Melissa McCarthy e Octavia Spencer ganham poderes em trailer de Esquadrão Trovão

Filme da Netflix não tem data de estreia

Melissa McCarthy e Octavia Spencer viram super-heroínas no trailer de Esquadrão Trovão

A Netflix divulgou o trailer legendado de Esquadrão Trovão (Thunder Force), novo filme estrelado por Melissa McCarthy e Octavia Spencer.

O longa conta a história de duas mulheres comuns que adquirem super-poderes inesperadamente e passam a fazer parte de um mundo novo de super-heróis. O filme é escrito e dirigido pelo marido de McCarthy, Ben Falcone, que já colaborou com a atriz em comédias como A Chefa e A Alma da Festa

O longa ainda não teve a data de estreia definida. 

Apple TV+ terá série de contos feministas com Nicole Kidman

Das criadoras de “GLOW”, a série terá também Cynthia Erivo, Merritt Wever e Alison Brie

CREDIT:STEVEN CHEE @STEVENCHEE @DLM_AU

Mais um dia, mais uma novidade para o Apple TV+ — e hoje com um dos nomes mais reverenciados de Hollywood: a Maçã anunciou o sinal verde para a produção da série “Roar”, que terá ninguém menos que Nicole Kidman (vencedora do Oscar por “As Horas”) no elenco.

A série antológica, baseada num livro de crônicas homônimo escrito por Cecilia Ahern, terá oito episódios de meia-hora, cada um deles desafiando gêneros e contando uma crônica feminista a partir do ponto de vista de uma mulher.

Além de Kidman, o elenco da série contará também com Cynthia Erivo (“Harriet”), Merritt Wever (“Nurse Jackie”) e Alison Brie (“Entre Realidades”).

As showrunners e criadoras da produção são Liz Flahive e Carly Mensch, de “GLOW” — “Roar”, inclusive, é o primeiro fruto de um acordo de prioridade de longo prazo assinado por Flahive e Mensch com a Apple. Kidman também será produtora executiva, bem como Ahern.

A Apple prometeu divulgar mais nomes do elenco de “Roar” num futuro próximo, então ficaremos de olho. Promissor! {MacMagazine]

Netflix confirma segunda temporada da série ‘Cidade Invisível’

História se passará em outra região do Brasil, não mais no Rio de Janeiro, e os novos personagens ainda não foram divulgados
Bárbara Correa, O Estado de S.Paulo

Foto: NETFLIX

Netflix anunciou nesta terça-feira, 2, que a série Cidade Invisível terá uma segunda temporada. A notícia foi compartilhada nas redes sociais da plataforma, em um vídeo estrelado por Marcos Pigossi, o protagonista. 

Segundo comunicado enviado à imprensa, a nova temporada da produção nacional irá retratar outra região do Brasil, não mais o Rio de Janeiro. Os novos personagens que irão habitá-la, no entanto, são segredo. O elenco ainda não está confirmado, mas trará novidades.  

Cidade Invisível foi sucesso de público e crítica e chegou a ficar na lista do top 10 das atrações mais vistas do serviço de streaming em mais de 40 países. A trama conta a história de um fiscal ambiental (Pigossi) que busca descobrir os reais motivos da morte de sua esposa – que parecem estar ligados diretamente ao surgimento do boto rosa na praia.

Nessa investigação, ele acaba se deparando com seres mitológicos do folclore brasileiro, como Cuca, que é interpretada por Alessandra Negrini, Saci Pererê, Iara e Curupira; e corre contra o tempo para salvar sua família de uma maldição.  

“É uma alegria enorme ver um produto nosso, do Brasil, chegar a tantas partes do mundo e agradar a tantas pessoas. Foi o meu primeiro projeto 100% brasileiro e eu não poderia estar mais feliz com a oportunidade de seguir contando essa história. Recebi muitos comentários, li bastante sobre o que as pessoas desejam para a continuação, e estou levando tudo em consideração para trazer ao público uma sequência bacana”, celebrou Carlos Saldanha, criador e co-produtor da série. 

O enredo é inspirado em uma história desenvolvida por Carolina Munhóz e Raphael Draccon, tendo Mirna Nogueira como roteirista-chefe. A série é dirigida por Luis Carone e Julia Jordão.

O número de ouvintes de podcast do Spotify ultrapassará o da Apple este ano

Article by Insider Intelligence Editors  |  Mar 1, 2021

Parece que os investimentos em podcast do Spotify estão valendo a pena. Pela primeira vez, o número de ouvintes de podcast do Spotify nos EUA ultrapassará os podcasts da Apple, de acordo com a última previsão da eMarketer. Este ano, 28,2 milhões de pessoas ouvirão podcasts no Spotify pelo menos uma vez por mês, enquanto 28,0 milhões ouvirão via Apple Podcasts. Spotify experimentou um crescimento significativo nos últimos anos; a empresa crescerá 41,3% neste ano.

Apesar de seu crescimento, o Apple Podcasts vem perdendo sua parcela de ouvinte de podcast desde que começamos a rastreá-lo em 2018. Naquela época, ele representava 34,0% dos ouvintes de podcast, que cairá para 23,8% em 2021.

“Ao colocar podcasts e música em um só lugar, o Spotify rapidamente se tornou o balcão único e conveniente para tudo o que é áudio digital”, disse o analista de previsão da eMarketer da Insider Intelligence Peter Vahle. “A Apple foi o destino de fato para podcasts por muito tempo, mas nos últimos anos, ela não acompanhou o ritmo de investimento e inovação do Spotify em conteúdo e tecnologia de podcast. Os investimentos do Spotify capacitaram criadores de podcast e anunciantes por meio de suas ferramentas proprietárias de hospedagem, criação e monetização. ”

No geral, haverá 117,8 milhões de ouvintes de podcast mensalmente em 2021, um aumento de 10,1% ano a ano (YoY). Este ano, os ouvintes de podcast representarão 53,9% dos ouvintes de áudio digital mensal, ultrapassando 50% pela primeira vez. Prevemos que mais ouvintes de áudio começarão a ouvir podcasts mensalmente, levando a uma participação de 60,9% em 2024.

Este ano, US $ 1,28 bilhão será gasto em publicidade de podcast, ultrapassando US $ 1 bilhão pela primeira vez, representando um aumento de 41,0% A / A. A publicidade de podcast continua ganhando participação nos gastos totais com anúncios de áudio digital, representando 24,0% em 2021.

Taylor Swift critica piada sobre ela em série Ginny & Georgia da Netflix

Em suas redes sociais, cantora chamou o comentário de machista

A cantora Taylor Swift fez duras críticas ao seriado Ginny & Georgia por ter feito uma piada usando seu nome. Em uma episódio, um dos personagens diz: “por que você se importa? Você passa por homens mais rápido que a Taylor Swift”.

Nas redes sociais, Swift chamou o comentário de machista. “Ei, Ginny & Georgia! 2010 ligou e quer a sua piada preguiçosa e profundamente machista de volta. Que tal pararmos de degradar mulheres que trabalham duro ao definir essa merda como sendo ‘engraçada'”. Aliás, depois de Miss Americana, essa roupa não fica boa em você, Netflix. Feliz Mês da História das Mulheres, eu acho”, disse ela.

Miss Americana, que a cantora cita, é um documentário disponível na Netflix que narra parte da história de Swift.

Ginny & Georgia estreou no streaming no dia 24 de fevereiro e conta a história de Georgia, que leva seus filhos Ginny e Austin para uma nova cidade, em busca de uma nova vida. Mas nem tudo sai como o esperado.

‘Soulmates’ tem bons roteiros, mas falta emoção

PATRÍCIA KOGUT

Cena de ‘Soulmates’ (Foto: Divulgação)

Durante mais de uma década, a televisão buscou “o novo ‘Lost’”. A série da ABC foi fundadora de um tipo de narrativa. Ela misturava aventura com suspense, tecnologia e doses de sobrenatural. Um grupo de sobreviventes se via numa ilha da qual era impossível escapar. Talvez estivessem em uma geografia perdida, mas o mais provável é que tivessem passado para outra dimensão. Atores bonitos, paisagens lindas (a locação era o Havaí) e muitos mistérios compunham essa fórmula irresistível. Foi um fenômeno pop que deixou muita saudade quando terminou, em 2010. “Black mirror”, lançada em 2011 no Channel 4 e logo comprada pela Netflix, é o “novo ‘Lost’”. Inventou uma linguagem e conquistou legiões de fãs. Ela é copiada por outras séries que estrearam posteriormente. “Soulmates” (a tradução literal é almas gêmeas), recém-lançada pela Amazon Prime Video, se inscreve nessa categoria. É recomendada como “o novo ‘Black mirror’”. Só esse aposto já diz muito. “Soulmates” tem qualidades, mas chegou depois e não encanta pela novidade.

São seis episódios de histórias independentes com um tema comum: o encontro com a alma gêmea. É um futuro indefinido, mas a busca pelo amor romântico ainda move tudo. E falando em futuro, a ideia de que estamos em outra cronologia se estabelece em recados eventuais. Eles são menos radicais do que os de “Black mirror”. Há aparelhos de celular diferentes, assim como as telas de computador. Mas, no geral, o mundo parece familiar. Os carros são os de hoje, as aulas numa universidades, também. Uma estética de propaganda embala tudo. É uma realidade ideal, sem poluição, com casas confortáveis e paisagens verdes. Aquela noção de que o planeta não deu certo passa longe daqui. O mundo já é quase perfeito. Só falta encontrar o par ideal. Até isso soa fácil porque uma empresa, a Soul Connex, oferece os testes e busca a resposta em seu cadastro. É uma versão evoluída dos aplicativos de encontro.

O elenco é cheio de estrelas. Sarah Snook (a Shiv de “Succession”) estrela o primeiro episódio; David Costabile (o Wags de “Billions”), o segundo; a espanhola Laia Costa Bertrán está no terceiro. Por aí vai.

Cada episódio é uma fábula em torno da ideia do “felizes para sempre”. Os roteiros são bem-construídos e os desfechos trazem pequenas lições, mas elas não são necessariamente moralizantes. Menos do que os textos, incomoda a realização. É tudo muito limpinho, chapado. Falta emoção. “Soulmates” merece a sua atenção, sim, mas com o aviso: ela é um “queijo tipo gorgonzola”, uma “Black mirror” que passou pela máquina de lavar com muito amaciante.

Apple TV + filmagem de ‘Truth Be Told’ encerrada por manifestantes em LA

Ben Lovejoy – Feb. 26th 2021 6:23 am PT@benlovejoy

As filmagens de um episódio do programa Truth Be Told da Apple TV + tiveram que ser abandonadas depois que manifestantes interromperam as filmagens no Leimert Plaza Park de Los Angeles …

Os manifestantes se opuseram ao fato de o parque estar aberto à Apple para filmagens, ao passo que foi fechado para moradores de rua que quisessem dormir lá durante a noite.

Deadline reports:

Uma filmagem no histórico Leimert Plaza Park de South L.A. para a segunda temporada do drama policial AppleTV + foi repentinamente interrompida hoje, quando manifestantes locais se opuseram veementemente à presença da equipe e do elenco.

Chamados de “membros da comunidade” pelo FilmLA, os manifestantes estavam preocupados principalmente com a situação dos sem-teto na Cidade dos Anjos e a anunciada presença da estrela de Octavia Spencer se tornou o objeto de sua ira.

Especificamente, os manifestantes organizados se opuseram a como as filmagens puderam continuar em áreas como Leimert Plaza Park, enquanto a jurisdição foi negada àqueles sem um teto sobre suas cabeças. Embora os portões do Leimert Plaza Park estejam abertos durante o dia, muitos parques foram fechados ou fortemente restringidos por autoridades civis nos últimos meses devido à pandemia do coronavírus.

Com cerca de dez membros da equipe Truth Be Told no local, a filmagem permitida do FilmLA foi interrompida por volta das 15h, pois as coisas esquentaram muito rapidamente […]

O plano era filmar uma cena de flashback para a personagem da apresentadora de podcast policial de Spencer, Poppy Parnell, e seu produtor Noa Havilland, interpretado por Katherine LaNasa. Como o foco estava em um flashback, nem o vencedor do Oscar Spencer, nem o ex-aluno de Longmire, LaNasa, estavam realmente presentes. Ainda assim, havia duas atrizes no parque na quinta-feira interpretando a jovem Parnell e Havilland. Eles retiraram-se com o resto da produção. O LAPD entrou em cena logo depois que a situação começou a piorar.

O relatório diz que é improvável que a tripulação volte ao parque, e um local de aparência semelhante será usado em seu lugar.

Vimos pela primeira vez o drama criminoso de podcast Truth Be Told em 2019, quando a Apple o provocou.

Wagner Moura e Elisabeth Moss em ‘Shining Girls’ para Apple TV

Wagner Moura como protagonista ao lado de Elisabeth Moss

A estrela de “Narcos” Wagner Moura foi escolhida como protagonista ao lado de Elisabeth Moss em “Shining Girls”, a próxima série de suspense metafísica da Apple TV+ baseada no romance best-seller de Lauren Beukes em 2013, relata Prazo. Centra-se em um errante da era da Depressão que deve assassinar as “garotas brilhantes” para continuar suas viagens.

Moura fará o papel de Dan, um jornalista veterano que está contando a história de um ataque de imitadores. Moss interpreta uma repórter de Chicago que sobreviveu a um ataque brutal apenas para descobrir sua realidade mudando enquanto ela caça seu agressor.

Vinda da MRC Television, a série será adaptada para a televisão e produzida por Silka Luisa, que também atuará como showrunner. Além de estrelar, Moss será o produtor executivo da Love & Squalor Pictures ao lado de Lindsey McManus. Leonardo DiCaprio será o produtor executivo da Appian Way ao lado de Jennifer Davidson. Os autores Lauren Beukes e Alan Page Arriaga também serão produtores executivos do projeto.

4ª temporada de The Handmaid’s Tale ganha trailer intenso

Prévia mostra nova missão de June

Hulu divulgou o primeiro trailer da quarta temporada de The Handmaid’s Tale (ou O Conto da Aia), que mostra June (Elisabeth Moss) partindo em uma missão contra o regime fascista. Veja acima.

A quarta temporada está marcada para 28 de abril nos Estados Unidos. No Brasil, as três primeiras temporadas de The Handmaid’s Tale estão disponíveis no Globoplay.