Angelina Jolie estreia como professora em renomada instituição britânica

Jolie.jpgA atriz também posou para selfies com alunos || Créditos: Reprodução/Twitter


Já pensou entrar em uma sala de aula e dar de cara com Angelina Jolie? Foi isso que aconteceu com um grupo de estudantes nesta terça-feira, quando a atriz estreou como professora da London School of Economics (LSE), de Londres, dando uma palestra para alunos de um curso de mestrado da famosa instituição britânica. Visivelmente nervosa, Angie falou sobre questões relacionadas aos direitos das mulheres com eles, e no fim do dia até posou para selfies.

Na LSE, ela integra o corpo docente do Centro para as Mulheres, a Paz e a Segurança. Contratada em maio de 2016, a atriz anunciou na época que participaria de workshops e outros eventos por lá, além de lecionar e desenvolver uma pesquisa acadêmica. Tudo isso sem remuneração, da qual ela abriu mão.  [Anderson Antunes]

Anúncios

Angelina Jolie pede mais esforços contra violência sexual em guerras

jolie ok.pngA atriz norte-americana Angelina Jolie pediu nesta segunda-feira, 13, que sejam feitos mais esforços para documentar e processar crimes de estupro e violência sexual em guerras.

A atriz vencedora do Oscar se uniu ao ex-ministro das Relações Exteriores britânico William Hague cinco anos atrás para lançar uma iniciativa global cuja meta é acabar com a violência sexual em conflitos, lutando contra a impunidade e aprimorando o apoio aos sobreviventes.

Angelina disse que está orgulhosa do que foi conquistado, mas que ainda há muito a ser feito. “…Estamos concentrados nos próximos passos: pegar as ferramentas que vêm sendo desenvolvidas em campo para ajudar a documentar crimes e apoiar processos, trabalhando com os militares para mudar a doutrina e o treinamento e pressionando pela adoção de leis para proteger as vítimas muito vulneráveis”, disse ela em um comunicado.

A atriz, que é enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), falou depois de um evento da Iniciativa de Prevenção da Violência Sexual em Conflitos na chancelaria britânica.

A violência sexual é generalizada nas guerras. No Iraque e na Síria, o Estado Islâmico é acusado de escravizar sexualmente milhares de meninas e mulheres, e os militantes do Boko Haram sequestraram alunas do norte da Nigéria. A Organização das Nações Unidas (ONU) também acionou o alarme devido à ocorrência de agressões sexual brutais no Sudão do Sul. [Reuters]

Disputa entre Sean Lennon e pais da atriz Marisa Tomei chega ao fim

cine-sean-lennon.jpgSean Lennon, e o casal Gary e Addie Tomei || Créditos: Getty Images


A paz finalmente voltou a reinar entre Sean Lennon, filho de John Lennon e Yoko Ono, e o casal Gary e Addie Tomei, pais da atriz Marisa Tomei. Os três são vizinhos de porta no Greenwich Village, em Nova York, e brigavam nos tribunais desde meados do ano passado por causa de uma Ailanthus altissima, também conhecida como árvore-do-céu, que ficava na frente da casa deles.

Gary e Addie queriam que a árvore fosse derrubada, alegando que ela estava apodrecendo e por isso era um risco para todos, enquanto Sean sugeriu aos dois que mudassem a entrada da townhouse deles para preservar a planta centenária, atitude que eles consideraram “arrogante”.

No fim, o casal venceu a disputa, e a árvore foi derrubada na semana passada, após um acordo selado entre eles e Sean e cujos detalhes são mantidos a sete chaves. O que se sabe é que Sean precisou desembolsar bem menos do que os US$ 10 milhões (R$ 31,5 milhões) que os Tomei exigiam na justiça para encerrar a disputa. (Por Anderson Antunes)cinetomei2.jpgAs casas dos Tomei e de Sean, e a árvore que causou a briga entre eles || Créditos: William Miller/ Reprodução

Casal japonês Bon e Pon combina roupas todos os dias e compartilha fotos no Instagram

bon3Casal japonês Bon e Pon têm mais de 60 anos e estão casados há 36 – e compartilha looks ‘combinadinhos’ no Instagram. Foto: http://www.instagram.com/bonpon511/


O casal japonês que se identifica apenas como Bon e Pon está junto há 36 anos e fazem muito sucesso no Instagram. O motivo? Os ‘looks do dia’ deles, que estão sempre combinando.

Desde dezembro, o perfil é abastecido com fotos dos dois, que se casaram em 11 de maio de 1980. Bon e Pon têm mais de 60 anos e moram na cidade de Akita, no Japão –  mas mostram que podem ser estilosos em qualquer idade. Confira algumas fotos:

Prefeitura diminui 37% em repasse de verba para o São Paulo Fashion Week

Casal Obama fecha acordo com valor recorde de US$ 65 milhões para publicação de livros

casal-obamaBarack e Michelle Obama despediram-se da Casa Branca em janeiro de 2017


O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e sua mulher, Michelle, assinaram um acordo editorial de valor recorde com a Penguin Random House, que prevê um livro de cada um, de acordo com um comunicado divulgado nesta terça-feira (28). No Brasil, os livros deverão sair pelo Grupo Companhia das Letras.

Apesar de os detalhes do acordo não terem sido revelados pela editora, o jornal “Financial Times” indicou que a oferta para garantir os direitos sobre os livros ultrapassou os US$ 65 milhões.

Se esse valor for confirmado, será um dos contratos mais lucrativos da história. O antecessor de Barack Obama na Casa Branca, George W. Bush, recebeu cerca de US$ 10 milhões por suas memórias, segundo vários veículos. Antes dele, o ex-presidente Bill Clinton levou US$ 15 milhões pela autobiografia “Minha vida”.

Markus Dohle, presidente executivo da Penguin disse estar “emocionado por continuar parceria de publicações com os Obama”. Obama publicou “A origem dos meus sonhos” (“Dreams From My Father”, 1995) e “A audácia da esperança” (“The Audacity of Hope”, 2006) com editoras associadas da Penguin Random House. Cada um vendeu mais de três milhões de exemplares, apenas nos Estados Unidos.

A ex-primeira-dama publicou em 2012 “American Grown: The History of the White House Kitchen Garden and Gardens Across America”, um livro sobre jardinagem e alimentação, pela editora Crown, também da Penguin Random House. [Agências de Notícias]

Rihanna é escolhida ativista do ano pela Universidade de Harvard

rihanna-2017-thatgrapejuice-600x673Rihanna pode ser conhecida como uma estrela do R&B, mas nesta quarta-feira ela foi nomeada pela Universidade de Harvard como ativista do ano de 2017. A cantora de 29 anos, originária de Barbados, receberá o prêmio em pessoa no campus da universidade em 28 de fevereiro, anunciou a instituição. “Rihanna caridosamente construiu um centro de oncologia e medicina nuclear para diagnosticar e tratar o câncer de mama no Hospital Rainha Elizabeth em Bridgetown, em Barbados”, disse o diretor da Fundação Harvard, S. Allen Counter, em nota.

Ela também criou um programa de bolsas de estudo, em homenagem a seus avós, para caribenhos que estudam nos Estados Unidos, e apoia os esforços para dar a meninas um melhor acesso à educação nos países em desenvolvimento. “É por causa dessas iniciativas filantrópicas e outras ações de compaixão que alunos e professores da Fundação Harvard escolheram homenagear Rihanna”, afirmou Counter.

A cantora se junta a uma ilustre lista de pessoas que receberam este prêmio anteriormente, como o ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-Moon, a ativista paquistanesa e vencedora do Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai, e o cantor Lionel Richie. Rihanna já vendeu mais de 200 milhões de discos, venceu oito Grammys e emplacou catorze hits no topo das paradas musicais.

(Com Agência France-Presse)