Mozart in the Jungle | 4ª temporada ganha trailer e data de estreia

A quarta temporada de Mozart in the Jungle ganhou seu primeiro trailer e data de estreia: os novos capítulos vão ao ar em 16 de fevereiro – veja abaixo:

Quatro vezes indicada no Globo de Ouro, a trama acompanha músicos na cidade de Nova York se aventurando por diversas orquestras e apresentações da Broadway. No Brasil, Mozart in the Jungle é transmitida pelo serviço de streaming Amazon Prime Video. [Arthur Eloi]

Anúncios

Nicole Kidman confirma volta de ‘Big Little Lies’, sob nova direção

Exibida pela HBO, a aclamada série “Big Little Lies” irá ganhar uma segunda temporada. A informação é da “Entertainment Weekly”.

17059205.jpegShailene Woodley, Reese Witherspoon e Nicole Kidman em cena da série “Big Little Lies”


Parte da equipe permanece a mesma, com as atrizes Nicole Kidman e Reese Witherspoon como produtoras e protagonistas do programa e David E. Keller como roteirista e produtor. Segundo a HBO, parte do elenco da primeira temporada —que também incluiu nomes como Shailene Woodley, Laura Dern, Zoe Kravitz e Alexander Skarsgaard— também deve retornar.

Há, contudo, uma grande mudança na equipe: apesar dos elogios recebidos, o diretor Jean-Marc Vallée (“Clube de Compras Dallas”), responsável por todos os sete episódios da primeira temporada, será substituído por Andrea Arnold (“Transparent”).

Vencedora do Emmy por sua interpretação, a própria Nicole Kidman confirmou o segundo ano da série em comunicado: “Isto é inspirado pela grande resposta do público ao redor do mundo, disse a atriz, completando que a série está “agora nas mãos da visionária Andrea Arnold.”

A trama da primeira temporada foi baseada no livro de mesmo nome de Liane Moriarty. A versão para a telinha traz um mistério de assassinato com protagonistas da alta sociedade californiana. Além do tema principal, assuntos como abuso contra a mulher, adultério, estupro e rivalidade feminina são abordados.

A produção foi um dos principais destaques na última cerimônia do Emmy, com oito estatuetas.

Marie Kondo terá programa de TV para ensinar a arrumar a casa

A rainha da arrumação já convocou os interessados no seu perfil no Instagram
Por Giovanna Maradei I Fotos: Divulgação

marie_kondo_02Desde o lançamento de seu best-seller, “A Mágica da Arrumação”, a consultora e escritora Marie Kondo tem se tornado sinônimo de organização. Seu método, que além de regras práticas, traz a emoção para dentro do processo arrumação, conquistou o mundo e rendeu à autora mais de 2 milhões de cópias vendidas.

Mas, se você é um dos que ainda não leu o livro – ou tem algumas dúvidas de como descobrir se sua camiseta velha “traz felicidade”, prepare-se! Você está prestes a ter uma nova chance. Já em 2018, a rainha da arrumação vai voltar aos holofotes com um novo programa de TV.

A proposta do programa que, temporariamente, será batizado de “Organizando o mundo com Marie Kondo”, é levar Marie até a casa de diversas pessoas, para ajuda-las a organizar seu lar – e consequentemente a vida toda. “Eu vou trazer a mágica da arrumação para uma nova série, em uma plataforma de TV global”, contou Marie Kondo em sua publicação do Instagram.

A produção do programa é da MysticArt Pictures, produtora que já está convocando participantes, desde que morem em Los Angeles e tenham mais de 18 anos. A ideia é começar as filmagens entre março e junho de 2018 e, por enquanto, os interessados podem tanto se candidatar quanto indicar seu amigo mais desordenado para participar.

Para além da novidade, Kondo já teve seu próprio especial de TV, chamado “Tidy Up With KonMari!”, na TV pública japonesa e a NBC diz estar trabalhando em um show de comédia que será inspirado por ela e deve contar a história de uma jovem que tenta reorganizar sua vida.

The Crown | Os Kennedys são destaque no novo vídeo da segunda temporada

A segunda temporada de The Crown ganhou um novo vídeo que foca na família Kennedy:

The Crown retorna com novos episódios no dia 8 de dezembroMatt SmithVanessa KirbyVictoria Hamilton e Jeremy Northam retornam junto de Foy para o segundo ano da série.

Entre os novos nomes no elenco estão Matthew Goode com um fotógrafo casado com a princesa Margaret e Michael C. Hall como John F. Kennedy. A primeira temporada completa está disponível no catálogo da Netflix. [Camila Sousa]

Matthew McConaughey quase fez o papel de Jack em ‘Titanic’, diz atriz Kate Winslet no ‘The Late Show with Stephen Colbert’

A revelação foi feita pela atriz Kate Winslet durante participação no ‘The Late Show with Stephen Colbert’

Sem título.png9Durante programa de entrevistas, a atriz Kate Winslet revelou que o papel de Jack, em ‘Titanic’, quase foi para Matthew McConaughey


Com o aniversário de 20 anos do lançamento do filme Titanic se aproximando, a atriz Kate Winslet, que interpretou Rose na produção, fez uma revelação durante participação no The Late Show with Stephen Colbert desta última segunda-feira, 4: o papel de Jack, que desencadeou a carreira de Leonardo DiCaprio, quase foi para Matthew McConaughey.
“O estúdio queria Matthew, mas James [Cameron, o diretor do filme] bateu o pé para Leo ser contratado para o papel”, disse Kate. “O meu teste foi com o Matthew, isso não é estranho? Nunca disse isso em público antes. Fiz o teste com o Matthew e foi fantástico, mas o filme provavelmente não seria a mesma coisa”, completou.

A atriz também revelou que ficou com hipotermia na cena final do filme em que Jack morre. “A água estava extremamente fria, eram tanques enormes e provavelmente não tinha como esquentar aquilo tudo a tempo de gravar as cenas”, riu.

Veja abaixo a participação de Kate no programa, em que ela responde também a outras curiosidades sobre o filme.

Estilosa, minissérie “Liar” sobre estupro mescla ‘The Affair’ e ‘Broadchurch’

17338284
Joanne Froggatt como a personagem Anna Bates na série “Liar”, da Sundance TV

Teté Ribeiro
Editora da “Serafina”

Em “Downton Abbey”, a personagem Anna Bates, interpretada pela atriz Joanne Froggatt, passou por situações embaraçosas e violentas, desde carregar o corpo de um hóspede morto até lutar pela inocência de seu marido preso. Chegou a ser estuprada pelo serviçal de um convidado. Tudo sem perder a discrição.

A personagem que ela interpreta na boa minissérie “Liar”, da Sundance TV, disponível na Apple TV, tem semelhanças e diferenças com Bates.

A semelhança é que ela também pode ter sido vítima de um estupro. A diferença é que não vai esconder o fato, pelo contrário: fará uma campanha contra quem ela imagina ser seu agressor.

Afinal, sua Laura Nielson é uma mulher atual, independente, uma professora de ensino médio recém-separada, que gosta de beber e se divertir.

Uma noite, ela decide aceitar o convite para jantar de um médico bonitão, Andrew Earlham (Ioan Gruffudd), pai de um aluno seu.

Eles moram numa cidade pequena à beira-mar, daí o clima que lembra “Broadchurch” –a série também foi filmada numa bela paisagem, agora em Kent, na costa leste inglesa, onde Julio César teria desembarcado em 55 a.C. Mas o suspense que se segue aproxima as séries ainda mais.

O encontro vai superbem e os dois terminam a noite na casa dela para um último drinque. No dia seguinte, ela acorda semivestida em sua cama e convencida de que foi estuprada. Mas não lembra de todos os detalhes daquela noite e não consegue contar sua versão de maneira assertiva para a polícia.

Os dois detetives que pegam o caso têm dificuldade com os detalhes faltando, mas acreditam nela.

Ele nega tudo e parece inocente. Diz que o sexo foi consensual, que os dois tinham bebido e ela não disse “não” em nenhum momento.

Conta que saiu do quarto para pegar uma camisinha no banheiro, indicado por ela, e que nem naquela hora ela se levantou da cama. Ele é um cirurgião bem-sucedido e atraente, ela é uma mulher sozinha e complicada.

Alguém está mentindo, mas o público fica sem saber qual dos dois. Daí a proximidade com “The Affair”, em que cada um tem uma versão da história. As duas são terríveis: ela pode ter sido estuprada por um conhecido e ele pode estar sendo vítima de uma acusação falsa.

Não só: os personagens secundários não são bidimensionais, como costuma ocorrer em séries, e todos têm uma mentira importante para esconder.

Laura Nielson parece a personagem mais complexa. Bebe muito, toma remédios e tem histórias estranhas no passado. O grande segredo de “Liar” é revelado logo, e a minissérie vai de melodrama para suspense psicológico, aproximando-se ainda mais de “Broadchurch”, mas talvez sem todos os recursos de roteiro.

Quanto mais a história se revela, mais os personagens tomam atitudes radicais.

Criada pelos irmãos ingleses Harry e Jack Williams, de “The Missing”, é estilosa e bem cuidada, os cenários são todos interessantes, a música complementa, mas não incomoda. Nas situações mais extremas, as cenas levam a audiência a acreditar que aquilo poderia acontecer, nada perde a verossimilhança.

“Liar” não é tão boa quanto “Broadchurch” ou “The Affair”, mas segura o espectador do começo ao fim. E tem a vantagem de ser curta, seis episódios de menos de uma hora cada um. E uma trama que não pode ser mais atual. LIAR (muito bom)  ONDE Apple TV