Fashion news: as novidades mais quentes da semana

De collabs que agitam o verão 2020 a novas labels, confira as novidades da semana
By Vogue

À La Garçonne customiza peças da Lacoste em edição limitada (Foto: Divulgação)

1- À La Garçonne lança coleção em parceria com a Lacoste

Lacoste e À La Garçonne se uniram para lançar uma coleção em edição limitada em clima streetwear. À La Garçonne deu cara nova a peças hit da Lacoste com suas famosas customizações. Entre polos coloridas e camisetas que viraram vestidos, o destaque fica por conta do tênis WildCard, que ganha cinto em couro pintado à mão – marca-registrada da À La Garçonne – em sua parte traseira.

“O universo clássico da Lacoste nos possibilita inúmeras intervenções tendo sempre a garantia da melhor qualidade de design e fabricação”, conta Alexandre Herchcovitch, diretor criativo da À La Garçonne, marca de Fábio Souze. 

As 150 peças da coleção chegam à loja da À La Garçonne em Pinheiros e na Farfetch em 12.12.

À La Garçonne customiza peças da Lacoste em edição limitada (Foto: Divulgação)

2- Betina de Luca assina coleção cápsula em collab com a A.Brand

Tradições, religiões e a fé da Bahia são as fontes de inspiração da collab da A.Brand com a carioca Betina de Luca, que chega hoje às lojas da label.

Batizada de , a coleção incorpora elementos como o dendê, a espada de São Jorge, lua e estrelas em sua estamparia, com peças em seda e linho pontuadas por bordados e recortes desconstruídos e shapes minimalistas.

3- Sissa lança seu e-commerce

Depois de abrir sua primeira loja em shopping, no Pátio Higienópolis, a Sissa acaba de lançar seu-ecommerce oficial. O endereço estreou na web com a coleção de verão 2020 da label, Old Bahia. “Pensei numa roupa mais ‘litorânea’, com perfume de maresia”, conta a designer Alessandra Affonso Ferreira, sobre as peças que dão o pontapé inicial na loja online oficial da marca, bem a tempo para as festas de fim de ano.

Sissa (Foto: Divulgação)

4- Conheça a Além, primeira marca nativa digital de acessórios de viagem do Brasil

Projeto de Arthur Blaj (fundador da Livo eyewear) e Luiza Terpins (ex-Revista da Gol e iDEXO by TOTVS), a startup com distribuição sem intermediários estreia no mercado com uma linha de malas de policarbonato com rodas duplas silenciosas e funcionalizades extras – como um Power Bank removível disponível nas malas de cabine.

Além da criação de conteúdo próprio como um guia de viagem, a Além também assume sua responsabilidade social, com uma parceria com o Instituto Adus, que capacita, em português, refugiados na cidade de São Paulo. Uma porcentagem das vendas da label será revertida para o contínuo financiamento do programa.

Set Check-In G, da Além (Foto: Instagram Além/ Reprodução)

5- Cris Barros lança seu Resort 2020

A procura de um novo look de praia para o verão 2020? Bem no clima das tendências praia de luxo e swimwear preto, Cris Barros traz em seu Resort 2020 belas opções para renovar o look à beira-mar ou à beira da piscina nesta próxima temporada. Já nas lojas!

Cris Barros – Resort 2020 (Foto: Divulgação)

6- 7 for All Manking harmoniza preços no Brasil com mercado internacional

A label norte-americana – uma das maiores responsáveis pelo boom do jeans premium nos anos 2000, lança nova operação no Brasil. Entre as novidades que você pode esperar nas lojas da marca por aqui estão preços alinhados aos internacionais e inovações em tecidos, modelagens e acabamentos.

7 for All Makind (Foto: Divulgação)

7- La Rouge Belle e By Helena Bordon lançam collab de óculos escuros 

Amigas de longa data, Lala Rudge e Helena Bordon lançam mais uma collab em clima de verão: um par de óculos de sol em modelo gatinho com armação amarela assinado por suas labels, La Rouge Belle e By Helena Bordon.

“Nossas marcas têm muita sinergia e juntas conseguimos criar uma peça que se encaixa perfeitamente no mood de ambas as marcas. Esta collab celebra a nossa amizade de anos e é apenas o início de uma parceria. É a primeira de muitas!”, conta Lala Rudge.

O modelo já está à venda nas lojas físicas e e-commerces da By Helena Bordon e da La Rouge Belle por R$ 499.

Helena Bordon e Lala Rudge lançam collab de óculos de sol (Foto: Divulgação)

Alessandro dell'Acqua deixa a direção criativa da Rochas

Seu sucessor será anunciado futuramente

Alessandro Dell’Acqua no final do desfile de verão 2020 da Rochas (Foto: Getty Images)

Mais mudanças na moda: a Rochas anunciou esta manhã que Alessandro Dell’Acqua está deixando sua direção criativa, após seis anos.

“Alessandro fez uma incrível performance ao reestabelecer a Rochas como uma casa francesa moderna de luxo com seu estilo bem colorido, cheio de detalhes e com grande atenção aos tecidos”, disse Philippe Benacin, chairman da label.

A última coleção de Dell’Acqua para a Rochas será a de inverno 2020, durante a próxima semana de moda de Milão. 

O sucessor de Alessandro será anunciado futuramente.

Naomi Campbell é a estrela da edição de dezembro da Vogue Brasil

Fechando a década em grande estilo, com a icônica Naomi Campbell, que se reinventou ao longo do tempo e se transformou numa potente voz em prol da diversidade racial
PAULA MERLO

Naomi Campbell, fotografada por Luigi & Iango (2b Management), usa vestido, bandana, choker, pulseiras e anéis, tudo Dior. Edição de moda: Pedro Sales. Cabelo: Luigi Murenu (2b Management). Maquiagem: Renee Garnes (Next) / Produção executiva: Thuy Tran (2b Management). Tratamento de imagem: Victor Gautier (D.Factory)

Fechando a década em grande estilo, com a icônica Naomi Campbell, que se reinventou ao longo do tempo e se transformou numa potente voz em prol da diversidade racial. Nesta capa, fotografada por Luigi & Iango e com edição de moda de Pedro Sales, a supermodelo usa peças do cruise da Dior, desfiladas em abril passado, em Marrakech. Mais que só roupas, Maria Grazia Chiuri fez de sua apresentação um grande diálogo cultural com a inclusão de tradições africanas, como as estampas feitas à mão do Uniwax, ateliê da Costa do Marfim, e com a colaboração de artistas africanos para que as criações fossem bem além do seu ponto de vista.

Naomi Campbell usa look total Dior (Foto: Luigi & Iango; Edição de moda: Pedro Sales; Cabelo: Luigi Murenu (2b Management);  Maquiagem: Renee Garnes (Next) / Produção executiva: Thuy Tran (2b Management). Tratamento de imagem: Victor Gautier (D.Factory))

Iza brilha na sua primeira capa para a Glamour: "Estou vivendo um momento íntimo de libertação"

Veja um sneak peek da nossa edição de dezembro e janeiro, que chega às bancas de todo o Brasil no dia 06.12!
LUANDA VIEIRA

Iza na Glamour de dezembro/janeiro (Foto: Gui Paganini)

A palavra “decolar”, no sentido figurado, significa “ser lançado; ganhar destaque; ascender”. A definição do dicionário ajuda a descrever as três etapas da trajetória de Iza, 29 anos.

Há quatro anos, a carioca do bairro de Olaria, Zona Norte do Rio, largou a vida de publicitária para cantar e, pasmem, recusou dois convites para competir no The Voice, da Rede Globo. Hoje sabemos no que isso deu: é uma das técnicas mais ovacionadas do programa (assumiu o posto em julho de 2019); fez parcerias com mestres da música do calibre de Caetano Veloso, Alcione e Djavan, só para citar alguns; tem mais de nove milhões de seguidores no Instagram; e coleciona outras milhões de visualizações em seu canal do YouTube (em cinco dias, por exemplo, o clipe do single “Evapora”, parceria com a neodiva americana Ciara e o grupo eletrônico Major Lazer, teve 4,6 milhões). Mas, antes de tudo isso acontecer, dizer esse “não” era um sinal de insegurança.  “Não tinha coragem de me apresentar e, na verdade, achava que participar do reality show não era para mim”, conta.

Iza decidiu se entregar à música relativamente tarde, aos 24 anos, impulsionada por uma palestra no coworking onde ela trabalhava na área de marketing, no Rio de Janeiro. “Perguntaram o que faria de graça para o resto da vida. Lembro que a minha primeira resposta foi: ‘cantar’. Tentei evitar isso na minha cabeça, mas o que me estimulou foi o medo da dúvida e o privilégio de não precisar pagar as contas naquela época [o pai, militar naval de carreira, e a mãe, professora de música e artes, podiam ajudá-la]. Percebi que não queria ser uma pessoa frustrada, que só havia me formado em publicidade porque não conseguia me apresentar em público, a não ser que fosse na igreja, onde comecei a cantar quando ainda criança.”

Iza na Glamour de dezembro/janeiro (Foto: Gui Paganini)

Do pontapé inicial, feito de maneira totalmente independente em vídeos no YouTube interpretando músicas de Beyoncé e Rihanna e singles próprios, até o contrato com a gravadora Warner e o lançamento de seu primeiro álbum, Dona de Mim (em 2018), foram três anos, apenas! Brilhou, se destacou, ascendeu a estrela do pop em 2019 – duvido que você já não tenha fervido ao som de “Pesadão” e “Brisa”. Abraçou o que ela define como seu “chamado” e ganhou proteção contra manifestações de racismo como as sofridas na adolescência, quando era a única negra nas escolas particulares de classe média alta que frequentou. “Minha mãe me ensinou a não ficar calada. Por isso nunca me paralisei diante do preconceito, mas sei que hoje a visibilidade me poupa de muitos insultos. As pessoas sabem que tenho uma voz potente e pensam muito antes de fazer qualquer coisa”, afirma.

Iza na Glamour de dezembro/janeiro (Foto: Gui Paganini)

Inevitavelmente, a fama também vem acompanhada de polêmicas. Há pouco tempo, algumas mulheres questionaram no Twitter se o fato de Iza compartilhar fotos de biquíni não estaria reforçando o estereótipo da mulher negra hipersexualizada – o mesmo que o movimento negro luta para acabar. Sobre o assunto, Iza mostra ter entendido o que é sororidade na prática. “A preocupação de continuar propagando um estereótipo incômodo como esse é completamente coerente, e eu entendo que venha de um lugar de defesa. Ao mesmo tempo, estou vivendo um momento íntimo de libertação. Até que ponto essa cobrança não é censura? Já passamos da hora de pararmos de dizer o que a mulher negra deve fazer ou não.”

Iza na Glamour de dezembro/janeiro (Foto: Gui Paganini)

Fotografada por Gui Paganini, Iza usa camisa Intimissimi e brincos Bonica (capa acima) e vestido Gucci e brincos Gansho (capa que abre a matéria). Edição de moda: Fabiana Leite.
Direção de arte: Leticia Haag. Beleza: Henrique Martins. Produção executiva: The Box.Ag

A David Bowie Tribute By Etnia Barcelona

Aqui está tudo o que você precisa saber sobre a coleção de cápsulas inspiradas no Bowie do Etnia Barcelona
by Chidozie Obasi

Etnia Barcelona, A marca sempre inspirada em mudanças culturais está revelando uma coleção exclusiva de óculos de sol, em homenagem ao eterno legado de David Bowie e sua influência proeminente na moda e no estilo. A coleção foca em duas proposições principais: Ziggy Stardust e The Thin White Duke.

David Bowie é conhecido por compartilhar uma caricatura empoderadora que é extremamente simbólica da marca sediada em Barcelona. E, apesar do falecimento do artista, várias décadas depois ele continua sendo um verdadeiro pioneiro, liderado por pensadores avançados e um talento sem desculpas. Bowie nunca deixou de se encantar com sua variedade de personas e estilos que sempre mudavam, mas ele claramente deixou um status-quo sólido ao viver uma vida puramente por quem ele era: Bowie.

Na última campanha da marca, a mensagem é muito importante, clara e autêntica, aqui para abordar uma mensagem muito importante: I’MPERFECT. A mensagem mistura as maiores influências de Bowies, e Etnia Barcelona aproveitou a oportunidade para criar pares de vanguarda, definindo o ego alinhado com as estrelas da carreira de Bowie: Ziggy Stardust e The Thin White Duke.

Ziggy Stardust é o modelo mais ousado da coleção, inspirado nas roupas usadas por Bowie durante seu tempo. Desenvolvidas em três tons, as formas complementam seu estilo icônico. Por outro lado, The Thin White Duke serve como um modelo mais sofisticado e tradicional, disponível em rosa, azul e preto.

O tributo de David Bowie por Etnia já está disponível para compra na flagship store de Barcelona, ​​on-line e em lojas selecionadas em todo o mundo.

www.etniabarcelona.com

David Bowie Tribute By Etnia Barcelona
David Bowie Tribute By Etnia Barcelona
David Bowie Tribute By Etnia Barcelona
David Bowie Tribute By Etnia Barcelona

Chanel Métiers D'Art: barriga de fora à la anos 90 marca primeiro desfile de Virginie Viard

Tie dye, maximalismo 80’s e make com emoção marcaram o primeiro desfile de Métiers d’Art da Chanel sob comando de Virginie Viard e com decoração de Sofia Coppola
LAURA ANCONA, DIRETO DE PARIS

Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)

Na tarde desta quarta-feira (04), a Chanel começou a se despedir temporariamente do Grand Palais — o icônico museu parisiense, que recebe quase todos os desfiles da marca, vai passar por uma longa reforma à partir do ano que vem, financiada com ajuda da maison.

Ao mesmo tempo, a marca dá boas-vindas a uma nova era: a da Chanel sob o comando de Virginie Viard, que assume seu primeiro Métiers D’Art — uma coleção de pre-fall instutuída por Karl Lagerfeld (1933-2019) em 2002, que celebra os ateliês especializados da marca e fica entre o prêt-à-porter e couture — desde a morte do designer alemão, em fevereiro deste ano, e contou com a presença de famosas como Penélope CruzMarion CotillardVanessa Paradi e Kristen Stewart

Desde a Cruise, primeira coleção que assinou sozinha como a diretora criativa, Virginie vem lentamente propondo uma nova imagem da mulher Chanel: mais moderna, jovem, sexy, ousada. Os comprimentos ficaram mais curtos, a famosa silhueta geométrica do kaiser deu lugar à mais fluidez, com uma legereté d’être que reflete a mulher de hoje que usa o que quer, quando quer.

Esteticamente, Virginie recorreu aos anos 1980, década importante para a consolidação do feminino no mundo corporativo e que veio com tudo em 2019: pense em ombros marcados, explosão de cores e brilho, cabelo com gel e maquiagem dramática. 

Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)

Virginie também não teve medo de embarcar em tendências mais frescas e jovens, que garantem likes no Instagram e conquistaram as gerações mais jovens. Retrabalhando os códigos da Chanel, a estilista propôs o tweed, mas com cintura mais baixa, com a barriga de fora na altura do umbigo. Teve também tie-dye, tiaras e jeans com modelagem retrô com Gigi HadidKaia Geber e Grace Elizabeth na passarela. 

Mais legal, mais jovem e mais cool. Sai o tweed careta e entra cintura baixa e um pouco de barriga de fora sem ser cropped, no umbigo. A decoração e a trilha sonora ficou por conta de Sofia Coppola, com músicas que fazem parte de seus filmes. 

Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)
Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)
Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)
Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)
Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)
Desfile da Chanel (Foto: Getty Images)