Jardim vertical: como fazer a manutenção

Algumas práticas fazem toda diferença para manter seu jardim lindo e saudável
Por Marina Paschoal I Foto: Divulgação

Sem título.jpgjardim vertical transforma o clima de qualquer espaço, seja em apartamentos pequenos ou em casa. “Uma parede verde é a solução para quem busca qualidade de vida e traz benefícios acústicos, térmicos e sem contar a qualidade estética”, observa a arquiteta paisagista Rafaela Novaes. Apesar de algumas regras serem específicas para ambientes internos e externos, existem dicas gerais que fazem toda a diferença no momento da manutenção dos jardins verticais. “Acompanhar se as espécies estão se adaptando e desenvolvendo bem, e fazer a limpeza de folhas mortas, por exemplo, é muito importante”, explica a paisagista Rayra Lira Araújo, da JLira Green Life.

poda em jardins verticais é o segredo para um jardim bonito. Por isso, no momento da poda, é importante saber o que tirar e o que deixar para estimular o crescimento saudável da planta. “Sugiro uma poda a cada 45 dias. Desse jeito fica muito mais fácil manter as plantas”, Rafaela indica. Além disso, segundo Rayra, é importante respeitar o contorno de cada espécie, desde onde ela começa, até o seu final. “Não permitir que outras plantas cresçam no meio da vegetação faz parte também, já que passarinhos podem acabar levando sementes de outras espécies para o jardim”, ela explica. Essa limpeza também consiste na retirada de folhas e flores secas, para que elas não tomem o espaço das novas.

As regas na medida certa também são fundamentais para o desenvolvimento da vegetação, já que tanto a falta, como o excesso de água são ruins para as plantas. Deste modo, Rafaela indica fazer o teste do dedinho. “Coloque o dedo cerca de 2 cm abaixo da superfície. Se sair limpo, precisa de mais água. Se ficou sujo de terra, diminua a quantidade de água. O correto é sentir o substrato úmido, com um certo frescor e seu dedo sair seco, apenas com algum resquício”, ela explica.

E por falar em substrato, diferente do que a maioria imagina, um dos segredos para o sucesso do jardim vertical é a escolha do produto certo. “A terra comum permite o nascimento de muito mato, além de ser bem pesada para esse tipo de jardim”, Raya esclarece. O uso do produto incorreto também pode acabar impedindo o crescimento das raízes e a infiltração de água. Por isso, preste atenção no momento da compra, pois existem os produtos específicos para o jardim vertical.

Adubar também é uma etapa fundamental que, quando feita de maneira correta combinada à irrigação, garante plantas saudáveis. “Existem produtos que vão liberando gradativamente pequenas quantidades de adubo quando em contato com a água, durante até um ano. Acho uma ótima opção para quem busca facilidade e quer um jardim bonito”, Rafaela indica.

Você pode optar por tipos diferentes de vasos ou suportes para o seu jardim vertical. Apesar de ter instalação demorada, trabalhosa e custo mais alto, os blocos cerâmicos são a opção mais duradoura. Os vasos meia-lua são mais rápidos de colocar, mas fique ligado no tempo de uso, pois eles precisam ser trocados periodicamente. As mantas são uma boa alternativa, mas exigem sistema de irrigação mais elaborado. Os palets de madeira são opções para quem procura por projetos diferentes. “Não existe o melhor, o que existe é o sistema ideal para cada ambiente e projeto específico”, Rafaela finaliza.

Anúncios

Jardim vertical: saiba quais plantas usar

Seja na parede de um apartamento pequeno ou um muro na área externa, existem regras que não mudam no momento de escolha das espécies
Por Marina Paschoal I Fotos: Divulgação

paisagismo-casa-fresca-com-plantas_09Os jardins verticais estão com tudo. Seja pela falta de espaço em apartamentos pequenos ou para valorizar paredes em espaços amplos, eles são uma ótima opção para qualquer ambiente. “É uma maneira de explorar um jardim no ambiente quase sendo utilizada como uma obra de arte”, define a paisagista Rayra Lira Araújo, da JLira Green Life. Mais quais plantas usar em um jardim vertical? Existem algumas regras quanto às espécies dependendo do ambiente, exposição ao sol e ventilação. Para não errar, alguns pontos devem ser levados em consideração.

Rayra explica que existem três regrinhas primordiais: iluminação, irrigação e limpeza. Ou seja, saber se o espaço do jardim é mais propício para plantas de sol ou de sombra, regar na medida certa – e para isso é preciso saber sobre a quantidade de água que a espécie precisa -, e fazer a manutenção, removendo folhas e flores secas para que as novas possam crescer.

Dito isso, vamos aos exemplos práticos.

apartamento-klabin-gf-projetos-04Se você vai fazer seu jardim vertical em um apartamento e a área usada será de uma varanda pequena, a manutenção deve ser baixa e ele deve produzir pouca sujeira, para evitar que o vento leve as folhas secas para dentro de casa. Com esse contexto, a indicação da paisagista é optar por espécies de folhas largas, grossas e durinhas. Respeitar a quantidade de entrada de sol da sua varanda também conta. “Para varandas com sol da tarde, indico plantas como bromélias, liriopolis variagato, peperômia verde, era, zebrina entre outras. E para varandas com sol da manhã, as melhores espécies são as de meia sombra como chifre de veado, peperômias, culumeia, costela de adão, giboia, filodendro entre outras”, Rayra explica.

4971e92d479afcc14fbae5d3cdd42d30--patio-pergola-outdoor-patios.jpgAgora, se a intenção é aproveitar um belo muro de uma casa grande, na área externa com jardim, você tem mais liberdade quanto à escolha das espécies e quanto mais variedade, melhor. “Podem ser folhas grandes, pequenas, forração … Quanto mais mistura, mais o jardim vertical trará a sensação de natureza”, a paisagista indica. E como estamos falando de ambiente externo, o conselho é usar plantas que se adaptam facilmente, como bromélias, liriopolies branco, todas as espécies de aspargos, setecresia, todas as espécies de sansevieria.

8 coisas que você não deve fazer com as suas plantas

O paisagista Marcelo Faisal dá dicas para fazer o seu jardim crescer mais saudável
Por Gabrielle Chimello

b1f8d6f2dc699c0651fa323b57183522tendência urban jungle – ou floresta urbana – tem feito a cabeça das pessoas que são amantes das plantas e enchido os feeds do Instagram e Pinterest com referências lindíssimas! Aqui no site nós fizemos um dossiê completo com dicas de como ter plantas em casa e também 11 aplicativos para cuidar das plantas.

Mas muito mais importante do que saber o que fazer para cuidar das plantas, é saber o que não fazer para manter seu jardim belo e saudável. Por isso o paisagista Marcelo Faisal deu 8 dicas que você deve evitar fazer com as suas plantas para que elas creçam lindas. Confira!

1 – Não tenha plantas no quarto
À noite, normalmente liberamos muito CO2 por causa da respiração, o que eleva muito a atividade da planta – pois ela faz a troca do CO2 do espaço pelo O2. O problema é que como nesse horário não há luz solar, as plantas acabam se estressando, pois este deveria ser o momento de descanso delas. Plantas em quartos são infelizes.

2 – Não coloque as plantas na face Sul
Esta é a localização que tem menos insolação e os ventos são muito frios, por isso a maioria das espécies irá sofrer nesses ambientes. Caso você não tenha opção, escolha espécies que sejam mais resistentes e umbrófilas (que gostem de sombra), como a Ráffia e Areca.

3 – Não coloque água demais
Pode parecer redundante, mas saber a quantidade certa de água que a sua planta precisa é essencial. As raízes também respiram, e o excesso de água pode apodrecê-las. O ideal é que, além da rega correta, os solos sejam drenados, ou seja, não acumulem água. Basicamente, a proporção para um bom solo é: 1/3 de areia, 1/3 de matéria orgânica e 1/3 de terra.

4 – Não coloque adubo demais
A super adubação pode ser tão prejudicial para as plantas quanto não adubar. Esta prática aumenta a acidez do solo e pode queimar as raízes e folhas. Sempre siga a orientação de paisagistas ou engenheiros agrônomos.

5 – Não deixe as plantas muito expostas ao vento
As plantas não gostam de vento, pois ele desidrata e as faz perder água. Consequentemente, as folhas irão secar. Para este tipo de situação, o ideal são as plantas com tecidos coriácios, pois são mais resistentes.

Caso a sua casa seja na praia, não é toda a espécie que sobreviverá neste ambiente, pois a maioria não é aclimatada à maresia. Geralmente clusia, ágave, bromélias e chapéu-de-sol são espécies que resistem ao clima praiano.

6 – Não deixe as plantas em pleno sol sem irrigação criteriosa
Existem plantas que se dão muito bem sob o sol, mas é muito importante que a irrigação seja feita corretamente. O sol desidrata e queima as plantas sem o cuidado devido, principalmente as que estiverem plantadas em vasos.

7 – Evite o uso de agrotóxicos para tratar doenças
Em dias de calor as plantas estão mais sujeitas às doenças como cochonilhas, pulgões, lagartas, ácaros, fungos e bactérias. O ideal é tratar todas elas através de bioinseticidas, evitando os agrotóxicos. No mercado já existem muitos produtos disponíveis. Consulte sempre um especialista para indicar o melhor tratamento em cada caso.

8 – Não deixe as plantas sujas
As plantas devem ser limpas e lavadas para evitar o acumulo de poeira e poluição sobre suas folhas, pois isto tira a capacidade fotossintética, fazendo-as morrer. Este é um problema principalmente de plantas em apartamentos. A solução é simples: passe um pano úmido com sabão neutro (como o sabão de côco) nas folhas.

Jardim minimalista de Alex Hanazaki tem cascatas e fontes

Refrescante, sustentável e inovador, o jardim deca aponta o pensamento avant-garde do paisagista ao transformar peças normais em instalações
Fotos Yuri Seródio/ Divulgação

alex-hanazaki-01
No jardim sensorial de 1.000 m², que foi uma das sensações de uma mostra de decoração de São Paulo, os visitantes eram recebidos em um corredor guarnecido por paredes de gabiões cheios de pedras, erguidas diante de um grande espelho-d’água inundado por duchas DECA, instaladas de maneira a formar uma cortina que remete a uma cascata – deleite visual e também auditivo

Entrar no jardim concebido por Alex Hanazaki para a Deca em uma mostra de decoração em São Paulo é um passeio instigante. A obra revela o pensamento avant-garde do arquiteto paisagista ao aproximar seu trabalho da arte. “A mensagem principal é trazer o questionamento sobre a possibilidade de usar as peças da marca de forma não convencional, transformando o usual em objeto paisagístico”, afirma.

alex-hanazaki-05
Em outra área do jardim, mais produtos DECA ganharam novos significados: lavatórios brancos e misturadores foram distribuídos ao longo de uma parede acobreada de modo a criar uma espécie de fonte aquática

O espaço de mil m² investe em propostas sustentáveis de reúso de água, iluminação de LED, madeira de reflorestamento e elementos de descartes. Ao lado do corredor de entrada, um espelho-d’água traz uma cortina fresca da água que cai de 33 chuveiros.

Dali, entrevê-se parte do jardim. Ao fundo, o ponto alto: uma instalação que relê a ideia de uma fonte natural, combicas sobre 22 lavatórios suspensos. Em outra parte, o totem escultural com 539 bacias sanitárias surpreende. As árvores emolduram todo o conjunto – são 20 oliveiras, 3 mil mudas de aspargo-rabo-de–raposa, palmeira-chamaerops e fícus-lirata contracenando com camarão-amarelo e guaimbê, uma vegetação eclética que se une ao bambu-áurea.

10 apartamentos com muito verde para se inspirar

Para quem mora em apartamento, ter um jardim particular é um ideal possível de felicidade. Aproveite o início da primavera, neste dia 22 de setembro, e inspire-se com esta seleção de 10 ambientes com muito verde. [Ligia Nogueira I Fotos Divulgação]

10-apartamentos-com-muito-verde-01.jpgSubindo pelas paredes
Presente nas plantas e até na tinta que reveste as paredes, o verde injeta frescor no apartamento antigo onde mora a fotógrafa Jaclyn Campanaro, em Los Angeles (EUA). Vasos de diferentes tamanhos ganham as prateleiras e as mesas de apoio no living, onde texturas naturais – repare no cesto usado como cachepô sobre a lareira, por exemplo – e móveis com clima de varanda compõem uma mistura descontraída.

10-apartamentos-com-muito-verde-02Varanda que abraça

Esta varanda foi desenhada de maneira que, quando as portas estão abertas, ela se integra totalmente à sala de estar. Vasos terracota, marrom e bronze abrigam espécies como filodendros, palmeiras, patas de elefante, clusias e evônimos. “Criei essa atmosfera justamente para abraçar as salas e humanizar o ambiente, além de facilitar o controle de temperatura de maneira natural”, diz Denise Barretto, responsável pelo projeto.

10-apartamentos-com-muito-verde-03.jpg
Natureza multicolorida

Uma das vantagens deste apartamento de 143 m² em Zapopan, no México, é que o layout já privilegiava a vista do 9º andar, e a luz natural advinda da varanda permitiu que os ambientes integrados recebessem uma porção de plantas. Aqui, os jardins verticais e as estampas maximalistas marcam o décor assinado pelo designer de interiores Erick Millan, em uma explosão de cores e de natureza.

10-apartamentos-com-muito-verde-04.jpg
Tropical chique

O living deste apartamento de frente para o mar em Miami prova que é possível conseguir um resultado chique usando plantas no décor. O clima cubano e referências art déco são os principais trunfos do projeto assinado pelo escritório americano Studio Hus, que leva papéis de parede, móveis de formas orgânicas e toques de dourado.

10-apartamentos-com-muito-verde-05
É permitido pisar na grama

Para criar um clima de floresta urbana no apartamento, vale até grama artificial. Com algumas soluções simples e um toque de bom humor, a proprietária deste imóvel criou uma área de lazer lúdica e divertida com direito a ofurô e um espaço para fazer churrasco, tomar sol e reunir os amigos. Ela apostou em um pergolado de madeira mais baixo, paredes revestidas com placas de buchinho sintético e caixotes de feira misturados a plantinhas de verdade.

10-apartamentos-com-muito-verde-06
Jardins verticais

Este tríplex de 900 m² amplamente iluminado tem jardins verticais em praticamente todos os ambientes. “A ideia era trazer o verde para dentro de casa”, contam as arquitetas Mariana Andersen e Mariana Guardani, do estúdio Casa 14. Um deles acompanha toda a volta do último andar, na área da churrasqueira. O do terraço da biblioteca (no piso intermediário) sobe até o pavimento superior, já que a parede é dupla. O projeto paisagístico é assinado por Gabriella Ornaghi e a instalação das paredes verdes foi executada pelo Movimento 90 graus.=

Sem título14
Um galpão com alma

O loft industrial da stylist holandesa Carin Scheve e do arquiteto italiano Francesco Caramella em Nova York pareceria frio sem a coleção de plantas do casal. Ao lado de móveis de design assinado e poltronas de segunda mão, os moradores dispuseram variadas espécies vegetais em vasos e suportes para compor um jardim interno que traz vida ao galpão de 800 m².

10-apartamentos-com-muito-verde-08.jpg
Vintage com toques naturais

Um casal criativo reformou este apartamento no bairro de TriBeCa, em Nova York, investiu em plantas no décor e o resultado é um clima relaxante e acolhedor. A luz que entra pelas vidraças do loft da década de 1830 permite que as folhagens tropicais de diferentes tamanhos e texturas alcancem o topo do teto de pé-direito duplo. Uma daybed cheia de almofadas convida para alguns momentos de descanso em meio ao verde.

10-apartamentos-com-muito-verde-09
Mix de folhas

Nesta sala criada pelas arquitetas da Selvvva, suportes de ferro e cachepôs coloridos dão um charme a mais na decoração. “A ideia é criar um diálogo com o aspecto orgânico das plantas”, ensina Julia Rettman, sócia da marca, ao lado de Denise Yui.

10-apartamentos-com-muito-verde-10.jpg
Um galho sobre o jantar

No lar de Fred Gelli e Marina Ribas, um apartamento de 300 m² na Gávea, plantas, galhos e memórias acumuladas dão o tom da decoração afetuosa. “Um tronco caído, uma pedra, folhagens, tudo pode se transformar em ferramenta para criação. As formas do relevo carioca são imbatíveis. Basta observar ao redor”, diz o morador.