‘Estamos com vocês’: em capa histórica, revista Vogue Polônia apoia luta das mulheres polonesas pelo direito de escolha

Em outubro, corte polonesa aprovou nova restrição ao aborto. Protestos gigantescos em todo o país fizeram o governo de extrema-direita postergar a implementação da legislação que é uma das mais conservadoras da Europa

Capa da edição polonesa da revista Vogue tra a supermodelo Anja Rubik em apoio aos protestos contra as restrições ao aborto no país Foto: Reprodução

Em uma edição que tem sido chamada de “histórica”, a revista Vogue Polônia faz uma declaração poderosa sobre o direito de escolha das mulheres. Na capa está a supermodelo e ativista Anja Rubik, enrolada em metros de tecido vermelho.

O traje da modelo, assim como a pintura em seu rosto, é uma associação com o raio vermelho que se tornou símbolo dos protestos de mulheres que tomaram o país depois que o governo de extrema-direita restringiu o acesso ao aborto legal.

No dia 22 de outubro, a corte constitucional decidiu que o aborto de fetos com má-formação viola a constituição polonesa, o que tornou ainda mais rigorosa aquela que já é uma das legislações mais conservadoras da Europa sobre a interrupção da gestação. Com isso, o aborto só é permitido nos casos em que a saúde da mulher está em risco ou nos casos em que a gravidez tenha acontecido depois de estupro ou incesto.

decisão levou a protestos em toda a Polônia, com mais de 100 mil pessoas reunidas no centro de Varsóvia no início do mês, o que fez o governo postergar a publicação e a implementação da decisão da Corte.

Com a edição, a Vogue Polônia toma uma atitude contra a decisão que retringe o direito de escolha das mulheres no país. Na capa, está a manchete “O poder das mulheres.”

“Tudo o que diz respeito às mulheres polonesas nos diz respeito”, diz a revista em sua conta no Instagram. “Tem sido assim desde o primeiro número da Vogue e sempre será. Por isso, convidamos a supermodelo – e, mais ainda nesses dias, ativista – Anja Rubik para criar a nossa capa. Ela se fotografou com os símbolos que são tão caros a milhões de mulheres em nosso país. Estamos com vocês”.

Rubik postou a capa em sua conta no Instagram, afirmando que é uma das “mais importantes e pessoais de sua carreira.” A modelo de 37 anos continuou: “O direito de escolha de uma mulher é o teste para uma sociedade progressista e saudável. Esse momento vai afetar os poloneses por décadas. O Estado está reprimindo as mulheres com a proibição do aborto e a restrição de seus direitos reprodutivos. Os direitos reprodutivos são direitos humanos. Eles garantem a liberdade de decidir sobre a sua vida, seu corpo, sua saúde e o seu destino.”

Os posts da “Vogue” Polônia e da supermodelo Anja Rubik tiveram centenas de milhares de likes e de comentários de mulheres elogiando a postura da revista.

European Fashion Accelerator | EFA | Talent Search Vol. 2

European Fashion Accelerator | EFA | Talent Search Vol. 2:
Dominika Paška Párnická – Bigger In The Inside
Szilvia Farkasdy – Colour-Thesis

Filha de Noel Gallagher, Anaïs Gallagher faz ensaio de lingerie em estilo roqueiro

Na foto, modelo mistura a delicadeza da renda com boot pesadão

Anaïs Gallagher Foto: Reprodução

Foram divulgadas nesta terça-feira mais uma leva de fotos do ensaio de lingerie de Anaïs Gallagher, filha de Noel Gallagher, que conquistou as paradas dos anos 1990 à frente do Oasis.

Em uma das imagens, a modelo aparece usando um conjunto de renda preta com um boot pesadão, mostrando que o estilo roqueiro está no seu DNA. Esta  é a segunda colaboração que a jovem, com mais de 200 mil seguidores no Instagram, faz para uma etiqueta de lingerie.

Em outubro, quando as primeiras fotos foram divulgadas, em entrevista ao “Daily Mail’, Anaïs disse não ter contado ao pai sobre o ensaio, mas que acreditava que ele ia gostar do resultado. “Qualquer pai vai se sentir feliz com o empoderamento da filha”, afirmou.

Fator uau! Anaïs Gallagher criou uma tempestade para outro conjunto de imagens atrevidas ao participar de sua segunda colaboração com a marca de lingerie Bluebella
Impressionante: para um olhar, a fotógrafa destacou sua figura tonificada em um sutiã vermelho transparente, combinado com uma tanga combinando e um cinto de suspensão escaldante

Conheça Marco Ribeiro, o estilista brasileiro que está chamando atenção no mercado internacional

Fluminense radicado em Paris, Marco Ribeiro chama a atenção no mercado internacional com looks inspirados no seu Brasil natal
SYLVAIN JUSTUM

Looks da coleção de inverno 2020, a Manifesto, da Marco (Foto: Naguel Rivero)

A vida do estilista fluminense Marco Ribeiro dá voltas. Radicado em Paris há seis anos, ele saiu de sua Petrópolis natal aos 14, morou na Argentina até os 26 e seguiu para a França com a intenção de empoderar as mulheres através de roupas globalizadas nas quais as figuras geométricas da bandeira brasileira são uma janela para a sensualidade. Retângulos, losangos e, sobretudo, o círculo vão além de belas alegorias e ganham funções e significados profundos nas criações da label Marco (@iammarcoribeiro), que vem recebendo boa atenção do mercado internacional – a marca ganhou inclusive as páginas da Vogue italiana de setembro, apontada como um dos destaques ao redor do mundo para ficar de olho.

Não é à toa que sua segunda coleção, de inverno 2020, é batizada de Manifesto. Além de incentivar um novo olhar sobre o corpo feminino, a linha carrega uma mensagem de igualdade, evoca a Declaração Universal dos Direitos Humanos e prega a liberdade de ser sensível e vulnerável à natureza cíclica da vida. O círculo é elemento-chave, portanto, na mensagem que Marco quer transmitir. “A vida é um círculo! Uso a figura geométrica como símbolo de união e como um protesto pacífico contra o preconceito, pois considero que estamos todos ligados em um mesmo diâmetro”, explica o designer.

Novos movimentos para a silhueta feminina e uma sensualidade conceitual como resposta à sexualização excessiva da mulher são focos de estudo para Marco. “Muitas vezes, o corpo nu feminino é reduzido a uma conotação sexual, frequentemente para a satisfação dos outros, especialmente no Brasil. Um corpo é algo poderoso e bonito, e quero mostrar como ele pode ser uma forma de autoexpressão definitiva. Gostaria que minhas roupas ajudassem quem as usa a sentir-se capaz de mostrar a pele por decisão própria, para dizer ‘esta sou eu’. E isso é, de certo modo, um protesto em um mundo onde tudo é altamente sexualizado”, explica.

A nudez de seios, barriga ou joelhos é estratégica nas roupas de Marco e é aí que entram as linhas geométricas da bandeira nacional, como molduras vazadas, plissadas e nervuradas para transformar a pele em arte abstrata. Para o seu exercício de cores e volumes, ele privilegia tecidos naturais como o linho e o algodão, que garimpa em deadstocks (estoques antigos inutilizados) de tecelagens em Paris, e seda regenerada. Reaproveitar sobras de panos de grandes marcas é uma das maneiras que Marco encontra para ser sustentável. Ele quer produzir sob demanda e também procura fazer suas roupas em ateliês locais, para viajar menos e garantir trabalho a artesãos menores, mas não menos talentosos. “A sustentabilidade é a nova couture, no sentido de luxo, mesmo”, compara.

Looks da coleção de inverno 2020, a Manifesto, da Marco (Foto: Naguel Rivero)
Looks da coleção de inverno 2020, a Manifesto, da Marco (Foto: Naguel Rivero)

O isolamento social de 2020 foi produtivo. Ele está finalizando a terceira coleção, com estreia prevista para o início do ano que vem junto como seu e-commerce próprio, que será o primeiro ponto de venda oficial da grife. O estilista não antecipa a inspiração, mas dá pistas ao garantir que o exercício de geometria segue firme e ao revelar que foi bastante impactado pelo movimento Black Lives Matter. O fascínio pelas formas femininas segue sendo seu combustível e certamente tem origem no ambiente de mulheres fortes no qual cresceu, muito ligado à avó e à mãe – com quem foi viver em Buenos Aires e Mar del Plata depois que ela se separou do pai, alfaiate.

Como saiu cedo do Brasil, consequentemente não teve tempo de criar um repertório com a vivência por aqui. “A ideia das geometrias fragmentadas da bandeira brasileira, por exemplo, só veio no ano passado, quando vi uma exposição pela primeira vez no Museu de Arte Contemporânea de Niterói”, conta. Também só visitou o Cristo Redentor recentemente, durante as últimas férias no País. Suas referências nacionais fogem dos clichês. “Sou fã dos Parangolés de Hélio Oiticica!” O sotaque não deixa dúvidas: Marco está totalmente ambientado em Paris, onde vive no 19ème arrondissement e mantém uma rotina pacata. Como um bom francês – ele tem cidadania do país –, seus programas favoritos são fazer visitas diárias à boulangerie da esquina para buscar um autêntico pain aux raisins e bater ponto mensalmente no Louvre. “Passei dez horas lá dentro na primeira vez”, lembra.

Vanessa Paradis – Harper’s Bazaar Spain December 2020 By Xavi Gordo

Costura  —  Harper’s Bazaar Spain December 2020   —   www.harpersbazaar.es  
 Photography: Xavi Gordo 
 Model: Vanessa Paradis
 Styling: Beatriz Moreno de la Cova
 Hair: John Nellet
 Make-Up: Christophe Danchaud
 Manicure: Severine Loreal  
 Production: Bea Vera

Jenn Lee | Fall Winter 2020/2021 | Full Show

Jenn Lee | Fall Winter 2020/2021 Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – LFW/London Fashion Week)

Joe Henson – Speed Kills
Anton Flanders – Savage Beast

MADVAN | Feather

MADVAN | Feather | Virtual Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p)

Vanity Couture | Resort 2020 | Full Show

Vanity Couture | Resort 2020 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Art Hearts Fashion/Miami Swim Week)

Joshua Alan Barlow – So Incredible/Down For The Count

Harry Styles and Gemma Styles – Vogue USA December 2020 By Tyler Mitchell

Playtime   —   Vogue USA December 2020   —   www.vogue.com
Photography: Tyler Mitchell Model: Harry Styles and Gemma Styles Styling: Camilla Nickerson Hair: Malcolm Edwards Make-Up: Ammy Drammeh Manicure: Jenny Longworth  Set Design: Andy Hillman