Hao Zeng for L’Officiel Malaysia Latest Cover Story

Photography: Hao Zeng. Styling: Jeffrey Yan. Hair: Michael David at Factory Downtown. Makeup: Deanna Melluso at See Management. Models: Ange-Marie & Najiyah Imani at Premier Model Management.

Anúncios

Decotes nas costas e nas laterais do corpo devem encher as vitrines nas próximas estações

Desfile da Prada para a coleção primavera-verão 2019, apresentada em 20 de setembro de 2018 na Semana de Moda de Milão Por: Alberto Lingria 

O ano na moda pode ser lido como um grande bota-fora. As passarelas rasgaram decotes, abriram fendas e jogaram no lixo os excessos de roupa em prol de uma visão mais ensolarada, liberta de referências do passado e sexy.

Não o sexy destilado apenas em vestidinhos curtos e barriga de fora, mas um tipo de sensualidade que, como a Prada fez em Milão, reimagine os limites da exposição do corpo em decotes nas costas e nas laterais do tronco.

Os estilistas abriram frestas na imaginação para não só encurtar as saias como também aderir ao look ciclista com suas curvas sinuosas e shorts na altura dos joelhos, novo comprimento que deve encher as vitrines nas próximas duas estações.

Ao expurgar o comprimento mídi adocicado, padrão de feminilidade já ultrapassado que pode entrar no limbo das liquidações no próximo semestre, a moda revelou as coxas delineadas por saltos altos, cujas agulhas parecem querer furar a hegemonia dos tênis grifados de outras estações.

O perfume animalesco, porém, não se esvazia nas modelagens, porque também se mostra nas estampas de bicho, na matéria-prima de píton (cobra malaia) e em diversas gramaturas de couro, como nos tratados de elegância atemporal da Tod’s e da Hermès.

Nenhuma nudez será execrada na nova cartilha dessa indústria novidadeira, porque ela é embalada com espessa camada de ativismo, no qual a palavra “liberdade” assume roupagem transgressora.

Só olhar a marcha de seios descobertos na Saint Laurent, as transparências da Courrèges, a confusão de gêneros da Maison Margiela, os troncos plastificados na alta-costura de Jean Paul Gaultier, o “nude” travestido de preto na Dior e os tons de pele ditando a nova era da inglesa Burberry que as segundas intenções da moda se revelam.

É hora de se despir de códigos, assumir novas silhuetas e, assim como se quis nos anos 1980, responder à caretice de um mundo colapsado pelas regras. [Pedr0 Diniz]

NOVOS RUMOS PARA 2019

‘Living Coral’
A empresa de colorismo Pantone elegeu como ‘cor do ano’ o laranja coral, um meio termo entre o terracota e o iluminado do crepúsculo. A tonalidade continua a série de cores quentes e acolhedoras.

Natural
Menos poliéster, mais linho, seda e algodão. A economia sustentável e a urgência de práticas responsáveis chegarão às vitrines, que devem ser tomadas de matéria-prima natural e cores abertas.

Textura manual
O efeito tridimensional da renda e do tricô é o que há de mais quente. Culpa da vida maquiada das redes sociais, que faz as pessoas valorizarem cada vez mais o que traga um sentido de realidade tátil.

Emily Ratajkowski posa completamente nua para treats! Magazine

Modelo estampa revista internacional

Emily Ratajkowski (Foto: Instagram/Reprodução)

Emily Ratajkowski quebrou a internet ao aparecer completamente nua para estampar a nova edição da treats! Magazine. A própria publicação postou o clique ousado em seu Instagram e brincou: “Nosso último post teve comentários bem safadinhos. Vamos ver o que virá nesse”.

Garota-propaganda da própria linha de biquínis, Emily sempre faz a temperatura subir, mas, para tristeza dos admiradores, não está mais solteira. Em fevereiro, ela se casou com Sebastian Bear-McClard, em Nova York. A cerimônia civil contou apenas com o cachorrinho dela e dois amigos, que serviram de testemunhas a união.

Emily Ratajkowski (Foto: Instagram/Reprodução)

As 10 modelos mais bem pagas de 2018

Kendall Jenner, Karlie Kloss e Chrissy Teigen e Rosie Hungtington-Whiteley (empatadas) lideram o top 3 da lista anual da Forbes

Kendall Jenner lidera a lista de modelos mais bem pagas de 2018 

Pelo segundo ano consecutivo, Kendall Jenner lidera a lista da Forbes de modelos mais bem pagas do ano. Em 2018, a irmã de Kim Kardashian ganhou $ 22,5 milhões em 12 meses – $ 500 mil a mais do que no ano passado, quando ela ultrapassou Gisele Bündchen (este ano na quarta colocação junto com Cara Delevingne), que corava a lista desde 2002. 

Contratos com grandes nomes como Estée Lauder, adidas e Calvin Klein, endossados pelos 100 milhões de seguidores da top no Instagram, ajudaram ela a ganhar a barganha. Além dos trabalhos, ela tem o lucro com a marca de roupas Kendall + Kylie em parceria com a sua irmã mais nova Kylie Jenner.

Karlie Kloss (Foto: Swarovski/Divulgação)

Na sequência de Jenner está Karlie Kloss com $ 13 milhões. Assim como a estrela de reality show, Kloss tem contratos com a Estée lauder e a adidas, além da gigante da joalheria Swarovski.

Um número alto de seguidores no Instagram é um ponto em comum entre as modelos que integram a lista (algumas como a própria Kendall e Gigi Hadid passaram até a serem chamadas de instamodels). A seguir, confira o restante da lista: 

3º: Rosie Hungtington-Whiteley e Chrissy Teigen com $ 11,5 milhões.

Rosie Huntington-Whiteley  (Foto: Divulgação)
Chrissy Teigen (Foto: Getty Images)

4º: Cara Delevingne e Gisele Bündchen com $ 10 milhões.

Gisele Bündchen (Foto: Instagram Gisele Bündchen/ Reprodução)
Cara Delevingne (Foto: Getty Images)

5º: Gigi Hadid com $ 9,5 milhões.

Gigi Hadid (Foto: Instagram Gigi Hadid/ Reprodução)

6º Joan Smalls com $ 8,5 milhões.

Joan Smalls (Foto: Divulgação)

7º: Bella Hadid e Doutzen Kroes com $ 8 milhões.

Doutzen Kroes (Foto: Reprodução/Instagram)
Bella Hadid (Foto: Reprodução/Instagram)