Lorenzo Bertelli, o herdeiro da Prada pode ser o sucessor real de Patrizio e Miuccia

90618-lorenzo-bertelli-550x367 (1)
Lorenzo Bertelli

Lorenzo Bertelli, o filho de Miuccia Prada e Patrizio Bertelli (casal que é dono da Prada, se é que alguém ainda não sabe), até pouco tempo atrás atuava como piloto de rali. Mas o rapaz de 30 anos tem um papel importante na empresa que vai herdar, que gera especulações. O grupo ainda não tinha anunciado que Lorenzo faz parte do quadro de funcionários, mas desde setembro ele é diretor da comunicação digital! A formação dele? Filosofia!

grupo Prada SpA, do qual atualmente Miuccia e Patrizio controlam cerca de 80%, tem a Prada, Miu Miu, Church’s e Car Shoe em sua cartela de marcas. Esse posicionamento de Lorenzo afasta a possibilidade de uma venda pra algum dos conglomerados de luxo como LVMH e Kering em um futuro próximo. De qualquer forma, a grife vem sofrendo quedas nos lucros. No desfile de setembro de 2017, Miuccia não quis falar sobre o assunto: “As pessoas dizem que eu sou punk. Não quero ser julgada por vendas.” Os dois primeiros meses de 2018 foram mais promissores, com crescimento de 7% – de qualquer forma, muito longe dos 38% da Gucci, do Kering, nesse primeiro trimestre.

E a área digital da Prada tem um déficit estratégico importante – a marca não conseguiu acompanhar a concorrência (vide a já citada Gucci, Burberry e outras) nessa nova era de e-commerce e mídias sociais até agora. Lorenzo tem esse grande desafio pela frente.

Anúncios

A pré-estreia do “Oito Mulheres e um Segredo” em NY!

cate-blanchett-sarah-paulson-sandra-bullock (1).jpg
Cate Blanchett, Sarah Paulson e Sandra Bullock (Jamie McCarthy/Getty Images)

filme estreou – você já foi assistir?! – e agora veja o tapete vermelho de “Oito Mulheres e um Segredo” na pré-estreia que rolou nessa semana em NY! Todas as oito estrelas estavam presentes, a saber: Rihanna, Cate Blanchett, Sandra Bullock, Mindy Kaling, Awkwafina, Sarah Paulson, Helena Bonham Carter e Anne Hathaway. Mas também teve participações especiais no evento, tipo a brasileira Adriana LimaGigi HadidEzra Miller e mais … [Lilian Pacce]

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bazar Online de Vestidos de Festa Arrecada Fundos para Combate ao Câncer

slide-1525801159861-5027734799-dfb619b92b7d42b3f3b83039df68cb091525801163Com uma visão disruptiva do consumo da moda voltada para o aluguel de roupas e acessórios, a Same No More promove seu primeiro bazar online de vestidos de festa destinando 10% da renda ao Instituto Humsol, que tem como foco o combate ao câncer, sua prevenção e o apoio aos pacientes.

Depois de fazer com que várias mulheres se sentissem maravilhosas usando um vestido lindo em um evento especial, a Same No More está dando adeus à algumas peças cheias de histórias que fizeram parte do seu acervo.
Esta é uma excelente oportunidade para comprar peças gentilmente usadas de designers renomados com até 90% de desconto e ainda fazer a diferença contribuindo no combate ao câncer.

“Todo o valor arrecadado será aplicado em projetos sociais voltados para o apoio ao paciente com câncer. Graças a eles, podemos proporcionar mais qualidade de vida a estas pessoas que passam por momentos muito difíceis. ” – Tania Mary Gomez, Presidente do Humsol

Diferente dos bazares anteriores, nesta edição a startup disponibilizou todas as peças para venda online para que mulheres de todo o Brasil tivessem acesso. Outra vantagem desta edição é poder contar com a ajuda de Personal Stylists via chat e WhatsApp, para confirmar se o vestido serve e receber dicas de styling.

“A edição online do Bazar foi um pedido das nossas próprias clientes, super conectadas e ligadas ao consumo consciente. Como elas estão em diversas partes do Brasil, fazer um bazar online faz muito sentido para realmente democratizar a moda!” – Anelize Aguiar, Diretora de Marketing da SNM

Todas as peças à venda estão disponíveis aquihttps://bazar.samenomore.com.br/

Com 66% dos votos, Irlanda decide pela legalização do aborto

País não permitia interrupção da gravidez nem em casos de estupro; governo deve reformular a lei para liberar aborto nos 3 primeiros meses da gestação

IRELAND-ABORTION-REFERENDUMDUBLIN – A República da Irlanda anunciou neste sábado, 26, ampla vitória do ‘sim’ no referendo sobre a flexibilização da lei relacionada ao aborto – uma das mais restritivas do mundo. Segundo as autoridades, 66% do eleitorado – 1,4 milhão de pessoas – votou a favor da mudança da legislação atual na consulta popular realizada nessa sexta-feira, 25. Cerca de 724 mil votaram ‘não’.

IRELAND-ABORTION-REFERENDUM
Defensores da legalização do aborto, a maioria mulheres, foram às ruas de Dublin para comemorar o resultado do referendo. Foto: Barry Cronin/AFP

O resultado é uma vitória histórica pelos direitos das mulheres no país de tradição católica conservadora. Mais de 64% da população foi às urnas para opinar sobre o tema – uma das participações mais altas já registradas em um referendo na Irlanda.

A população foi questionada sobre a manutenção ou extinção da emenda constitucional aprovada em referendo de 35 anos atrás, que proibiu a interrupção da gravidez em qualquer hipótese. Em 2013, parte da proibição foi retirada para permitir o aborto somente em casos de risco à vida da gestante. A intervenção seguia ilegal para casos de estupro, incesto ou malformação do feto. Mulheres que abortassem e profissionais que realizassem o procedimento poderiam ser punidos com até 14 anos de prisão.

El referéndum irlandés sobre el aborto transcurre con participación "animada"
Cartaz da campanha pelo “sim” à reforma da lei do aborto na Irlanda   Foto: EFE/ Aidan Crawley

Com o fim da ‘oitava emenda’, o governo deverá redigir uma nova legislação para permitir o aborto em todas as circunstâncias durante as primeiras 12 semanas de gravidez e, em casos excepcionais, até 24 semanas. A expectativa é de que as novas regras sejam aprovadas até o final deste ano.

O primeiro-ministro, Leo Varadkar, afirmou que este é um dia histórico no país. Ele disse querer garantir menos gestações de risco e melhor educação sexual nas escolas. Com o aval do referendo, Varadkar prometeu agir rápido para a formulação da nova legislação sobre o aborto.

“A violenta dor de décadas de maus tratos às mulheres irlandesas não pode ser apagada. No entanto, hoje garantimos que ela não precisa ser revivida”, disse o primeiro-ministro, em pronunciamento após o anúncio do resultado./ Reuters e NYT

Sinn Fein leader Mary Lou McDonald and Michelle O'Neill leader of Sinn Fein in Northern Ireland hold up a placard as they celebrate the result of yesterday's referendum on liberalizing abortion law, in Dublin
As líderes do movimento Sinn Fein, Mary Lou McDonald, e Michelle O’Neill, da Irlanda do Norte, celebram o resultado e levantam cartaz ‘O Norte é o próximo’.  Foto: Clodagh Kilcoyne/Reuters

Acusadoras de Weinstein expressam alívio por acusações de estupro

Produtor foi formalmente acusado de estupro após décadas de condutas sexuais impróprias

harvey
Harvey Weinstein é levado para corte americana nesta sexta-feira, 25 Foto: REUTERS/Shannon Stapleton

LOS ANGELES — Mulheres de Hollywood expressaram alívio e esperança nesta sexta-feira, 25, quando o produtor Harvey Weinstein foi acusado de estupro após décadas de supostas condutas sexuais impróprias.

Weinstein foi recebido por diversos fotógrafos e cinegrafistas ao entrar em uma delegacia na cidade de Nova York para ser acusado de dois crimes de estupro e um de ato sexual criminoso envolvendo duas mulheres não identificadas. Ele foi posteriormente solto após uma fiança de 1 milhão de dólares em dinheiro.

Weinstein, de 66 anos, nega ter feito sexo não consensual com qualquer pessoa e seu advogado disse que seu cliente irá se declarar inocente.

A atriz italiana Asia Argento, uma das mais de 70 mulheres que acusaram Weinstein de conduta sexual imprópria, tuitou sobre a rendição do produtor.

“Este é o único filme pelo qual Harvey Weinstein será lembrado”, escreveu Argento. “Hoje Harvey Weinstein dará seu primeiro passo em sua inevitável descida ao inferno.”

Weinstein foi acusado após uma investigação de sete meses em Nova York e mais de 20 anos de supostas condutas impróprias.

A atriz Rose McGowan, que acusou Weinstein de ter a estuprado em 1997, disse no programa Megyn Kelly Today, da NBC, que nunca acreditou que este dia chegaria.

“Nós pegamos você, Harvey Weinstein, nós pegamos você”, escreveu McGowan posteriormente no Twitter.

As acusações contra o cofundador do estúdio de cinema Miramax ajudaram a levantar o movimento #MeToo, no qual pessoas compartilharam histórias de abusos sexuais, e a campanha Time’s Up contra assédio sexual no ambiente de trabalho.

Em comunicado, a campanha Time’s Up elogiou as acusações contra “um homem cujas ações foram tão notórias que geraram uma reavaliação global”.

A atriz Heather Graham, de Boogie Nights – Prazer Sem Limites, que falou sobre encontros perturbadores com Weinstein no início da década de 2000, escreveu no Twitter que, ao invés de focar nele, ela irá celebrar mulheres poderosas.

“Isto é somente o começo #OFuturoÉFeminino”, tuitou Graham.

Entre outras mulheres que se pronunciaram, a estrela de Poderosa AfroditeMira Sorvino, tuitou “#Justiça” ao lado de uma reportagem sobre Weinstein.

Louisette Geiss, outra acusadora de Weinstein, tuitou que já era hora. “Emocionada e muito orgulhosa de estar ao lado das bravas mulheres e homens que estão criando um novo normal”.

A jornalista Jodi Kantor, do New York Times e que compartilha um prêmio Pulitzer por sua reportagem sobre as acusações envolvendo Weinstein, listou no Twitter as reações que havia ouvido de vítimas. Elas incluíam lágrimas de alívio, prazer e náusea.

“O denominador comum: problemas para dormir na noite passada”, escreveu Kantor. [Reuters]

Meghan Markle terá seis meses de treinamento com a secretária da rainha

Ela terá de aprender todas as suas funções como duquesa de Sussex e membra da família real britânica

meghan_markle.pngEntrar para a família real britânica exige seguir uma série de protocolos e tradições, que não acabam com a oficialização do casamento.

Após casar-se com príncipe Harry no dia 19 de maio e ser nomeada duquesa de Sussex, Meghan Markle agora terá de passar por um treinamento. As informações são do The Sun. 

Durante seis meses, Meghan vai passar por uma espécie de curso intensivo para aprender todas as suas funções, desde detalhes sobre eventos oficiais até regras de comportamento e etiqueta. E, para isso, ela vai contar com a tutoria de Samantha Cohen, secretária particular da rainha Elizabeth II.

A rainha ‘emprestou’ Samantha, que trabalha com a família real há 17 anos, por ser uma das assessoras de maior confiança dela. “O escritório [de Harry e Meghan] vai ficar bastante ocupado”, disse uma fonte ao The Sun.

Como princesa Diana, Meghan Markle omite ‘obediência’ de votos de casamento

Ela parou em ‘amar e cuidar’ e não pronunciou a palavra ‘obedecer’.

526x297-2qD
Meghan Markle no altar com o príncipe Harry em cerimônia de 19 de maio de 2018 (Foto: Reprodução/TV Globo)

Meghan Markle decidiu não pronunciar a palavra “obediência” dos tradicionais votos de casamento na cerimônia com o príncipe Harry neste sábado (19). Com isso, ela segue os passos da tradição deflagrada pela princesa Diana — que também foi seguida por Kate Middleton em seu casamento com o príncipe William em 2011.

Em inglês, os votos tradicionais para a mulher costumam citar “love, cherish and obey” (amar, cuidar e obedecer em português). Meghan, no entanto, omitiu a palavra obedecer dos votos e parou em “love and cherish” (amar e cuidar).

Feminista, Meghan defende a igualdade de direitos entre homens e mulheres e é representante da ONU Mulheres, braço da Organização das Nações Unidas para a promoção da igualdade de gênero.

Meghan é formada em comunicação pela universidade americana de Northwestern, em Illinois. Ela também manteve por três anos um blog de estilo de vida chamado “The Tig”, dedicado a assuntos femininos, e se engajou em campanhas por igualdade de gênero.

Em uma postagem no blog, Meghan chegou a escrever: “Nunca quis ser uma mulher que almoça; sempre quis ser uma mulher que trabalha”.