Tomas De La Fuente for Mujerhoy Magazine Featuring Assi Mbengue

Sem título.jpgPhotography: Tomas De La Fuente. Styling: Eva Barrallo. Styling Assistant: Carolina Taviro. Hair: Manu Fernandez. Makeup: José Belmonte. Model: Assi Mbengue.

Anúncios

Vampire’s Wife: a grife de Susie Cave, mulher de Nick Cave, que conquistou cool girls

Susie Cave e Nick Cave vivem uma relação bilateral alternando o papel de musa e artista: ela com sua grife de roupas, ele com suas composições
Por Antonia Petta

de_arrepiar_1.jpg
Susie Cave, nome por trás da The Vampire’s Wife (Foto: Maciek Pozoga/ Vogue Us, Polly Borland/ Vogue Uk e Divulgação)

Uma das cenas mais impactantes de Drácula, na primeira grande adaptação do romance para o cinema, de 1931, é a que introduz a imagem do vampiro ao público: em interpretação marcante, o ator Bela Lugosi desce altivo uma longa escadaria a passos lentos, mas tão assertivos que parecem alterar a atmosfera do lugar. Dá para dizer que é dessa mesma forma, com o que se chama de uma grande entrada, que surgem as mulheres do crescente grupo de adeptas da The Vampire’s Wife – ao menos, é essa a intenção da ex-modelo britânica Susie Cave ao conceber as peças da grife que fundou há três anos. “Quero que minhas criações irradiem uma aura, que carreguem seu próprio mood. É arrepiante ver o que acontece quando uma mulher usa um de meus vestidos. Há uma mudança no clima”, conta à Vogue.

Susie pegou emprestado o nome da marca de um livro (não publicado) do marido, o cantor Nick Cave. Longe de viver à sombra dele, ela explica que a escolha contém uma feliz intertextualidade da própria obra, na qual a musa aparece como fonte de energia para o criador. “E sabe que isso funciona em mão dupla? Nick também é fonte de inspiração para mim. Nos apoiamos, nos inspiramos, nos alimentamos. Canibalizamos um ao outro de maneira positiva”, explica.

Susie não quer reinventar a moda, mas resgatar, de um ponto de vista pessoal, elementos que traduzem em roupas a força da mulher nos dias de hoje. Por essa razão, cria peças com total ênfase na silhueta feminina. O vestido Falconetti, seu maior hit, tem shape old fashioned, com modelagem ajustada ao busto e à cintura, comprimento mídi e babados nas mangas e na barra. Vem confeccionado em tons preciosos, como verde-esmeralda de chiffon de seda metalizado, ou ainda em tecidos cujos motivos decorativistas comunicam uma riqueza de outrora, como o jacquard. “Há uma sensualidade melancólica neles. Minhas peças remetem a uma época que passou, na qual as mulheres podia mamar a si mesmas, suas formas físicas e seu erotismo sem sucumbir à ironia. As mulheres têm um poder nato, não são vítimas.”

GENTE-Nick-Cave-Susie-Bick-06122017
De arrepiar (Foto: Maciek Pozoga/ Vogue Us, Polly Borland/ Vogue Uk e Divulgação)

Antes de casar-se com Nick (a bordo de um vestido da amiga Bella Freud e tendo o chapeleiro Philip Treacy como padrinho) e adotar o sobrenome Cave, em 1999, ela era Susie Bick, uma garota de Cheshire que ingressou aos 15 anos na carreira de modelo. Com os cabelos negros e a pele branca como mármore, se consolidou como uma das favoritas do fotógrafo David Bailey e posou ainda para nomes como Guy Bourdin, Steven Meisel e Nick Knight (é ela uma das modelos que aparecem nuas no filme Prêt-à-Porter, de Robert Altman, lançado em 1994). “Amava a profissão, pois amava roupas. Logo entendi o que fica bom e o que não funciona para uma mulher.”

A The Vampire’s Wife ajudou Susie a lidar com a tragédia que acometeu sua família: em 2015, quando a grife estava começando, um dos gêmeos do casal, Arthur, morreu ao cair de um penhasco. “Ter algo para fazer que fosse fisicamente exigente levou-me temporariamente a não pensar em mais nada”, comentou na época. À venda no e-commerce próprio (thevampireswife.com) e na multimarcas Liberty, em Londres, a grife recentemente expandiu o rol de produtos para bolsas, com o modelo Sacred Heart, e lançou em colaboração com a joalheria Annoushka uma leva de charms inspirados nas composições de Nick (o sucesso “Red Right Hand” está lá, na forma de pingente coberto por ouro e rubis). “Nós amávamos a ideia de fazer algo divertido e subversivo com joias”, ela diz, revelando o envolvimento total de Nick, que desenhou os protótipos ao longo dos últimos dez anos.

A marca ainda não tem planos de desembarcar no Brasil, mas pode ser que vejamos Susie em solo nacional: Nick tem passagem marcada para o País este mês, como parte de uma aguardada turnê sul-americana. “Faz muito tempo que ele esteve aí pela última vez. Não gostaria de perder isso por nada.” Mal podemos esperar!

Conheça Maria Cabaleiro, estilista que traz em seu DNA a herança da corte espanhola

Maria Fernanda Cabaleiro é tatarenata da responsável pelo guarda-roupa da família real espanhola e cria uma alfaiataria desejável para o dia a dia
Por Vinícius Guidini

maria_cabaleiro_ss192782 (1)
Verão 2019 da Maria Cabaleiro (Foto: Divulgação)

Novo talento para ficar de olho na moda nacional: Maria Fernanda Cabaleiro acaba de lançar sua marca homônima, mas já traz em seu DNA uma história intimamente ligada com a moda. Expert em alfaiataria desejável para o dia a dia, a estilista de 27 anos é tataraneta na resposnável por criar o guarda-roupa da família real espanhola e decidiu dar vida à esta história em junho passado, quando apresentou sua Maria Cabaleiro.

Sem título.jpg
A estilista Maria Fernanda Cabaleiro (Foto: Divulgação)

Nascida em Belo Horizonte, Maria Fernanda formou-se em publicidade na FAAP mas desde a infância já convivia com o ofício da costura mantido vivo por sua avó e sua mãe – a família ganhou fama na capital mineira com seus enxovais que conquistaram nomes como a família Matarazzo. A expertise em tecidos e no acabamento primoroso levou à criação da etiqueta, que hoje oferece calças, tops e conjuntos atemporais, elegantes e sofisticados que exploram uma cartela de cores viva e variada, do ocre ao goiaba passando pelo bege, pelo preto e pelos rosas.

maria_cabaleiro_ss190821
Verão 2019 da Maria Cabaleiro (Foto: Divulgação)

“Tento imprimir algo que sempre escutei na minha família. Uma moda atemporal, com qualidade e durabilidade”, conta Maria Fernanda Cabaleiro, cuja tataravó, Antônia Garcia, conquistou o monarca à frende do feudo em que morava na espanha por volta de 1870 com sua fama de boa costureira. A Maria Cabaleiro estreou com a coleção de inverno 2018/19 e, agora, acaba de lançar seu verão 2019, composto por 25 modelos que chegam com venda exclusiva no e-commerce próprio da marca e preços entre R$ 400 e R$ 900.

maria_cabaleiro_ss191375
Verão 2019 da Maria Cabaleiro (Foto: Divulgação)

Isaro aposta em minimalismo, quantidades limitadas e propósito

Foco no menos é mais e na atenção ao trabalho manual e materiais naturais diferenciam a marca
Por Anita Porfirio (@nitafp)

isaro
Les Invisibles, coleção da Isaro (Foto: Divulgação)

Existem várias formas de ser sustentável, mas o importante é começar por algum lugar. Uma maneira é consumir menos roupas, tendo um closet que preza por peças duráveis, feitas em ateliês justos com materiais naturais. Se a marca, além de tudo isso, ainda tiver propósitos nobres – como a diversidade -, ganha muitos pontos.

Entra em cena a Isaro. Criada em 2016 por Bel Rott e inspirada em valores escandinavos, a marca tem como lema o genderless, o atemporal e o “minimalismo na pele”. “O minimalismo não é só no corte, mas também no fato de não precisar de muitas peças no armário, pois as que temos são versáteis”, diz, e ainda acrescenta que “roupa não precisa ter gênero, e sim, identidade.”

dark_flow_dress_-_r465
Peças são feitas em pequena escala (Foto: Divulgação)

Para chegar ao padrão de atenção aos detalhes desejado, Bel optou por desenvolver a mais recente coleção da marca no Fix Atelier, ateliê de costura em pequena escala que trabalha com uma equipe de menos de 10 funcionários, prezando pelo bem-estar e pelo acabamento primoroso. “Eu queria um local que atendesse às nossas demandas e que se tivesse valores parecidos com a marca”, diz a designer, “o fato de ser um ateliê menor e que presta atenção nos detalhes pesou nessa escolha.” Na luta contra a produção em massa e o desperdício, entra também a escolha de fibras naturais. “O material usado na confecção é essencial, pois a marca quer fugir do atual fast-fashion. Sendo assim, valorizamos o algodão, a seda e o linho, materiais que, se bem escolhidos, abraçam nosso corpo.”

grey_leather_shirt_-_r350
Coleção levanta a bandeira das minorias (Foto: Divulgação)

Além da atenção à mão-de-obra e à matéria-prima, a Isaro também busca levantar, a cada coleção, bandeiras sociais pertinentes. Com a Les Invisibles, que chega às lojas em novembro, a marca coloca o holofote sobre minorias e militâncias pela igualdade de gêneros e pela diversidade e inclusão de pessoas “invisíveis” ao status quo.

Reforçando o conceito do lançamento, uma exposição em conjunto com Kaju será armada entre os dias 02 e 04.11 na galeria Na Fresta, em Pinheiros. Durante os dias, a artista irá customizar peças que serão colocadas à venda e terão parte da renda revertida para o Coletivo Trans Sol, cujo propósito é a inclusão de pessoas trans no mercado de trabalho por meio da costura. “As travestis e transexuais são o maior alvo de homicídios no Brasil”, diz Bel, “sendo assim, achamos que fez sentido escolher o Coletivo, que reflete bem o que queremos representar com a coleção Les Invisibles.”

Na Fresta
R. Fradique Coutinho, 1390, Pinheiros, São Paulo.

Gigi Hadid tem uma nova versão para a icônica camiseta de turnê

Top usa moletom de marca israelense que transforma a camiseta de turnê em peça fashionista

gigi-hadid-out-in-new-york-city-10-05-2018-9_thumbnail (1)
Gigi Hadid (Foto: Getty Images)

Peça clássica do uniforme off-duty das modelos durante as semanas de moda, a camiseta de turnê acaba de ganhar uma nova versão, mais fashionista impossível, já aprovada por Gigi Hadid: o moletom Fashion Month Tour, lançado pela marca israelense Urban Sophistication, que já conquistou com suas peças bem-humoradas tops como Kendall Jenner.

A peça, de silhueta oversized, adesivo removível e gola personalizável (fazendo referência aos cartões de looks de modelos que vão cruzar as passarelas), é estampada com as datas da última temporada de desfiles de verão 2019, começando em Nova York e terminando em Paris, e em pouco tempo já virou queridinha de modelos como Mariana Zaragoza, Fran Summers e até Lil Miquela.

Quem quer garantir o seu, porém, deve ter paciência: o moletom já está esgotado no e-commerce oficial da marca, que promete reposição em breve. Dedo no mouse!