China, acumulando mais de 150 milhões de usuários ativos mensais no total.

O Soul e o Momo se recusaram a comentar. O Tantan, de propriedade do Momo, não respondeu a um pedido de comentário.

Os próprios aplicativos mudaram. O Tantan e o Momo há muito combinavam usuários com base em sua aparência física, levando a acusações de que as plataformas cultivavam uma cultura de encontros casuais. Mais recentemente, esses aplicativos começaram a usar os interesses, hobbies e personalidades das pessoas como base para novos encontros sociais.

O Douyin, que pertence à ByteDance e é a versão chinesa do TikTok, e o Little Red Book, um aplicativo parecido com o Instagram, criaram recursos de “descoberta social” que usam seu conhecimento das preferências das pessoas para combiná-las. O Soul tornou-se especialmente popular nos últimos anos por seus perfis de avatar e sua prática de vincular usuários com base em testes de personalidade. No ano passado, o aplicativo ultrapassou o Tantan e o Momo como o aplicativo de namoro mais baixado na loja iOS chinesa.

Muitos usuários desses aplicativos de namoro parecem menos interessados em romance do que em conhecer amigos. Em uma pesquisa realizada em outubro por um instituto de pesquisa chinês, 89% dos entrevistados disseram já ter usado um aplicativo de namoro antes, com a maioria dizendo que queria principalmente expandir seus círculos sociais, não encontrar um parceiro.

Vladimir Peters, um desenvolvedor de Xangai que está trabalhando em seu próprio aplicativo de namoro, disse que muitos chineses mais jovens agora querem que os aplicativos forneçam uma experiência mais holística que combine entretenimento e exploração de hobbies- não apenas um encontro amoroso.

“Os jovens chineses gostam de truques para quebrar o gelo e outras coisas lúdicas que são os pontos de partida para a comunicação”, ele disse. /TRADUÇÃO LÍVIA BUELONI GONÇALVES

Clara Amfo Discovers The Art of Making Diamonds From The Sky | The Extra Mile | BMW

Ever since launching her eponymous brand nearly a decade ago, Anabela Chan’s aim has been to make jewellery in a more ethical and eco-conscious way.

“I wanted to create beautiful, red-carpet worthy fine jewellery using laboratory-grown gemstones, rather than mined gemstones,” she tells Clara Amfo in the latest episode of BMW and British Vogue’s The Extra Mile series. “A lot of people thought I was crazy at the time.”

Fast-forward to today, and Chan, in collaboration with SkyDiamond, is also now working to incorporate “sky diamonds”, made from carbon dioxide taken from the atmosphere, into her designs. “For me, that is where the excitement is,” the jewellery designer says. “There is no end to what is possible with science and innovation.”

Desde o lançamento de sua marca homônima há quase uma década, o objetivo de Anabela Chan tem sido fazer joias de uma maneira mais ética e ecológica.

“Eu queria criar belas joias dignas de tapete vermelho usando pedras preciosas cultivadas em laboratório, em vez de pedras preciosas extraídas”, ela diz a Clara Amfo no último episódio da série The Extra Mile da BMW e da Vogue britânica. “Muitas pessoas pensaram que eu era louco na época.”

Avançando para hoje, Chan, em colaboração com a SkyDiamond, também está trabalhando para incorporar “diamantes do céu”, feitos de dióxido de carbono retirado da atmosfera, em seus projetos. “Para mim, é aí que está a emoção”, diz o designer de joias. “Não há fim para o que é possível com ciência e inovação.”

Victoria Beckham and Anne Hathaway Review Their Past Fashions | WWHL

During “So Posh or Oh Gosh!?,” Victoria Beckham says she’s still into the Maria Grachvogel couture piece she wore at the Brit Awards. She also admits to being haunted by the matching Gucci leather outfits she and David Beckham wore to a Versace dinner. Plus, Anne Hathaway loves the Dolce and Gabbana dress she wore at her very first Vanity Fair party and calls her Nickelodeon Awards outfit posh.

Durante “So Posh or Oh Gosh!?”, Victoria Beckham diz que ainda gosta da peça de alta costura Maria Grachvogel que usou no Brit Awards. Ela também admite ser assombrada pelas roupas de couro Gucci que ela e David Beckham usaram em um jantar da Versace. Além disso, Anne Hathaway adora o vestido Dolce and Gabbana que ela usou em sua primeira festa da Vanity Fair e chama sua roupa do Nickelodeon Awards de elegante.

Victoria Beckham Explains Why She Teared Up At Paris Fashion Show

Victoria Beckham opens up about why she got emotional at her Paris Fashion Week Show, saying, “My ultimate dream has been to build a luxury fashion and beauty house of the future.” She also addresses why she got a tattoo of her husband removed after media speculation.

Victoria Beckham se abre sobre por que ela se emocionou em seu Paris Fashion Week Show, dizendo: “Meu maior sonho foi construir uma casa de moda e beleza de luxo do futuro”. Ela também aborda por que ela removeu uma tatuagem de seu marido após especulações da mídia.

A Night In With Cover Star Michaela Coel | Vogue

Watch November cover star Michaela Coel whip up a combination of kontomire stew and egusi soup that she calls “Nigeria meets Ghana.”

Assista a estrela da capa de novembro Michaela Coel preparar uma combinação de ensopado de kontomire e sopa de egusi que ela chama de “Nigéria conhece Gana”.

Director: Olivia Lifungula
DP: Karol Jurga
Editor: Robby Massey
Production Company: The Little Digital
Executive Producers: Emily McDonald, Samantha Crossley
Producer: Hannah Wainwright
Assistant Director: Eno Enefiok
Production Manager: Stephanie Lawley
1st AC: Andreea Gruiniou
2nd AC: Dan Howe
Grip: Alex Hudson
DIT: Elliott Chyi
Sound operator: Rowena Coleman
Gaffer: Abi Hurcomb
Spark: Tanya Ringer
Lighting trainee: Klaudia Borbely
Stylist: Jeanie Annan-Lewin
Stylist assistant: Julie Veitch
Stylist assistant: Rebecca Evans-White
Tailor: Della George
Makeup artist: Bernicia Boateng
Hairstylist: Joy Matashi
Art Director: Jade Adeyemi
Art Assistant: Matty Mancey
Art Assistant: Charlotte Taylor
Food Stylist: Nyasha Haukozi-Jones
Runner: Brian Githiomi
Assistant Editor: Justin Symonds
Post Production Coordinator: Jovan James
Colorist: Alexia Salaingaros
Supervising Editor: Kameron Key
Post Production Supervisor: Marco Glinbizzi
Graphics Supervisor: Ross Rackin
Motion Designer: Fintan Rowan Mason, Léa Kichler
Production Coordinator, Vogue: Ava Kashar
Production Manager, Vogue: Kit Fogarty
Line Producer, Vogue: Romeeka Powell
Senior Director, Production Management, Vogue: Jessica Schier
Entertainment Director, Vogue: Sergio Kletnoy
Senior Producer, Vogue: Jordin Rocchi
Associate Director, Creative Development, Vogue: Billie JD Porter
Director of Content, Production, Vogue: Rahel Gebreyes
Senior Director, Programming, Vogue: Linda Gittleson
Executive Producer: Ruhiya Nuruddin
VP, Digital Video English, Vogue: Thespena Guatieri

24 Hours with John Legend (ft. Chrissy Teigen) | Vogue

“It has Egypt, France, Italy…everything’s here,” says John to his daughter Luna as he stares out the window from his Vegas hotel room. Vogue follows John Legend as he gets ready for his big show in Las Vegas. With Chrissy Teigen and their children in tow, John and his family go out to eat and enjoy the city before the gig. Legend’s tour outfits, which include lavender shirts, shiny jackets, and Gucci loafers, have to be seen to be believed.

“Tem Egito, França, Itália… está tudo aqui”, diz John para sua filha Luna enquanto olha pela janela de seu quarto de hotel em Las Vegas. Vogue segue John Legend enquanto ele se prepara para seu grande show em Las Vegas. Com Chrissy Teigen e seus filhos a tiracolo, John e sua família saem para comer e curtir a cidade antes do show. As roupas de turnê da lenda, que incluem camisas lavanda, jaquetas brilhantes e mocassins Gucci, precisam ser vistas para acreditar.

Director: Alexandra Gavillet
Director Of Photography: Tamara Santos
Editor: Daniel Poler
Producer: Naomi Nishi
On-Set Producer: Gayle Kotula
Associate Director, Creative Development: Billie JD Porter
Associate Producer: Courtney Walden
AC: Marco Marchiori
Audio: Jake Bass
CCO: Michael Glur-Zoucha
Production Assistant: Darrell Laurel
Filmed At: Caesars Palace Las Vegas, Planet Hollywood Resort & Casino, Hot N Juicy Crawfish, Las Vegas, Zappos Theater.
Music Score: Snowshift – Carl Dahlberg
Production Manager: Kit Fogarty
Senior Director, Production Management: Jessica Shier
Senior Talent Manager: Tara Burke
Supervising Editor: Kameron Key
Post Production Supervisor: Marco Glinbizzi
Director of Content, Vogue: Rahel Gebreyes
Senior Director, Programming, Vogue: Linda Gittleson
Executive Producer: Ruhiya Nuruddin
VP, Digital Video English, Vogue: Thespena Guatieri

Elizabeth Olsen on Wanda’s Future in the MCU & Why Monocropping isn’t the Answer | Power of Women

Elizabeth Olsen talks ‘WandaVision’ and ‘The Avengers” and how she believes teaching everyone about gardening could make the world a better place.

Elizabeth Olsen fala sobre ‘WandaVision’ e ‘Os Vingadores’ e como ela acredita que ensinar a todos sobre jardinagem pode tornar o mundo um lugar melhor.

Gwyneth Paltrow Cooks Her Breakfast Frittata | Vogue

Gwyneth’s “boyfriend breakfast frittata,” which includes turkey bacon, potato, spinach, and onions caramelized in ghee, is one of Gwyneth Paltrow and Brad Falchuk’s favorites.

A “frittata de café da manhã do namorado” de Gwyneth, que inclui bacon de peru, batata, espinafre e cebola caramelizada em ghee, é um dos favoritos de Gwyneth Paltrow e Brad Falchuk.

Director: Blair Waters
Director Of Photography: Vivian Lau
Editor: Robby Massey
Producer: Naomi Nishi
Associate Director, Creative Development, Vogue: Alexandra Gurvitch
Associate Producer: Courtney Walden
AC: Laura Odermatt
Cam Op: Michelle Kwong
Gaffer: Marlon Savinelli
Food Stylist: Brett Long
Audio: Gloria Marie
CCO: Tassia Vieira
Hair: Cody Renegar
Makeup: Georgie Eisdell
Manicurist: Ashlie Johnson
Production Assistant: Phillip Arliss
Production Assistant: Marquis Wooten
Production Coordinator: Ava Kashar
Production Manager: Kit Fogarty
Senior Director, Production Management: Jessica Schier
Global Entertainment Director: Sergio Kletnoy
Supervising Editor: Kameron Key
Post Production Supervisor: Marco Glinbizzi
Director of Content, Vogue: Rahel Gebreyes
Senior Director, Programming, Vogue: Linda Gittleson
Executive Producer: Ruhiya Nuruddin
VP, Digital Video English, Vogue: Thespena Guatieri