Morre Paulo Diniz, figura da MPB por trás de ‘Pingos de Amor’, aos 82 anos

Além da música gravada por nomes como Paula Toller, artista também é autor de ‘I Want to Go Back to Bahia’

O cantor Paulo Diniz – Reprodução

Paulo Diniz, músico da MPB conhecido por sua famosa composição “Pingos de Amor”, morreu aos 82 anos nesta quarta-feira. De acordo com comunicado divulgado nas redes sociais do artista, ele morreu de causas naturais em sua residência, às sete da manhã.

“Com imenso pesar, confirmamos a morte do cantor e compositor Paulo Diniz”, declarou a nota. “O velório e enterro serão restritos para amigos e familiares. Nossos sinceros e profundos sentimentos à família, aos amigos e fãs.”

Nascido em Pernambuco em janeiro de 1940, Diniz chegou a trabalhar como locutor e ator de rádio e televisão antes de se dedicar integralmente à música. Foi no Rio de Janeiro, a partir de suas apresentações na rádio Tupi na década de 1960, que ele passou a fazer composições musicais com mais frequência.

Um de seus clássicos mais conhecidos é a música “I Want to Go Back to Bahia”, lançada em 1970 nas rádios brasileiras. A letra da canção é uma homenagem a Caetano Veloso —de quem Diniz era amigo—, que estava exilado em Londres desde 1969 em decorrência da ditadura militar brasileira.

Outra obra famosa de Diniz foi “Pingos de Amor”, que alcançou sucesso com gravações de artistas como Paula Toller, da banda Kid Abelha.

“Que Deus conforte os corações dos familiares e coloque ele em um bom lugar”, escreveu o cantor Luan Estilizado em homenagem a Diniz, por meio de comentário à nota sobre a morte do artista no Instagram.

“Esse pernambucano querido escreveu uma das músicas mais belas e conhecidas do nosso cancioneiro. ‘Pingos de Amor’ atravessa gerações, mas não foi a única composição genial da sua lavra”, escreveu a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, do PCdoB, em sua conta do Facebook. “Daqui, nossa homenagem nessa despedida e um abraço fraterno e solidário à Iluminata, sua esposa, e toda a família, amigos e fãs —como eu— deste grande ícone da música brasileira.”

Kendrick Lamar revela clipe intenso de “N95”

Vídeo foi dirigido por Lamar em parceria com Dave Free
JULIA SABBAGA

Kendrick Lamar revelou hoje o clipe de “N95”, faixa que faz parte de seu recém-lançado álbum Mr. Morale & The Big Steppers. O vídeo, dirigido por Dave Free em parceria com Lamar, pode ser conferido acima. 

O novo álbum de Lamar é dividido em dois discos, com 18 faixas no total e participações de nomes como Ghostface KillahSampha e Baby Keem

O último disco de Kendrick Lamar foi DAMN, em 2017 (leia a crítica). No ano seguinte, ele chegou a contribuir para a trilha sonora oficial de Pantera Negra.

Dr Dre, Snoop Dogg, Eminem, Mary J Blige & Kendrick Lamar FULL Pepsi Super Bowl LVI Halftime Show

Dr Dre, Snoop Dogg, Eminem, Mary J Blige & Kendrick Lamar FULL Pepsi Super Bowl LVI Halftime Show

Tia Carroll: ‘As mulheres do blues que não aceitaram um não como resposta acabaram sendo ouvidas’

Blueswoman de Richmond, Califórnia, Tia está no Brasil para lançar o álbum ‘You Gotta Have It’ com o guitarrista Igor Prado; show será nesta sexta, no Bourbon Street
Julio Maria, O Estado de S.Paulo

Cantora Tia Carroll

Quanto mais vida, mais voz – e, ao menos no blues, isso não tem a ver com idade. Tia Carroll, nascida em 1958 em Richmond, Califórnia, viveu muito até começar a cantar em uma banda de rock, no início dos anos 80. Sensação instantânea, seu caminho se cruzaria com figuras estupendas do blues dos anos 50 e 60, com as quais cantou em tempos diferentes como apoio: o bluesman Jimmy McCracklin, de The Walk, e a explosiva lady de 1,50 metro, a blueswoman Sugar Pie De Santo. Agora, o tempo de Tia Carroll é anunciado por prêmios o Band Leader of the Year, de 2016; West Coast Best Female Blues Vocalist, de 2017; e Traditional Blues Woman of The Year, de 2018. Ela está em plena forma, e está no Brasil.

Tia se apresenta nesta sexta, 3 de dezembro, na casa Bourbon Street. Vem com um álbum chamado You Gotta Have It, produzido por Jim Pugh, o mesmo produtor de Robert Cray, com blues, rock, soul e balada dos anos 50. “Este álbum revela muitas das minhas histórias de vida”, ela diz. A seu lado, estarão músicos brasileiros como o excelente guitarrista Igor Prado, que no álbum toca a faixa Move On, o também guitarrista Rodolfo Crepaldi, o baixista Rael Lúcio e o baterista Juninho Isidoro. O Bourbon abre seu Jazz Café às 18h e o show começa às 21h. O ingresso sai por R$ 75 e o tel para reservas de mesa é 5095-6100, além do Whatts (somente texto): 97060-0113. A casa pede comprovante de vacinação em dia. 

Ao Estadão, Tia Carroll respondeu a algumas perguntas sobre blues e, claro, mulheres no blues:

Seu álbum You Gotta Have It tem blues, soul, rock, R&B, balada dos anos 50 … Como você construiu esse repertório? Podemos dizer que você viveu cada um desses gêneros?

Eu cresci ouvindo todos esses tipos de música no rádio e no aparelho de som de meus pais, então sim, você pode dizer com confiança que vivi cada um desses gêneros musicais. Este álbum realmente revela muitas das minhas histórias de vida.

Gostaria de saber sobre sua experiência com Jimmy McCracklin. O que você pode dizer que aprendeu com ele?

Foi uma ótima experiência poder trabalhar com Jimmy. Ele me tratou como se eu fosse sua filha, como fez com os outros vocalistas de apoio. Jimmy McCracklin se sentia muito confortável com sua música e acho que essa foi a melhor lição que ele deixou para mim. Estar confortável em seu próprio desempenho é uma experiência maravilhosa para os ouvintes.

E Sugar Pie DeSanto? Como foi sua história com ela? O que ela te ensinou?

Oh meu Deus, Sugar Pie DeSanto é uma criatura pequena com uma tremenda energia e emoção. Assisti-la agarrar o público e segurá-los até que estivesse pronta para deixá-los ir foi absolutamente incrível. Ainda estou aprendendo com ela, a lição ainda não acabou.

Carroll, você diria que o blues é um gênero machista? Por que as mulheres demoram tanto para aparecer?

Oh, as mulheres estiveram lá o tempo todo, mas a promoção das músicas produzidas por elas foi pouca. Os homens, que sempre fizeram a maior parte das agendas e das promoções, colocavam outros homens na frente. Eu sinto que havia diante das mulheres uma mentalidade do “entre quando e onde você couber”, mas algumas mulheres fortes que não aceitariam um não como resposta para sair da frente acabaram sendo ouvidas.

Assim como Sugar Pie DeSanto, quais outras cantoras ainda não foram reconhecidos mundialmente no blues? Você pode nos dizer alguns nomes?

Bem, essa é uma pergunta difícil. Neste ponto, a maioria das vocalistas de blues são reconhecidas em suas próprias áreas, mas, novamente, é necessária uma máquina de mídia para que elas tenham alcance mundial. Hoje também é preciso perseverança por parte das cantoras. Você tem que se manter ocupado com programas, gravações e redes sociais. É um trabalho 24 horas, e quem tem tempo para dormir?

Bruno Mars & Anderson .Paak as Silk Sonic – Fly As Me (LIVE BET Soul Train Awards 2021)

Bruno Mars, Anderson .Paak, Silk Sonic – Fly As Me – Live from the BET Soul Train Awards 2021

Billy Paul – Me and Mrs. Jones (Official Soul Train Video)

PhillySound on Soul Train presents: “Me and Mrs. Jones” by Billy Paul (November 4, 1972)

Marvin Gaye – What’s Going On (Lyric Video)

Marvin Gaye’s iconic album “What’s Going On” is presented as a visual album for its 50th anniversary.

Director: Tim Fox
Producer: Dezi Catarino