Confira os detalhes das cozinhas da nova sede da Tastemade no Brasil

3-cozinha-tastemade-moderna

Quem nunca se deparou com um daqueles vídeos deliciosos da Tastemadeenquanto passeava pelo feed do Facebook e ficou morrendo de vontade de correr para a cozinha para fazer a receita? A empresa tem uma sede nova no Brasil, localizada no bairro da Vila Madalena, em São Paulo. E assim como as comidas, que encantam pelo visual, as cozinhas cenográficas são uma graça.

O projeto foi feito pelo Studio dLux, que criou duas cozinhas onde são gravados os episódios das séries da Tastemade. Uma delas tem aspecto mais moderno e a outra, mais rústico. Elas ficam uma de frente para a outra e possuem uma estrutura similar: um grande gabinete em L e uma ilha central – na moderna ela é fixa e, na rústica, móvel.

Alessandro Guimarães
4-cozinha tastemade-rústicaA cozinha rústica é acolhedora, tem cores mais quentes e conta com materiais em composição natural. A bancada de concreto foi feita no próprio local e abriga uma pia de semi encaixe, utilizada nas cozinhas tradicionais americanas.
Alessandro Guimarães
5-cozinha tastemade-rústicaAcima da bancada, há um revestimento de peças hexagonais da Portobello sobre uma ripa de madeira maciça. Prateleiras do mesmo padrão do armário inferior servem para armazenamento e varões metálicos possibilitam que utensílios e panelas fiquem pendurados e participem do décor.
Alessandro Guimarães
6-cozinha tastemade-rústicaA bancada central é móvel, possibilitando que seja ou não usada nos vídeos. Este carrinho leva o fogão industrial da bancada para qualquer lugar. O tampo é de madeira frejó.
Alessandro Guimarães
1-cozinha tastemade-modernaA cozinha moderna tem um clima mais frio, luxuoso, usa cores neutras e materiais finos e foi inspirada no estilo escandinavo. Texturas diferentes podem ser observadas na laca dos armários, no revestimento do tampo (que parece pedra, mas é madeira revestida de fórmica) e no cobre presente nos detalhes.
Alessandro Guimarães
2-cozinha tastemade-modernaO armário inferior tem um tom azul claro e o de cima um azul mais forte com portas de vidro, que deixam os utensílios a mostra. A cuba foi embutida e a torneira feita com pedaços de tubulação de cobre. Na ilha central, o tampo da bancada é de pedra (quartzo branco) e é lá que fica o cooktop de indução. [Mariana Conte]

 

Anúncios

Botas de cano longo ganham destaque no pre-fall 2017

gigi-hadid-02
Aposte nas botas de cano longo (Foto: Divulgação/Arquivo Vogue)

Acada nova temporada, a bota de cano longo – ou até os modelos over-the-knee – caem no gosto das fashionistas. Neste pre-fall 2017, grifes apostaram em modelos atualizados, transitando entre bicos finos, saltos baixos, estamparias e galochas.

A Altuzarra, por exemplo, apostou na peça florida com cores inusitadas – como lavanda -, bico fino e saltos baixos. Já Roberto Cavalli investiu em modelos (ultra!) over-the-knee em cores frias e bastante sensuais. Para adotar a trend, que já é um sucesso há temporadas, confira ao longo desta página quais grifes aderiram à peça e vá em busca da sua:

Botas de cano longo: TSE (Foto: Reprodução )Tse, pre-fall 2017 (Foto: Reprodução )
Botas de cano longo: Altuzarra (Foto: Reprodução )Altuzarra, pre-fall 2017 (Foto: Reprodução )
Botas de cano longo: Roberto Cavalli (Foto: Reprodução )Roberto Cavalli, pre-fall 2017 (Foto: Reprodução )
Botas de cano longo: Raquel Allegra (Foto: Reprodução )Raquel Allegra, pre-fall 2017 (Foto: Reprodução )

Juliana Jabour e Karen Fuke lançam a coleção de estreia da Just Kids

brincadeira-boa-box_ciXQaQf.jpg

We’re not here to sell clothes, dizia ironicamente o primeiro dos 22 moletons com frases de efeito desfilados pela neogrife Just Kids durante o último São Paulo Fashion Week, em outubro passado.
Com espírito underground e casting que parecia saído do Tumblr, a elogiada apresentação foi o début do novo projeto das estilistas Juliana Jabour e Karen Fuke – uma marca focada em coleções-cápsulas que começa a ser vendida neste sábado (03.12), no Cartel 011.
“Nosso intuito é comunicar de forma livre o comportamento das ruas”, conta Juliana, que, além da grife que leva seu nome, está à frente da catarinense Lez a Lez.just_kids_6_-_joao_arraes.jpg

Com preços entre R$ 700 e R$ 800, os moletons da coleção de estreia da Just Kids se esgotaram poucos dias após a apresentação no SPFW e ganham reedição este mês (Foto: João Arraes)
Em maio, Karen acabara de deixar a direção criativa da Triton quando recebeu a proposta de lançar a Just Kids com a amiga, que também havia trabalhado na marca paulistana, no início dos anos 2000. “Juliana me convenceu a aceitar seu convite ao propor que teríamos como combustível a paixão por criar, e não as vendas”, conta.

Just Kids (Foto: João Arraes)Just Kids (Foto: João Arraes)
Apresentado em formato “see now, buy now”, o début esgotou-se em poucos dias. A boa notícia é que a reedição de hoje tem uma nova leva de moletons e t-shirts, com direito a dois novos tons na cartela de cores (vinho e verde-militar), até então composta por preto, cinza e off-white.
Ainda sem planos para as próximas coleções, prevalece a espontaneidade para o projeto. “Se um dia acordarmos com vontade de fazer só bermudas, quem sabe?” [Anita Porfirio]

Zara e H&M são afetadas pela preocupação com sustentabilidade

Porém, estas empresas estiveram já mais de uma vez envolvidas em polêmicas sobre trabalho escravo e com um grande impacto de lixo criado no planeta. E cada vez mais a tendência da sustentabilidade busca exatamente o oposto disto.

De acordo com a agência Bloomberg, já são mais de 14% dos consumidores dos Estados Unidos que procuram roupas fabricadas de uma forma ética este ano, diferente dos 12% de 2015, como evidenciado em uma pesquisa da Euromonitor International. E esta procura vem principalmente de jovens, do que de qualquer outra faixa etária.

Os dados mostram que os principais públicos alvo da fast-fashion já estão saturados com esse sistema de rapidez no mundo da moda – uma tendência que inclusive diverge da forma de produção see now, buy now. Isso ainda não significa que estas marcas vão desaparecer, mas elas estão perdendo a força pela primeira vez em anos. Alternativas como reciclagem e roupas de segunda mão parecem bem mais atrativas a estes novos consumidores.

Em uma tentativa de agradar este nicho do seu público, a H&M já tem sua coleção ‘consciente’, desde 2013. E inclusive incentiva os seus clientes a doarem roupas para a criação de tecidos reciclados. A Zara também tem mostrado esforços, lançando a sua primeira linha sustentável em setembro desde ano. Mas será que isso é o suficiente? [Isa Almeida]

Modelo Karlie Kloss acredita que pode ‘conquistar o mundo’ sem usar salto

karlie-kloss-linda-5cfd2242abd8891a45d773faf3918857e29bfb4a_articlemain

Karlie Kloss afirmou que pode ‘conquistar o mundo’ com flats. Ela deixou de usar salto alto porque não quer parecer ainda mais alta – a modelo mede 1,85 cm.

“Sinto como se pudesse mudar o mundo com sapatilhas. Eu acho que pareceria uma louca se andasse por Nova York com saltos, sendo que sou muito alta”, conta. “E mais: eu ainda uso o metrô, então eu chamaria ainda mais a atenção. Eu amo ser superalta porque consigo usar sapatos baixos no tapete vermelho”.

Em conversa com a revista ‘People’ sobre o seu estilo, ela contou que tem cerca de 50 pares de tênis e que demorou para descobrir quais eram as peças que lhe caiam bem. “Descobrir o que combinava com o meu corpo foi um desafio, especialmente por causa do meu peso. Mas agora uso isso ao meu favor.”

Ícone das passarelas, Karlie começou na moda fotografando campanhas para marcas luxuosas, como Yves Saint Laurent, Elie Saab e Sonia Rykiel.

Superfoods: cinco alimentos da moda que ajudam a emagrecer

superfoods-abre_XZ8e0k6.jpg

Aliado dos cardápios infantis, o mingau de aveia ganha nova roupagem e vira mania da turma fitness. O que muda é a preparação: sai o leite de vaca, entra em cena o de amêndoas, que é uma “fonte de gordura boa e capaz de modular a carga glicêmica da aveia, evitando um pico de glicemia”, explica a nutricionista funcional carioca Patricia Davidson Haiat. Além disso, devido ao seu perfil nutricional, o mingau garante saciedade prolongada e evita boquinhas entre as refeições principais.

Mingau de gente grande (Foto: Thinkstock)Mingau de gente grande (Foto: Thinkstock)

Dica: prefira a aveia em farelo, que possui menos açúcar que a em flocos. Para garantir uma versão gente grande e saudável do prato, finalize com frutas vermelhas, cardamomo e nuts tostadas.

But first, coffiest (Foto: Thinkstock)But first, coffiest (Foto: Thinkstock)

Nova mania das californianas, o Coffiest é uma nova versão do cafezinho turbinado – o incensado bulletproof coffee, que leva café orgânico, manteiga e extrato de óleo de coco. A receita, criada pela marca americana especializada em nutrição Soylent, consiste em café, proteína de soja isolada, óleo de algas e de canola, fibra de aveia, e l-teanina (aminoácido presente no chá-verde, que induz o relaxamento, quebrando as agitações decorrentes do consumo de cafeína).

O resultado é uma bebida cremosa que se assemelha a um caffè latte – mas sem nenhum ingrediente animal. Com 400 calorias e a mesma dose de cafeína que uma “xicrinha” (150 mg), o Coffiest promete um café da manhã balanceado e completo em uma garrafa de 414 ml.

A nova quinoa (Foto: Thinkstock)A nova quinoa (Foto: Thinkstock)

Boa notícia para quem enjoou da quinoa: o sorgo, quinto cereal mais produzido no mundo (atrás de arroz, trigo, milho e cevada), começa a despontar no cardápio de restaurantes antenados, como o nova-iorquino Marc Forgione.

Antes utilizado como ração animal, o sorgo ganhou o aval da turma saudável graças às suas propriedades nutritivas – rico em antioxidantes e fibras, controla os níveis glicêmicos e colesterol, além de regular a função intestinal. “Ele também é riquíssimo em vitamina B e minerais como ferro, fósforo, potássio, magnésio e zinco”, completa Patricia Davidson Haiat. Sua textura ainda ganha pontos por garantir maior sensação de saciedade.

Pãozinho do bem (Foto: Thinkstock)Pãozinho do bem (Foto: Thinkstock)

“Cortar o pão” costuma ser uma das primeiras diretrizes ouvidas em qualquer tipo de dieta de emagrecimento. A boa notícia é que não é preciso mais viver sem ele, graças às versões low carb do sagrado alimento.

Para isso, você vai ter que colocar literalmente a mão na massa e “substituir a farinha de trigo pela de amêndoas”, ensina a health e wellness coachVanessa Kryss, especialista na confecção de pães com baixo teor de carboidratos.

Uma de suas receitas hit leva farinha de amêndoas, ovos, azeite extravirgem ou óleo de coco, sal do Himalaia, ervas e canela. Leva 30 minutos no forno. Mas circulam pelo Instagram outras versões do pão permitido, que pode ser feito tanto na frigideira como no grill, com ingredientes que vão de batata-doce a grão-de-bico.

O hype do abacate  (Foto: Thinkstock)O hype do abacate (Foto: Thinkstock)

Depois da mania da avocado toast, que consagrou de vez a fruta, o óleo de abacate desbanca o boom do óleo de coco e promete substituir até o funcional azeite. Com uma lista de propriedades exemplares – alto poder antioxidante, proteção cardiovascular, gorduras monoinsaturadas que reduzem o índice glicêmico -, ele tem a vantagem de não carregar o gosto pronunciado do óleo de coco.

Outro plus: a presença de beta-sitosterol, que bloqueia a absorção das gorduras saturadas de outros alimentos pelo corpo. Ou seja, além de reduzir gorduras ruins no sangue, ajuda na perda de peso. “Consuma a frio, já que esse não é um óleo que deve ser levado a altas temperaturas”, explica Vanessa Kryss. O ideal é utilizá-lo na finalização de saladas e legumes. [Vitória Guimaraes]

Andrea Müller lança marca homônima de acessórios

sad
Andrea Müller (Foto: Arte Vogue Online)

Ex-Maria Bonita Extra, a carioca Andrea Müller lançou marca homônima de acessórios com o objetivo de criar bolsas e sapatos feitos de texturas naturais como ráfia e palha que fugissem do óbvio e atendessem também a vida urbana, vide a original plataforma com salto bordado de linha. À venda no Gallerist.