Ariana Grande lança ‘Boyfriend’, música em parceria com o duo Social House

Na madrugada desta sexta-feira (2), cantora divulgou clipe da canção, que atingiu mais de 4 milhões de views nas primeiras horas do dia.

Ariana Grande com o duo Social House no clipe de “Boyfriend” — Foto: Reprodução/Instagram

Após contagem regressiva nas redes sociais e divulgação de pequenos trechos da parceria, Ariana Grande lançou a música “Boyfriend”, que gravou junto ao duo pop americano Social House.

A faixa chegou com um videoclipe, lançado na madrugada desta sexta-feira (2) e atingiu mais de 4 milhões de visualizações nas primeiras horas.

O clipe mostra um casal, que não assume o namoro oficialmente, mas nenhuma das partes admite que a outra se relacione com outras pessoas. As crises de ciúme no clipe revelam momentos furiosos, que contrastam com o visual angelical de Ariana no vídeo.

“Você não é meu namorado, eu não sou sua namorada, mas você não quer me ver com ninguém mais, e eu não quero te ver com ninguém”, cantam Ariana. Mikey Foster, integrante do Social House faz o papel do “namorado” no vídeo. Já Charles Anderson é o terapeuta e melhor amigo do casal na trama musical.

Anúncios

Como dar um upgrade digital em clipes já consolidados

YouTube e Universal Music Group anunciaram que estavam fazendo a adaptação de mais de mil vídeos de música popular do sistema analógico para o de alta definição
Gavin Edwards, The New York Times

Um still do video do single Bad Romance de Lady Gaga, de 2009, depois do retoque. Foto: Universal Music Group

O vídeo do single da música de sucesso White Wedding, de 1983, mostrava uma aliança de casamento de arame farpado, um desastre de motocicleta através de um vitral e o cantor Billy Idol com o seu telegênico sorriso zombeteiro. O diretor, David Mallet, contou que foi filmado em um dia, como muitos clipes que ele fez na época, parava uma exibição muito diferente da que vemos hoje. “Fazíamos vídeos para telas talvez de no máximo 32 polegada”, lembrou Mallet, lamentando também que tantos trabalhos realizados em vídeo não tenham sido arquivados devidamente. 

Por isso, o YouTube, onde a maioria das pessoas assiste a vídeos musicais hoje em dia, ainda exibe muitos que foram tirados de velhas fitas em VHS. Em grande parte, nem aguenta quando ampliados para telas de 60 polegadas”, acrescentou.

No entanto, em junho, o YouTube e o Universal Music Group anunciaram que estavam fazendo o upgrading de mais de mil vídeos de música popular do sistema analógico para o de alta definição, a serem lançados em 2020. Entre os artistas dos 100 vídeos iniciais estão Lady Gaga, Boyz II Men, The Killers, Kiss, George Strait e as Spice Girls. “Quando o colorido borrado for retirado, ficará um resultado mais vital”, afirmou Billy Idol.

Fazer o upgrading dos clips significa um trabalho de arquivo com uma série de formatos. Barak Moffitt, um executivo da Universal, mencionou alguns: “Temos todo tipo de material, de filmes originais a Digibeta, HDCAM para Cs de uma polegada e Betacam SPs para D2s – e o formato em que foram filmados não é necessariamente o formato que foi editado”.

Às vezes, foi preciso um verdadeiro trabalho de detetive, como, por exemplo, quando a equipe descobriu que o áudio de Fell on Black Days, da Soundgarden, foi uma gravação única feita apenas para aquele clipe. E outras vezes, foi diretamente um upgrading do áudio para um material de qualidade melhor. 

Michael Nash, executivo da Universal, explicou que, historicamente, “muitas vezes, a primeira coisa oferecida aos consumidores era o vídeo musical, antes mesmo que o single fosse para uma rádio. Frequentemente, um vídeo de música era enviado para a MTV antes que a mixagem estéreo final do single tivesse sido feita”.

O YouTube suplantou há muito a MTV como fonte básica dos vídeos musicais, mas recentemente o seu predomínio foi ameaçado pela ascensão dos “vídeos verticais” formatados para o instagram e o Spotify, e está tendo problemas nas negociações com alguns selos a respeito dos royalties pagos toda vez que uma música é ouvida em streaming, e se isto constitui um “diferencial de preço”.

Por isso, um projeto que favorecia a reputação de todos interessou particularmente ao YouTube. “Toda a indústria pode unir-se e fazer algo fantástico”, afirmou Lyor Cohen, um executivo do You Tube. Embora seja possível assistir ao YouTube em grandes telas de TV com surround sound, muitos usam os próprios celulares. Por isso, será que os fãs de Lady Gaga percebem quando o áudio e o vídeo de Bad Romance”tiveram um upgrading? Segundo Nash, seguramente. “O público em geral sabe distinguir a diferença quando o vídeo é colocado na sua frente, e entende a diferença quando explicam para ele, e é nossa obrigação como parceiros dos artistas oferecer ao público a representação mais próxima da voz e da visão do artista”, disse. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Playlist “A-List: Hip-Hop” do Apple Music agora se chama “Rap Life”

É lá que você encontrará os sucessos do hip-hop
MacMagazine

De surpresa, o Apple Music renomeou hoje uma de suas listas de reprodução mais populares; agora, a playlist “A-List: Hip-Hop” se chama “Rap Life” e ganhou um novo programa na rádio Beats 1.

As novidades foram anunciadas pelo executivo do serviço de streaming da Maçã, Ebro Darden, em uma entrevista para a Billboard. Além das mudanças mais cosméticas, a iniciativa também expandirá o segmento no programa diário de Darden na rádio do serviço.

Rap não é apenas um gênero. É um modo de vida. A playlist#RapLife é onde a música vive, respira e se move. Confira hoje com o #UndertheSun de @JColeNC e @Dreamville. Adicione à sua biblioteca agora.

Mais do que músicas, o quadro também contará com discussões sobre a cultura hip-hop, como contou Darden:

A [playlist] “Rap Life” será atualizada conforme a cultura do lado de cá. Nós nos moveremos na velocidade da cultura e algumas semanas serão diárias, à medida que o novos conteúdos selecionados forem divulgados.

O gênero tem sido um dos principais focos do Apple Music à medida em que o serviço também vem ganhando reconhecimento na área; os dois últimos projetos do cantor canadense Drake (“Scorpion” e “More Life”), por exemplo, renderam mais execuções no Apple Music do que no maior concorrente da Maçã, o Spotify.

Portanto, é possível dizer que a mudança não passa de um esforço da gigante de Cupertino para competir mais diretamente com as listas de reprodução “Rap Caviar” (do Spotify) e “Rap Rotation” (da Amazon).

Beyoncé anuncia participação de dez músicos em seu novo álbum ‘Lion King: The Gift’

Cantora já divulgou o clipe da música ‘Spirit’ e lançará o disco no mesmo dia do live-action de ‘O Rei Leão’

Cantora Beyoncé

Beyoncé vai lançar na sexta-feira, 19, o álbum Lion King: The Gift (Rei Leão: O Presente) e anunciou na terça-feira, 16, que as faixas sonoras terão a participação de outros músicos.

A cantora dá voz à personagem Nala no live-action O Rei Leão, que estreia no mesmo dia do disco, e afirmou que cantarão com ela Kendrick LamarPharrell Williams, Jessie Reyez, Tierra Whack e Childish Gambino (Donald Glover) – intérprete de Simba.

Na cerimônia de lançamento do álbum, ela disse que é importante que as músicas façam os ouvintes imaginarem os cenários do filme.

Haverá ainda partes com 070 Shake, Burna Boy, Tiwa Savage, Wizkid e o marido Jay-Z, que aparece na música Mood 4 Eva.

Beyoncé é responsável pela curadoria e produção executiva de Lion King: The Gift. Na última terça-feira, ela divulgou o clipe de Spirit, com cenários africanos, trechos do live-action e a participação de sua filha Blue Ivy (leia aqui).

Com informações da Associated Press

O Rei Leão | Beyoncé revela clipe de “Spirit”

Faixa é parte do álbum The Lion King: The Gift
MARIANA CANHISARES

Beyoncé divulgou o clipe de “Spirit”, faixa inédita do remake de O Rei Leão.

A música, que tem composição e vocal principal da cantora, é parte do álbum The Lion King: The Gift, que tem curadoria e produção de Beyoncé. Entre os nomes confirmados no disco estão Childish GambinoJAY-Z e Kendrick Lamar – veja a tracklist.

O Rei Leão estreia em 18 de julho.

Avril Lavigne cita o Diabo na música ‘I Fell In Love With the Devil’ e gera polêmica entre fãs cristãos

Cantora lançou clipe da música I Fell In Love With the Devil nesta segunda-feira (15) e deixou alguns fãs indignados com a letra da nova canção

Avril Lavigne – I Fell In Love With The Devil

Avril Lavigne lançou, no início da tarde desta segunda-feira (14), o clipe da música I Fell In Love With The Devil, quarto single de seu novo álbum “Head Above Water”. Com visual e cenário mais sombrio, com direito a cemitérios e caixões, o vídeo já conta com mais de 460 mil visualizações.

No entanto, alguns fãs cristãos de Avril Lavigne parecem não estar nem um pouco satisfeitos com a letra e, claro, o próprio clipe. “Deus te salvou e abençoou você com outra oportunidade de escolha. Agora você vem com essa porcaria?”, criticou uma seguidora.

“Siga sua alma com Jesus. O único que pode salvá-la, ainda que você segure essa cruz e blasfeme Seu nome. Eu oro por sua salvação. Você é cristã ou está zombando de Jesus?”, questionou outra.

As críticas vieram, também, por conta da letra. “Eu me apaixonei pelo diabo e agora estou com problemas. Eu me apaixonei pelo diabo, estou sob seu feitiço. Alguém me mande um anjo para me emprestar uma auréola. Eu me apaixonei pelo diabo, por favor, me salve deste inferno”, canta ela.

Em contrapartida, outros fãs de Avril Lavigne saíram em defesa da cantora e de I Fell In Love With The Devil, afirmando que a letra se trata de um possível relacionamento tóxico, em que a personagem principal pede por ajuda.

Avril Lavigne lança clipe sombrio de “I Fell In Love With The Devil”

Faixa faz parte de Head Above Water
JULIA SABBAGA

Avril Lavigne revelou hoje, dia 15, o clipe de “I Fell In Love With The Devil”, seu novo single.

A faixa fala sobre um relacionamento tóxico que a cantora manteve enquanto batalhou contra doença de Lyme. Sobre a composição, Avril explicou: “Às vezes seu coração entra em conflito com sua mente e te leva para situações que você sabe que não são certas, e uma vez que você está lá, é muito difícil de sair”. 

Head Above Water foi o sexto álbum de estúdio de Avril Lavigne, e trata sobre a sua recuperação de saúde.