Holograma de Amy Winehouse fará turnê de shows em 2019

Cantora, morta em 2011, voltará aos palcos com versão digital acompanhada por banda ao vivo

amy_winehouse26Um holograma de Amy Winehouse fará shows em uma turnê mundial a partir de 2019. Segundo o The Guardian, a versão digital da cantora vai apresentar as músicas da britânica, que morreu em julho de 2011, acompanhada de uma banda ao vivo, com duração entre 75 a 110 minutos. Ainda não há informações de agenda.

Segundo o pai de Amy, Mitch Winehouse, a experiência será como um sonho em que ele vai poder rever a filha. “A música dela tocou milhões de pessoas e isso significa que seu legado continuará de um jeito inovador.” Mitch ainda afirma que a turnê vai levantar fundos para a Fundação Amy Winehouse, voltada para a educação de jovens que lutam contra o vício em álcool e drogas.

O projeto é o terceiro da produtora Base Hologram, que atualmente apresenta shows póstumos do cantor americano Roy Orbison e da soprano Maria Callas.

A possibilidade de “ressuscitar” grandes nomes da música começou em 2012, quando uma versão digital do Tupac apareceu no palco do festival Coachella. Billie Holliday é outra representada pela tecnologia, que entoa suas canções em shows diários de 40 minutos no Teatro do Holograma em Los Angeles. Whitney Houston e Frank Zappa são nomes cotados para retornarem aos palcos no mesmo formato.

Anúncios

Selena Gomez é internada em clínica psiquiátrica após surto, diz TMZ

“Selena não vai sucumbir novamente”, disse representante da cantora, que teria sido internada pela segunda vez em duas semanas

selenaSelena Gomez está internada em uma clínica psiquiátrica, é o que afirma o site TMZ. A notícia divulgada nesta quarta-feira (10) afirma que a cantora foi hospitalizada pela segunda vez em duas semanas por conta de um “surto emocional”.

De acondo com a publicação, as crises aconteceram por Selena estar “desanimada e emocional” por conta de seus exames de sangue, que mostraram um baixo nível de glóbulos brancos, resultado do transplante de rim pelo qual a cantora passou em 2017.

No momento a cantora estaria internada em uma clínica psiquiátrica depois de ter tentado “arrancar os acessos de seu braço e saído do hospital sem autorização” e recebendo um tratamento chamado Terapia Comportamental Dialética, usado em pacientes com alta desregularização emocional.

O TMZ pontuou que um dos sinais dos problemas de Selena pode ter sido sua decisão de desaparecer das redes sociais, comunicado pela própria no fim de setembro.

Por meio do Entertainment Tonight, um representante de Selena divulgou um comunicado. “Ela não recaiu e ela não está em um lugar ruim, muito pelo contrário. Ela fez isso para garantir que continue em um bom caminho. É super responsável. Mais pessoas devem ser proativas sobre sua saúde e bem-estar em vez de esperar por algo ruim acontecer”, explicou.

A fonte acrescentou, ainda, que era difícil para Gomez cancelar seus compromissos profissionais para cuidar de si mesma. Sempre no centro das atenções, ela constantemente coloca muita pressão sobre si mesma, o que causa estresse tanto para a mente quanto para o corpo.

“Selena não vai sucumbir novamente. Esses pequenos check-in são essenciais para a saúde dela. Não é nem mesmo recuperação, é apenas um modo de vida. É a mesma coisa com a igreja dela – que para ela é como um check-in semanal”, completou.

“Ela não tem medo ou vergonha de dar um passo para trás e pedir ajuda como no passado”, continuou a fonte, referindo-se a sua passagem pela rehab em 2016, em Brookhaven, no Tennessee. “Seu programa de tratamento ao vivo no passado foi realmente benéfico para ela. Isso a ajudou a reaprender alguns comportamentos e lhe deu mecanismos saudáveis ​​de enfrentamento”, finalizou.

‘Estive na estrada por 10 anos, então vou descansar’, diz Katy Perry

Cantora não pretende emendar o término de sua turnê mais recente com a gravação de um novo trabalho

katy perryA cantora Katy Perry revelou que ainda não tem planos para lançar novos trabalhos em entrevista à revista Footwear: “Estive na estrada por cerca de 10 anos, então eu vou apenas descansar.”

“Não vou entrar direto em mais uma gravação. Sinto como se eu já tivesse feito muito. Sinto como se eu tivesse batido o sino de ser uma estrela bem alto, e sou muito grata por isso”, contou Katy.

A cantora lançou seu último álbum em 2017 e encerrou sua turnê mais recente no fim de agosto de 2018.

Lésbica e negra, Janelle Monáe diz que EUA estão contra ela, mas são seu país

‘Marginalizados devem sentir que não precisam mudar para serem aceitos’, afirma a cantora

Janelle+Monae+Janelle+Monae+Performs+Greek+FhJ6Z64ho4Nl
Janelle Monae @ Roundhouse

BERLIM – Depois de dois discos que tinham como ponto de partida e inspiração o filme “Metrópolis”, de Fritz Lang, e nos quais assumia a identidade de uma androide, Janelle Monáe se despe de qualquer personagem em “Dirty Computer”, o mais recente álbum. Racismo, machismo e homofobia são alguns dos temas que percorrem as suas 14 músicas.

“As primeiras faixas mostram uma pessoa renegada. Depois, temos músicas mais de celebração. Já as quatro últimas são como uma afirmação”, disse Monáe, em Berlim.

A cantora americana de 32 anos é parte das atrações da Red Bull Music Academy, que começou no início de setembro e se estende até 12 de outubro na capital alemã. Às margens do rio Spree, o evento reúne 61 jovens músicos de 37 países, incluindo o Brasil, representado pelo DJ e produtor Benjamim Sallum.

Além de acesso a estúdios e equipamentos para produzir música, os participantes frequentam conversas e palestras de nomes como a DJ Nina Kraviz e a própria Monáe.

“Sou uma jovem americana lésbica e negra. Era importante criar uma experiência em que as pessoas que são marginalizadas possam sentir que não precisam mudar para serem aceitas pela sociedade”, disse a cantora. “Mesmo que o sistema não esteja funcionando ao meu favor, os Estados Unidos são o meu país, e estarão ao meu lado um dia.”

Esse sentimento está explícito na última faixa do álbum, “Americans”. Trecho: “Até que as mulheres ganhem o mesmo pelo mesmo trabalho / esta não é a minha América/ Até que as pessoas que amam gente do mesmo gênero possam ser quem realmente são / esta não é a minha América / Até que os pretos possam voltar para casa depois de serem parados pela polícia sem receberem um tiro na cabeça / esta não é a minha América […] / Mas eu vou te dizer hoje que o Diabo é um mentiroso / Porque vai ser a minha América antes que tudo termine”.

Monáe fala sobre a faixa: “A música não diz que a América é linda, chama a atenção para o monte de coisas erradas que estão acontecendo. Temos de consertar isso, e temos de consertar rápido, porque novas gerações estão chegando aí”.

Um detalhe que salta aos olhos (e ouvidos) em “Dirty Computer” é a quantidade de gente conhecida que está nos créditos, como Brian Wilson (dos Beach Boys), Pharrell Williams, Grimes e Prince, que estava ajudando Monáe no disco antes de morrer, em abril de 2016.

“É difícil falar quanto Prince significa para mim. Sem ele acho que esse disco não existiria, não iria saber até onde poderia ir. Ele era um gênio tocando guitarra, produzindo e também na parte de negócios”, afirma.

Sobre Brian Wilson, ela conta que, quando estava fazendo os vocais da música-título, podia ouvir a voz dele em sua cabeça. “Então, procuramos seu empresário. Ele foi muito legal, disse apenas: ‘Me manda a fita’. Sim, Brian ainda gosta de gravação em fita! Em pouco tempo me mandou de volta.”

Um dos principais momentos recentes de Monáe foi a participação na Marcha das Mulheres, em janeiro do ano passado, em Washington. Milhões de pessoas foram às ruas dos Estados Unidos para pedir mais direitos às mulheres, mudanças nas leis de imigração, racismo, entre outros temas.

Ela fez um discurso emocionante, em que se lembrou da avó, que teve 14 irmãos (“e eles dividiam um par de sapatos”) e da mãe, a caçula de 12 irmãos.

“Não imaginava que iria tanta gente, ninguém imaginava, na verdade. Então me pediram para subir ao palco e dizer algumas palavras. Quando subi e vi aquela multidão, fiquei tremendo, nervosa. Angela Davis [ativista e escritora] estava ali, assim como mães de meninos negros que tinham sido mortos pela polícia. Respirei e falei o que vinha do meu coração.”

Em 2016, Monáe atuou em dois filmes: “Moonlight” “Estrelas Além do Tempo”. “Gostei da experiência porque em um filme você interpreta um personagem que está dentro de uma história. Em um disco, tudo tem a ver comigo: as letras, a guitarra, o clipe. Tudo está sob meu nome. Então sinto muito mais pressão. O mundo vai me julgar e eu posso estar passando por um momento frágil. Se você não está preparada, vai sofrer.” [Thiago Ney]

Emma Stone vai participar de novo clipe de Paul McCartney

Em evento, moderador cometeu gafe e anunciou a novidade; ainda não se sabe que faixa de ‘Egypt Station’ vai ganhar clipe

emma stone
Emma Stone

Nesta semana, Emma Stone participou de um painel organizado pela Child Mind Institute, ONG que apoia crianças com problemas de saúde mental. A atriz falou de sua batalha contra a ansiade, mas, sem querer, foi revelado que ela vai participar de um clipe de Paul McCartney.

De acordo com a Hollywood Reporter, o moderador Harold S. Koplewicz perguntou para Emma: “O que vem em seguida?” e, antes de ela responder, ele continuou, “além de um vídeo com Paul McCartney”.

Emma então respondeu: “Eu não acho que você deveria ter anunciado isso”, e falou que está trabalhando em uma sequência de Zombielandsem dar mais detalhes sobre a parceria musical.

No dia 7 de setembro, McCartney lançou Egypt Stationseu mais recente álbum. As faixas Fuh You Back in Brazil foram as primeiras a ganhar um clipe, e ainda não se sabe qual será o próximo single.

Iza lança clipe de ‘Dona de Mim’, que exalta a força da mulher negra

Clipe tem direção de Felipe Sassi e faz parte do álbum homônimo

Nesta sexta-feira, Iza divulgou seu o tão aguardado clipe de Dona de Mim, do álbum homônimo – que foi indicado ao Grammy Latino – em que exalta a força das mulheres negras e faz uma crítica à violência. O vídeo tem direção de Felipe Sassi.

Iza transita entre cômodos de uma casa, uma sala de aula, uma igreja e um tribunal. Uma das cenas do clipe mostra uma professora que protege seus alunos na escola enquanto ocorre um tiroteio – no momento, Iza usa uma roupa que remete a um uniforme militar.

Em outra cena, Iza está em meio a um júri de homens brancos. Ela usa uma roupa toda branca e uma boina lateral que se assemelha às utilizadas pelos integrantes do movimento Panteras Negra.

O clipe ainda tem a participação de um coral cantando Dona de Mim a capella.

O lançamento está sendo amplamente comentado nas redes sociais e ganhou até emoji especial no Twitter, com a hashtag #DonaDeMim.

Will Smith retorna poderoso ao rap em clipe de “Está Rico”

Faixa de Marc Anthony é em parceria com Bad Bunny

Will Smith marcou o seu retorno ao mundo da música com um o single “Está Rico”, em parceria com Marc Anthony e Bad Bunny. Confira acima.

Recentemente, o ator confirmou que lançaria um novo material musical em breve.

O último álbum de Will Smith, Lost and Found, foi lançado em 2005. [Julia Sabbaga]