Blondie lança vídeo inédito para divulgar Pollinator, próximo disco do grupo

blondie-funO grupo Blondie tem um novo álbum na manga, Pollinator, que deve chegar ás lojas e serviços de streaming no dia 5 de maio. Para começar o trabalho de divulgação do novo projeto, a banda capitaneada por Debbie Harry divulgou na última quarta-feira (15) o clipe cheio de referências de “Fun” – veja.

O Blondie é um grupo de new wave, que mistura muitos elementos sonoros e que desde a década de setenta tem conseguido se encaixar nas diversas tendências musicais. Pollinator, que chega como sucessor de Ghost of Download (2014) deve contar com participações de Blood Orange, Charli XCX, Sia entre outros. Ouça um dos principais clássicos do grupo, “Heart of Glass”. [Jacídio Junior]

Anúncios

Espuma de styling é o único produto que você precisa para ter cabelos incríveis

espuma-destaque
Conheça as vantagens de usar uma espuma de styling (Foto: Imaxtree)


Existem muito produtos que prometem um cabelo incrível, sempre, mas existe um único que garante funcionar – de verdade – para qualquer tipo de fio, seja curto ou longo, liso ou cacheado. Esse produto é a espuma de styling, ou styling foam, como é chamado lá fora, e tem uma função parecida com a do mousse: dar volume e brilho sem pesar.

Se você duvida que esse é um produto que merece espaço na sua penteadeira, então vale a pena prestar atenção nos pontos a seguir. Eles vão, no mínimo, fazer você pensar duas vezes sobre continuar o uso do shampoo a seco e investir em algo diferente para deixar o seu cabelo exatamente do jeito que você quer.

1.Funciona em todos os tipos de cabelo
“A espuma é tão versátil, mas o mais importante é que ela deixa o cabelo cheio e volumoso”, contou a hairstylist das celebridades Tippi Shorter para a Marie Claire norte-americana. “A forma como a espuma expande de um líquido para uma espuma muito farta ajuda a ampliar o volume dos fios de cabelo”. Ou seja, não importa o seu tipo de cabelo, o efeito vai ser o mesmo.

2.É fácil de usar
Como essa espuma começa na forma líquida – e depois muda de textura – ela é fácil de aplicar e espalha com facilidade. Além disso, ela pode ser usada tanto para dar mais volume para cabelos finos, quanto para segurar cachos.

3.Você pode usar em cabelos molhados ou secos
O mais comum é usar esse tipo de cabelo nos fios molhados, para trabalhar um styling diferente ou já dar mais forma para os fios. Porém, se você estiver com os cabelos secos, também pode usá-lo para finalizar um look ou para dar um up na produção, acabando com o frizz, dando mais brilho e maciez.

Quem gostou da ideia pode recorrer à uma das opções de produtos abaixo:

Produtos para você adotar já (Foto: Divulgação)Produtos para você adotar já (Foto: Divulgação)


1. Aveda, US$ 21
2. DevaCurl, US$ 26
3. PK, US$ 36
4. Senscience, R$ 191
5. John Frieda, R$ 79,90

Star Wars: The Last Jedi | Rey aparece com sabre de luz em nova foto

star-wars-630x420A EW divulgou uma nova imagem de Star Wars: The Last Jedi, que mostra Rey (Daisy Ridley) com um novo penteado e um sabre de luz. A imagem faz parte da divulgação da Force Friday, evento de lançamento dos produtos do filme, que acontece em 1º de setembro.

A última Force Friday aconteceu em 2015, incluindo eventos em São Paulo e Rio de Janeiro. Detalhes sobre a edição deste ano devem ser anunciadas perto de setembro.

Daisy RidleyMark HamilOscar IsaacAdam DriverJohn BoyegaLaura DernBenicio Del Toro Carrie Fisher estão no elenco do Episódio VIII. Star Wars: The Last Jedi chega aos cinemas em 15 de dezembro deste ano. Além de dirigir, Rian Johnson também é o roteirista do filme. [Camila Sousa]

CINEMA | Estreias da Semana: John Wick – Um Novo Dia Para Matar, Lion, Aliados, A Cura…

estreias16fevereiroConfira agora os filmes que chegam às telas em 16 de fevereiro
John Wick – Um Novo Dia Para Matar
Continuação de De Volta ao Jogo, mostra uma nova tentativa do matador de aluguel John Wick ter uma vida normal após a morte de sua esposa.

Ação, Suspense – (John Wick: Chapter Two) EUA, 2016. Direção: Chad Stahelski. Elenco: Keanu Reeves, Ian McShane, Bridget Moynahan. Duração: 132 min. Classificação: 16 anos.

Lion – Uma Jornada Para Casa
Baseado em fatos, a trama conta a história de um menino indiano de 5 anos que se perde de sua família milhares de quilômetros longe de casa. Ele passa por muitos desafios até ser adotado por um casal da Austrália. 25 anos depois, ele sai em uma jornada em busca de sua família.

Drama – (Lion) EUA, 2016. Direção: Garth Davis. Elenco: Dev Patel, Rooney Mara, Nicole Kidman. Duração: 118 min. Classificação: 12 anos.

Aliados
A trama é situada em 1942 e conta a história de um agente da inteligência canadense, que se casa com a agente francesa Marianne depois de uma perigosa missão em Casablanca. Ele, no entanto, é notificado que a mulher pode ser uma espiã nazista e começa a investigá-la.

Ação, Drama, Romance – (Allied) EUA, 2016. Direção: Robert Zemeckis. Elenco: Brad Pitt, Lizzy Caplan, Marion Cotillard. Duração: 124 min. Classificação: 14 anos.

A Cura
Um homem viaja aos Alpes suíços para buscar seu chefe, que deveria estar em um instituto terapêutico. Ao chegar, percebe que algo estranho está acontecendo e que seu chefe desapareceu.

Terror – (A Cure for Wellness) EUA, 2017. Direção: Gore Verbinski. Elenco: Dane DeHaan, Mia Goth, Jason Isaacs. Duração: 127 min. Classificação: 16 anos.

Um Homem Chamado Ove
Ove é um senhor mal-humorado de 59 anos que leva uma vida totalmente amargurada. Aposentado, ele se divide entre sua rotina monótona e as visitas que faz ao túmulo de sua falecida esposa. Mas, quando ele finalmente entrega-se às tendências suicidas e desiste de viver, novos vizinhos mudam-se para a casa da frente, fazendo com que surja uma inesperada amizade.

Comédia Dramática – (En man som heter Ove) Suécia, 2015. Direção: Hannes Holm. Elenco: Rolf Lassgård, Bahar Pars, Filip Berg. Duração: 116 min. Classificação: 12 anos.

Minha Vida de Abobrinha
Um menino de nove anos apelidado de ‘abobrinha’ fica amigo de um policial após sua mãe desaparecer. Ao chegar ao orfanato, ele terá que lidar com a nova realidade e os novos amigos.

Animação – (Ma vie de Courgette) França, Suíça, 2016. Direção: Claude Barras. Duração: 156 min. Classificação: 10 anos.

A Tartaruga Vermelha
O filme não tem diálogo e mostra um homem perdido em uma ilha deserta, que deseja escapar dali desesperadamente. Sua realidade muda com o aparecimento de uma estranha tartaruga.

Animação, Fantasia – (The Red Turtle) Japão, França, Bélgica, 2016. Direção: Michaël Dudok de Wit. Duração: 80 min. Classificação: Livre.

Eu Não Sou Seu Negro
O escritor James Baldwin escreveu uma carta para o seu agente sobre o seu mais recente projeto: terminar o livro Remember This House, que relata a vida e morte de alguns dos amigos do escritor, como Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Junior. Com sua morte, em 1987, o manuscrito inacabado foi confiado ao diretor Raoul Peck.

Documentário – (I Am Not Your Negro) EUA, França, Bélgica, Suiça, 2017. Direção: Raoul Peck. Duração: 93 min. Classificação: 12 anos.

Eu, Olga Hepnarová
Olga Hepnarová era uma jovem lésbica e solitária, de uma família emocionalmente distante e que não conseguiu desempenhar o papel que a sociedade tradicional desejava dela. A história da última mulher executada na Tchecoslováquia.

Drama, Biografia, Crime – (Ja, Olga Hepnarova) República Tcheca, Polônia, Eslováquia, França, 2016. Direção:
Tomas Weinreb, Petr Kazda. Elenco: Michalina Olszanska, Martin Pechlat, Klara Meliskova. Duração: 105 min. Classificação: 16 anos.

A triste realidade: acionistas pedem mais diversidade na alta cúpula da Apple, mas empresa repugna a iniciativa

executivos board.jpgTodos nós sabemos bem o orgulho que a Apple tem em mostrar para o mundo inteiro como é uma companhia inclusiva, que emprega gente de todos os gêneros, etnias, religiões e preferências sexuais indistintamente e melhora seus índices de diversidade a cada ano. Porém, num duro golpe da fria e triste realidade do mundo, nós vemos que a utopia cupertiniana tem falhas graves quando analisamos a coisa com mais cuidado.

De acordo com esta reportagem do The Verge, as coisas definitivamente não são tão bonitas assim quando falamos dos cargos mais altos da Maçã, como aqueles que compõem a mesa diretora da empresa. Segundo a matéria, um grupo de acionistas da Apple — liderado pelo investidor Tony Maldonado — entrou com uma proposta formal para que a empresa “adote uma política de recrutamento acelerada para aumentar a diversidade da sua gerência sênior e mesa diretora”.

Caso a proposta fosse aprovada, a Apple teria que priorizar a diversidade na escolha de pessoas para ocupar seus mais altos cargos; apesar disso, a forma como esta iniciativa seria aplicada ficaria por conta da própria Maçã. Entretanto, nem precisamos ir tão longe: a proposta foi rechaçada pela própria empresa. A Apple enviou uma nota para os seus acionistas recomendando que eles votem contra a proposta, argumentando que já faz um trabalho significativo na promoção da diversidade dentro da empresa e “fez progressos importantes na tarefa de atrair mais mulheres e minorias sub-representadas”.

Maldonado, então, falou ao The Verge:

Algumas das desculpas dadas pela Apple e pelos outros é que não tem gente o suficiente para ser substituída, isso e aquilo. Desculpem o palavreado, mas isso é uma bobagem.

Esta não é a primeira vez que o investidor faz uma tentativa de promover diversidade aos cargos mais altos da Maçã: ele já enviou proposta semelhante em 2015, sendo igualmente repugnado — entretanto, Maldonado recebeu suporte de 5,1% da mesa de acionistas, o que permitiu que ele repetisse o pedido este ano. Agora, se quiser reiterar a iniciativa no ano que vem, terá que obter suporte de mais de 6% dos investidores.

Pessoalmente, eu digo: espero que ele consiga. Ninguém aqui está falando em forçar a contratação de mulheres ou indivíduos integrantes de minorias indistintamente — a ideia ainda é, obviamente, priorizar os maiores talentos para ocupar as principais cadeiras da Apple. O problema vai muito mais embaixo: por mais que tenhamos avançado como um todo nas últimas décadas, o preconceito ainda se esgueira de forma sutil no mundo corporativo, especialmente nas camadas mais altas.

O fato de a mesa diretora da Apple ser composta basicamente de homens brancos comprova isso — não que estas pessoas não sejam extremamente talentosas e aptas, mas já passou da hora de reconhecer que outros grupos também podem desempenhar papéis importantes com tanta destreza quanto, e devem ser considerados igualmente na hora de preencher um cargo importante. O objetivo é este: reconhecimento e oportunidade. A isso, eu diria, ninguém há de se opor.[Bruno Santana – MacMagazine]

Imagens inéditas de Marilyn Monroe supostamente grávida são reveladas

Nas fotos, que datam de 1960 e foram divulgadas pelo Daily Mail, a atriz aparece supostamente grávida.  Foto: Reprodução/Daily Mail


Imagens nunca vistas antes da atriz Marilyn Monroe foram reveladas nesta quinta-feira, 16, pelo tabloide britânico Daily Mail. Nas fotos, captadas no dia 8 de julho de 1960 em Nova York, Marilyn aparece, supostamente, grávida.
De acordo com a publicação, as fotos foram obtidas através de um leilão realizado em novembro do ano passado dos bens pessoais de Frieda Hull, uma grande fã e confidente de Monroe, que manteve as imagens em segredo até a sua morte, em 2014.

O comprador foi Tony Michaels, que era vizinho e amigo de Hull quando ela morreu. Segundo ele, Hull havia contado que, nas fotos, as quais a mulher se orgulhava de possuir, Marilyn estava grávida do ator francês Yves Montand, seu colega de cena em Adorável Pecadora (1960).

Este slideshow necessita de JavaScript.

As fotos foram tiradas por Hull durante a realização dos testes de elenco para o filme Os Desajustados. Na época, tanto Marilyn quanto Yves eram casados, ela com o dramaturgo Arthur Miller e ele com a também atriz Simone Signoret.

Michaels afirma que a gravidez de Marilyn nas fotos não são uma suposição. “Não era um palpite ou uma presunção, era algo que ela (Hull) sabia de certeza, ela era muito próxima a Marilyn”, disse ao Daily Mail. “Pelo que ela sabia, Marilyn estava grávida no verão de 1960 e as fotos provam isso”.

A teoria de Frieda Hull é que Marilyn sofreu um aborto espontâneo durante as filmagens de Os Desajustados – na época ela foi internada em um hospital por 10 dias. Ao longo da vida, a atriz sofreu três abortos espontâneos conhecidos pelo público. Marilyn tinha endometriose, doença que atrapalha a gravidez.

No leilão dos pertences de Hull, foram obtidos ainda 550 fotografias em cores e em preto e branco da atriz, 150 slides coloridos, 750 imagens de filmes, filmes pessoais, fios de cabelo e inclusive a câmera com a qual foram captadas as imagens de Marilyn grávida.

Facebook e Apple avançam sobre a televisão com aposta em conteúdo

17046270.jpegIlustração de André Stefanini, um dos vencedores do 5º Concurso de Ilustração da Folha


“O objetivo é que, quando as pessoas quiserem acompanhar seu programa favorito, acompanhar o conteúdo que assistem em episódios semana a semana, elas possam vir ao Facebook e ir para um lugar que vai mostrar isso.”

É Mark Zuckerberg, presidente do Facebook, apresentando há duas semanas os resultados da empresa em 2016, para investidores, e apontando a estratégia para dominar também a televisão –e a publicidade que ela gera.

Na noite de terça (14), fez o seu primeiro movimento: anunciou um aplicativo para assistir vídeo em aparelhos de TV. O app sai inicialmente para os adaptadores Apple TV e Amazon Fire TV e para as smarTVs da Samsung.

Chegará “logo”, em algumas semanas, às respectivas lojas de aplicativos. E tem “mais plataformas a caminho”, ou seja, outras marcas de adaptadores e smarTVs e consoles de videogame.

Zuckerberg não está entrando na tela maior, do televisor, só para mostrar vídeos curtos e GIFs que congestionam o “feed” no celular. Quer programação regular, séries de sucesso das TVs aberta e paga, “em episódios”.

“Muitos dos melhores conteúdos episódicos são criados profissionalmente”, afirmou ele aos investidores, “e esses caras precisam receber uma boa quantidade de dinheiro de maneira a poder sustentar seu modelo de negócios.”

O Facebook já negocia com grandes estúdios, em princípio oferecendo a divisão da receita com publicidade. Mas também vem fechando negócios de licenciamento, ou seja, adquirindo direitos.

Na segunda (13), a rede social assinou com a Univision um contrato para apresentar ao vivo, para o público americano, o campeonato mexicano de futebol. O primeiro dos 46 jogos será domingo (19).

E no sábado (11) havia enviado executivos para os encontros sobre licenciamento com as gravadoras que acontecem no entorno da entrega do Grammy. O alvo, no caso, são os vídeos musicais.

Também vem contratando profissionais de produção como Mina Lefevre, na semana passada. Ela era vice-presidente da MTV e vai trabalhar no desenvolvimento de programação original, por aquisição ou financiamento.

CORRIDA

Lefevre escreveu no próprio Facebook que sempre quis “construir alguma coisa, e a ideia de fazer parte da equipe que está erguendo o ecossistema de conteúdo do Facebook é um sonho”.

Em seu conselho de administração, que estabelece estratégias, Zuckerberg tem um nome ainda mais estelar, o presidente da Netflix, Reed Hastings –o que começa a levantar questionamentos sobre ética concorrencial.

A TV que o Facebook está montando não prevê receita com assinaturas, como faz a Netflix, e sim publicidade, o que evita a concorrência direta com a gigante de TV por demanda e atinge mais os canais de TV aberta e paga.

Com o novo aplicativo, o Facebook, que afirmou há três meses estar no limite de sua capacidade de veicular publicidade no “feed”, quer entrar no mercado publicitário da TV americana, avaliado em US$ 70 bilhões.

A disputa pela carcaça da TV atrai outros gigantes de tecnologia. Também falando a investidores, o presidente da Apple, Tim Cook, anunciou que vai agora priorizar conteúdo de TV, na busca de novas fontes de receita.

“Colocamos o pé na água fazendo algum conteúdo original, estamos aprendendo e avançaremos a partir daí”, disse. “Creio que as mudanças na indústria de mídia vão se acelerar com os pacotes de cabo começando a quebrar.”

Para Cook, a TV paga está perdendo o controle da distribuição. Dias depois, a Apple reforçou sua equipe para licenciamentos e programas originais com um executivo de TV tirado da Amazon.

Correndo por fora, no final do ano o Spotify chamou para seu conselho o diretor de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, visando melhorar sua estratégia de TV. E o Snapchat passou a privilegiar licenciamento de conteúdo das produtoras, abrindo concorrência direta com o modelo usado pela TV.

NELSON DE SÁ
DE SÃO PAULO