Artista alemão Martin Dammann descobre centenas de imagens de ‘nazistas crossdressers’

Soldados se vestiam de mulher e faziam performances para colegas de guerra

Soldados nazistas fazem performance de dança usando vestidos Foto: Divulgação
Soldier Studies. Crossdressing in der Wehrmacht, da editora Hatje Cantz

BERLIM — Um artista alemão, colecionador de fotos de guerras, encontrou centenas de imagens que mostram soldados nazistas vestidos de mulher e fazendo performances para seus colegas de trincheira. Segundo o jornal “Daily Mail”, Martin Dammann fazia uma pesquisa sobre a vida dos homens que serviam durante o Terceiro Reich quando se deparou com as fotografias. Elas estão compiladas no livro “Soldier Studies Cross-Dressing in der Wehrmacht”.

O sociólogo Harald Welzer afirmou à publicação que essas manifestações não era incomuns e nem mesmo restritas aos soldados do nazismo.

— Mesmo que pareça paradoxal, essas fotografias de soldados da Wehrmacht usando roupas íntimas femininas, que num primeiro momento soam exóticas, na verdade corroboram a normalidade da situação, principalmente em tempos de guerra — revela ele.

Para o artista responsável pelo livro, as fotos mostram a complexidade do ser humano

Nas fotos, os soldados aparecem utilizando desde vestidos e saias improvisadas com toalhas e lençóis até maquiagem e roupas íntimas. Em algumas, eles posam de maneira desinibida.

A maioria das imagens parecem ter sido tiradas durante festas ou celebrações, comumente promovidas para ajudar os combatentes a suavizar os efeitos da guerra.

De acordo com a “Folha de São Paulo”, a coleção de Dammann também traz fotos semelhantes de soldados britânicos e americanos, mas o pesquisador afirma que os casos eram mais frequentes nas linhas de frente do exército do regime de Adolf Hitler.

— É preciso distinguir entre a ideologia nazista, que era homofóbica, e a lógica de líderes militares, que precisavam do maior número possível de soldados na melhor forma física e mental possível — explicou Dammann à “Folha”.


Anúncios

Lançamento Victorinox: malas e mochilas VX Touring

image005Criada para atender as necessidades dos viajantes mais aventureiros, a Victorinox traz ao Brasil a linha de produtos VX Touring. Elaborados nas cores azul e preto e cinza e preto, em material leve, durável e com formato flexível, se tornarão itens essenciais em uma viagem de ação. A linha VX Touring também podem ser usadas no dia a dia, desde a viagem curta durante o final de semana até o treino de academia.

As malas são esportivas e compactas, combinando engenharia direcional e fabricação leve em um design esteticamente perfeito. Além disso, são leves e não estruturadas, facilitando a organização interna e são feitas com tecidos VX4 e VXTek, resistentes à abrasão. Possuem também alça telescópica retrátil e alças de amarração, tornando-se uma mala confortável para qualquer tipo de viagem.

Já a mochila VX Touring é esportiva e elegante ao mesmo tempo, reinventando o conceito de mochila. Com foco nos detalhes, acomoda perfeitamente todos os itens necessários para uma viagem curta ou longa. Possui alças e painel traseiro acolchoados para mais conforto do usuário, além de zíperes com trava, que garantem maior segurança durante uma aventura ou esporte de ação.

Mala Expansível Média Victorinox Cinza: R$ 2.640,00
Mochila Victorinox Touring Preta:  R$ 1.490,00
Mala Victorinox Vx Touring Azul: R$ 2.464,00

Victorinox: (11) 5584-8188
www.victorinoxstore.com.br
Instagram: @victorinoxbr
#myvictorinox

Lady Gaga confirma estar noiva durante o 25th Annual ‘Elle’ Women in Hollywood Celebration 

Cantora pretende se casar com o empresário Christian Carino

original
Lady Gaga durante o 25th Annual ‘Elle’ Women in Hollywood Celebration Foto: Chris Pizzello / Invision / AP


A cantora Lady Gaga, 32, confirmou que está noiva de seu empresário, Christian Carino, 49, na segunda-feira, 15.

De acordo com a revista People, o fato ocorreu durante um evento organizado pela revista Elle em um hotel em Los Angeles. Gaga recebeu um prêmio e, durante seu discurso, agradeceu: “ao meu noivo, Christian”.

Os dois estariam saindo juntos desde fevereiro de 2017, segundo a publicação.

Evento em SP reúne experts do mercado de moda global e brasileiro

Iguatemi Talks acontece entre os dias 23 e 25 no shopping JK

1539024395583.jpg
Designers, empresários, influenciadores e jornalistas vão falar de assuntos, como sustentabilidade e comunicação nas redes sociais Foto: Divulgação Iguatemi Talks


Na mesma semana em que acontece a São Paulo Fashion Week, entre a terça, 23, e a quinta, 25, o shopping JK Iguatemi promove a segunda edição de seu Iguatemi Talks, uma série de palestras e workshops dedicados à moda.

Serão mais de 30 ao todo, colocando empresários, criadores, jornalistas e especialistas em mercado e tendências do Brasil e do mundo para tratar de assuntos ligados ao universo fashion, como comunicação e redes sociais, sustentabilidade e tendências.

Entre os destaques estão nomes como Eva Chen, a diretora de parcerias de moda do Instagram, o sapateiro Christian Louboutin, a consultora de tendências Li Edelkoort, e os CEOs Gildo Zegna, da Zegna, e Roland Herlory, da Vilebrequin. O criador da influenciadora digital NooNouri, Joërg Zuber, e o fundador da marca de luxo sustentável Bottletop, Cameron Saul, são outros destaques do time internacional.

Juntam-se a eles o empresário Alexandre Birman, a blogueira Camila Coutinho, os estilistas Alexandre Herchcovitch e Reinaldo Lourenço, a empresária Costanza Pascolato, as stylists Flavia Lafer e Renata Corrêa, a jornalista Lilian Pacce e o diretor de arte Giovanni Bianco.

Os ingressos para o evento custam de R$ 50 (uma palestra) a R$ 350 (passe livre para todas as apresentações no três dias de evento) e estão à venda em iguatemi.com.br/iguatemitalks.

Confira a programação completa do Iguatemi Talks abaixo.

TERÇA, 23.10
10h – Painel – O universo Zegna, com Gildo Zegna (Zegna) e Maria Prata
12h – Painel – O império de Christian Louboutin, com Christian Louboutin e Pedro Bial
12h – Workshop – Deseja se comunicar melhor nas redes sociais?, com Paula Merlo (revista Glamour)
14h – Painel – Arte & Moda: Colaborações, com Roland Herlory (Vilebrequin), Ricardo Cruz (revista GQ) e Paulo Vicelli (Pinacoteca)
14h – Workshop – Imersão no imediatismo digital, com Eduardo Bravin e Luiza Ferraz
15h30 – Painel – Geração Instagram – Eva Chen (Instagram), Camila Coutinho, Helena Bordon e Maria Prata
15h30 – Workshop – O legado Tiffany, com Luciana Marsicano
17h30 – Painel – Bloom Earth Matters, com Li Edelkoort
17h30 – Workshop – Masterclass Eva Chen
19h – Workshop – O futuro da moda pela perspectiva da tecnologia, com Mariana Santiloni (WGSN)
19h – Painel – Como capacitar pessoas para o mercado de trabalho, com Laura Ancona (Marie Claire) e Rachel Maia (Capacita-me)

QUARTA, 24.10
10h – Painel – Going Global: a expansão global de Alexandre Birman, com Alexandre Birman e Daniela Falcão (Globo Condé Nast)
12h – Painel – Tendências primavera/verão 2020, com Li Edelkoort
12h – Workshop – Mercado e vida das influenciadoras digitais, com Lala Rudge e Lelê Saddi
14h – Painel – Joyce Pascowitch entrevista Reinaldo Lourenço
14h – Workshop – Crochê criativo e experimental, com Gustavo Silvestre
15h30 – Painel – A economia da moda: novos tempos de consumo e de mercado, com Lilian Pacce (lilianpacce.com.br) e Natalie Klein (NK Store)
15h30 – Free Free Fashion, com Yasmine Sterea
17h30 – Painel – Ageless: mulher contemporânea em todas as idades, com Ana Raia, Consuelo Blocker, Costanza Pascolato, Isabella Fiorentino, Ucha Meirelles
17h30 – Workshop – Artesanato no mundo da moda, com Fernanda Yamamoto e Sonia Quintella
18h30 – Painel – Digital Influencer Noonoouri, com Joërg Zuber e Camila Coutinho
19h – As mudanças e evoluções no universo da beleza, com Vanessa Rozan

QUINTA, 25.10
10h – Painel – Bottletop. Uma Jornada de Design Sustentável, com Cameron Saul (Bottletop) e Chiara Gadaleta (Eco Era)
12h – Painel – Colaborações criativas e o futuro da moda, com Alexandre Herchcovitch (À La Garçonne), Andrea Ribeiro (Hering) e Patricia Bonaldi
14h – Painel – Luxo digital na indústria da moda, com Anthonio Achille (McKinsey)
15h30 – Workshop – Como mudar sua imagem, com as stylists Flávia Lafer, Renata Corrêa e Rita Lazarotti
15h30 – Painel – Streetwear e a revolução do sistema, com Christian Resende (Cartel011), Jorge Grimberg e Rony Rodrigues (Box1824)
17h – Painel – A nova jornada de consumo de moda, com Carolina Rocha (Google)
17h30 – Workshop – Mentoring com Giovanni Bianco (Vogue Itália)
18h30 – Painel – Vogue, com Giovanni Bianco, Silvia Rogar e Donata Meirelles
19h – Workshop – Masterclass Lilian Pacce

Sonia Rykiel é a primeira estilista a emprestar seu nome para uma rua parisiense

A homenagem foi concedida pela prefeita Anne Hidalgo

sonia_rykiel_2
Sonia Rykiel (Foto: Reprodução)

Amoda está, literalmente, nas ruas! Como forma de homenagem ao seu legado na moda, a estilista Sonia Rykiel (1930-2016) ganhou uma rua com seu nome. A decisão foi tomada no ano passado pelo conselho regional e oficializada neste sábado (29), durante o desfile do verão 2019 da marca no espaço.

Figura icônica de Saint-Germain-des-Prés, Rykiel empresta seu nome para um beco em pleno Boulevard Raspail, entre as ruas de Cherche-Midi e Rennes, o mesmo local onde acontece um famoso mercado de alimentos orgânicos semanalmente aos domingos. A decisão histórica foi tomada pela prefeita Anne Hidalgo, que também estava presente para celebrar a novidade.

Retrato pop art em que Elizabeth II aparece plena é destaque em leilão de arte

queen
Obra “Lightness od Being” de Chris Levine || Créditos: Divulgação

Lá vem Elizabeth II reafirmando seu poder mais uma vez, agora no universo da arte. Nesta terça-feira, um retrato da monarca assinado por Chris Levine será leiloado, em Londres, pela Sotheby’s. “Lightness od Being” (“Leveza do Ser”, na tradução), mostra a rainha em pose serena e com os olhos fechados, em clique de 2008. A versão disponível neste leilão foi produzida por Levine em 2015 e é uma serigrafia colorida com cristais Swarovski aplicados à mão em matiz rosa dominante. A expectativa é que o valor alcance a marca de 100 mil libras (R$ 546 mil).

Conhecido como “obra de arte acidental”, esse retrato de Elizabeth já foi impresso em materiais diversos, sendo que o mais caro foi leiloado em 2017, por 187,5 mil libras (R$ 1.025 milhão).

Ainda na lista de venda da Sotheby’s, os compradores terão a chance de adquirir obras assinadas por Banksy por valores bem atraentes: estarão à venda edições limitadas de serigrafias impressas em papel, feitas em 2004 e 2005, sendo a mais cara delas a “Gangsta Rat” com valor estimado em 25 mil libras (R$ 137 mil). Preço bem inferior à média de suas obras, sendo a mais cara “Keep It Spotless”, arremata por US$ 1,87 milhão (R$ 7,772 milhões na moeda atual), em dezembro de 2008.

Sem título.jpg
Serigrafia “Gangsta Rat”, de Banksy || Créditos: Divulgação

E tem mais: obras de Miles Aldridge, Damien Hirst, Ian Davenport, Bridget Riley, Howard Hodgkin e David Hockney, que dominou as manchetes na última semana com o anúncio de venda que aponta sua tela “Portrait of an Artist (Pool with Two Figures),” como prestes a bater o record como a obra mais cara já vendida por um artista em vida, também estarão disponíveis.

Soon-Yi Previn defende Woody Allen em entrevista sobre polêmica sexual

Esposa do diretor deu suas primeiras declarações públicas sobre a polêmica que ele enfrenta com a família Farrow há duas décadas
AFP

wood
O diretor de cinema Woody Allen e sua esposa Soon-Yi Previn  (Evan Agostini/Invision/AP)


Soon-Yi Previn, a filha adotiva de Mia Farrow, saiu em defesa de seu marido, Woody Allen, alimentando a polêmica que o cineasta enfrenta há duas décadas com a família.

“O que aconteceu com Woody é tão perturbador, tão injusto”, disse Previn, de 47 anos e mãe de dois filhos com Allen, em uma longa entrevista publicada no domingo à noite pela revista New York. Foram suas primeiras declarações públicas sobre a briga familiar entre o famoso diretor e a família Farrow.

Depois de descobrir que sua filha adotiva de 21 anos estava se relacionando com Allen, que era há anos seu companheiro, Farrow acusou o diretor de tocar os genitais de outra filha, Dylan Farrow, que tinha então sete anos. Após investigá-lo, a Justiça não encontrou provas suficientes para indiciá-lo.

As acusações contra Allen, que dividiram a família, foram reinterpretadas sob a luz do movimento #MeToo: muitos que antes não acreditavam em Mia Farrow e em sua filha Dylan — que afirma recordar ter sido abusada sexualmente por seu pai — passaram a acreditar.

Mas Previn assegura que sua mãe adotiva “tirou proveito do movimento #MeToo e fez Dylan desfilar como uma vítima”.

“Sou um pária”, afirma Allen, de 82 anos, na entrevista à jornalista Daphne Merkin, amiga do cineasta há quatro décadas. “As pessoas acham que eu era o pai de Soon-Yi, que eu a estuprei e me casei com minha filha menor de idade retardada”, declara Allen.

Desde o início do movimento contra o abuso e assédio sexual, uma onda de atores e atrizes pediram desculpas por terem trabalhado com Allen.

Previn, que nasceu na Coreia do Sul e foi adotada aos seis anos por Mia Farrow, assegura que quase não tem boas recordações com sua mãe adotiva.

Ela relata que, quando criança, a atriz batia nela e que, às vezes, a colocava de cabeça para baixo para que o sangue fosse para a cabeça e, assim, ajudasse a ser mais inteligente.

Dylan Farrow, seu irmão Ronan — o jornalista que revelou vários escândalos de agressão sexual na New Yorker — e outros seis de seus irmãos publicaram no domingo um comunicado conjunto apoiando sua mãe.

“Amamos e apoiamos nossa mãe, que sempre foi carinhosa e generosa. Nenhum de nós presenciou outra coisa que não fosse um tratamento compassivo em nossa casa e, por isso, os tribunais garantiram a nossa mãe a guarda total de todos os seus filhos”, apontaram.