Lindsey Wixson I Allure US Janeiro 2017 By Nicolas Kantor

allure-jan-2017-07
The New Classic
Allure US Janeiro 2017
www.net-a-porter.com
Fotografia: Nicolas Kantor
Model: Lindsey Wixson
Styling: Catherine Newell-Hanson
Hair: Susie Sobol
Make-Up: Diego Da Silva
Manicure: Typhaine Kersual

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Em período de ‘renovação’, Lindsay Lohan faz a limpa em redes sociais

Lindsay Lohan’s Fall Winter 2016-2017 Comes Back For No Tofu Mag Collection (1).jpg

Sempre envolvida em polêmicas, Lindsay Lohan, pelo jeito, quer dar uma virada em sua vida com o ano novo que chegou. Prova disso é que a atriz apagou todas suas publicações do Instagram e do Twitter.

Em uma declaração para o site “MailOnline”, um representante da atriz explicou: “[Lindsay] está em um período de renovação e está muito animada para o ano novo”. “Estou tão animada para este novo capítulo na minha vida”, declarou a própria Lindsay.

Depois de mudar recentemente sua equipe de gerenciamento, Lindsay está pronta para mostrar ao mundo quem ela realmente é, segundo seu representante.

Ele ainda acrescentou: “Estamos extremamente felizes aqui na equipe Lohan, entusiasmados por ver as reações de todos ao longo do ano, já que temos alguns grandes projetos alinhados”. [Yuri Fernandes]

Bruna Tenório abre seu closet e conta seus segredinhos de top. Vem saber!

brunatenorio_closet-5

Bruna Tenório usa calça jeans Valentino, sapato Céline, camisa H&M, lenço Chanel e brinco vintage || Crédito: Camila Svenson
Kanucha Barbosa para revista J.P de dezembro de 2016

Uma simples camisa branca vira uma peça moderna e sexy nas mãos de Bruna Tenório, modelo maceioense que vive em Nova York há nove anos. Por ter participado de incontáveis desfiles nas principais semanas de moda, os truques de styling que aprendeu estão sempre presentes nas produções – isso faz toda a diferença. E mais, a atitude fashionista já existia em Bruna muito antes de ela ingressar nesse universo. “Minha mãe costurava em um ateliê de Maceió e eu ficava com ela fazendo roupinhas para as minhas bonecas, usando os retalhos que sobravam”, explica a top, que foi descoberta por um booker em sua cidade natal aos 16 anos.

Hoje, aos 27, Bruna conta que prefere se sentir bem a ter de definir seu estilo em poucas palavras. “Sei que é clichê falar isso, mas meu estilo depende muito do meu humor. Às vezes mais moderna, outras mais clássica”, conta. Entre suas paixões, estão peças vintage. Quando o assunto é um bom brechó, a modelo tem dicas na ponta da língua. “O A Second Chance, no Soho, tem várias roupas de grifes incríveis, em excelente estado. Adoro o Ina também, para itens mais modernos”, diz. Para anotar!Nota-4 (1).jpg

A modelo com camisa Ralph Lauren, saia Alexander Wang, sapato Rag & Bone e brinco vintage. || Crédito: Camila Svenson
Apesar de preferir usar peças básicas, Bruna consegue fazer com que seus looks se sobressaiam, não importa onde esteja. Sua fórmula para fazer bonito consiste no trio camisa masculina + jeans + salto. “Não tem erro!” Além disso, é nos acessórios que pode ousar: um maxibrinco aqui ou um bracelete marcante ali e pronto. Com maquiagem é a mesma coisa: ela aprendeu as melhores táticas com os top maquiadores e agora faz aquele make leve, porém muito bem pensado. Aqui, siga o estilo natural da moça com seu closet e seus objetos que fazem parte de um mundo todo particular.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acorde
“Para mim, música é coisa de momento. Sou apaixonada pelas do Jorge Vercillo. Mas também tenho minha fase hip-hop, por exemplo.”

Para se desligar do mundo…
“Vou para Maceió. Lá, aproveito para descansar muito e acabo voltando renovada.”

Tour
“Gosto bastante de museus. Meu favorito é o New Museum, de arte contemporânea em NY. É incrível.”

Belezura
“Adoro o demaquilante da Dior e o lápis para sobrancelhas da Anastasia, o efeito fica bem natural.”

Biblioteca
“Sempre carrego um livro comigo. O meu preferido é Para Sempre Alice, de Lisa Genova.”

Esporte fino
“Faço spinning duas vezes por semana. Adoro pilates também!”

Passaporte
“Fotografei na Índia, em Nova Délhi e Agra, onde fica o Taj Mahal, e fiquei encantada com a cultura. As pessoas são simpáticas e extremamente receptivas. Foi uma experiência maravilhosa, e quero voltar um dia para conhecer outras cidades.”

10 inspirações para usar camisas do trabalho à balada!

Camisa de noite, camisa de dia, para momentos hot ou de brisa. Companhia certa para todas as horas e looks, a nova camisaria é sofisticada e nada entediante. [George Krakowiak]


Pulôver de lã, Miu Miu, preço sob consulta. Camisa, Ralph Lauren, R$ 3,7 mil. Calça, João Pimenta, R$ 650. Cinto de couro, Fendi, R$ 1,5 mil. Cinto de couro (usado como chaveiro), Modem, R$ 550.Pulôver de lã, Miu Miu, preço sob consulta. Camisa, Ralph Lauren, R$ 3,7 mil. Calça, João Pimenta, R$ 650. Cinto de couro, Fendi, R$ 1,5 mil. Cinto de couro (usado como chaveiro), Modem, R$ 550. (Josefina Bietti/ELLE)Vestido, Chanel, preço sob consulta. Camisa, Max Mara, R$ 2 360. Blusa, Diane VonFurstenberg, R$ 1,2 mil.Vestido, Chanel, preço sob consulta. Camisa, Max Mara, R$ 2 360. Blusa, Diane VonFurstenberg, R$ 1,2 mil. (Josefina Bietti/ELLE)Jaqueta, R$ 20 960, e camisa, R$ 4 160, ambas Saint Laurent. Top, A. Brand, R$ 258. Saia, Chanel, R$ 25 260. Bolsa (amarrada na cintura), Alexandre Pavão, R$ 349. Jaqueta, R$ 20 960, e camisa, R$ 4 160, ambas Saint Laurent. Top, A. Brand, R$ 258. Saia, Chanel, R$ 25 260. Bolsa (amarrada na cintura), Alexandre Pavão, R$ 349. (Josefina Bietti/ELLE)Camisa, Prada, R$ 3 380. Brinco, Gla, R$ 370.Camisa, Prada, R$ 3 380. Brinco, Gla, R$ 370. (Josefina Bietti/ELLE)Suéter, Miu Miu, preço sob consulta. Camisa, Gucci, R$ 3 610. Calça, Tommy Hilfger, R$ 899. Brinco, Gla, R$ 310. Cinto, Prada, R$ 1 830Suéter, Miu Miu, preço sob consulta. Camisa, Gucci, R$ 3 610. Calça, Tommy Hilfger, R$ 899. Brinco, Gla, R$ 310. Cinto, Prada, R$ 1 830 (Josefina Bietti/ELLE)Camisa, Tommy Hilfger, R$ 299. Body, Minha Avó Tinha, R$ 80. Saia, À La Garçonne para NK Store, R$ 1 891. Bolsa (amarrada na cintura), Recman para À La Garçonne, R$ 937Camisa, Tommy Hilfger, R$ 299. Body, Minha Avó Tinha, R$ 80. Saia, À La Garçonne para NK Store, R$ 1 891. Bolsa (amarrada na cintura), Recman para À La Garçonne, R$ 937 (Josefina Bietti/ELLE)Camisa, Burberry, R$ 1 395. Saia, Gucci, R$ 4 620. Camisa, Burberry, R$ 1 395. Saia, Gucci, R$ 4 620. (Josefina Bietti/ELLE)Camisa, João Pimenta, R$ 320. Suéter, Ralph Lauren, R$ 2,5 mil. Camisa, João Pimenta, R$ 320. Suéter, Ralph
Lauren, R$ 2,5 mil. (Josefina Bietti)Corset, Prada, preço sob consulta. Camisa, Calvin Klein, R$ 299. Saia, Saint Laurent, R$ 1 720.Corset, Prada, preço sob consulta. Camisa, Calvin Klein, R$ 299. Saia, Saint Laurent, R$ 1 720. (Josefina Bietti/ELLE)

Vejas Kruszewski: um nome pra ficar de olho!

040116-vegas-kruszewski-perfil-1-599x600

Vejas Kruszewski é de Toronto e, no 3º Prêmio do Grupo LVMH, levou o 2º lugar e muito reconhecimento com a sua marca Vejas, julgada por um time de peso que incluiu Karl Lagerfeld, Nicolas Ghesquière, Marc JacobsRiccardo TisciPhoebe Philo, J.W AndersonHumberto Leon e Carol Lim!

O estilista que tem apenas 20 aninhos foi o mais novo indicado na história do Prêmio e, desde que criou a sua marca, em 2014, está em uma posição que não imaginava alcançar tão cedo – tanto que sua receita cresceu 700% no último ano! Segundo uma entrevista que ele deu ao site “Business of Fashion, a sua equipe ainda é pequena mas o objetivo agora é construir uma boa estrutura pensando em longo prazo. Junto do amigo e braço direito Saam Emme – responsável pelos negócios da empresa – eles quase se recusaram a participar do concurso por acharem que era muito cedo para isto, mas hoje reconhecem a importância do que está acontecendo com a marca. E daqui pra frente Kruszewski quer tentar seguir uma linha mais sustentável.

Vejas tem uma pegada bem urbana, com um toque sensual em algumas peças nos recortes inusitados e estratégicos. Muita assimetria, vazados, sobreposições e oversize também fazem parte da sua estética, atenta aos mínimos detalhes em peças que levam bastante jeans, couro e moletom.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lais Ribeiro fala sobre Victoria’s Secret e cliques sensuais: ‘fico toda desengonçada’

lais-3

Lais Ribeiro usa vestido Lenny Niemeyer (lennyniemeyer.com); rasteira Schutz (schutz.com.br); brincos Via Flores (viaflores.com.br); bracelete Prishma (prishma.com.br); pulseira Paola Vilas (loja.paolavilas.com) – Christian Gaul

RIO – ‘Mãe, você é famosa ou algo do tipo?’, quis saber outro dia Alexandre, o filho de 8 anos de Lais Ribeiro, após se deparar com uma foto da mãe numa revista. A piauiense, 27, explicou que a história não é bem assim, que ela é apenas uma modelo. Uma modelo maiúscula, esqueceu de avisar, com campanhas de perfume para as grifes Tom Ford e DKNY no currículo, além de um punhado de desfiles para etiquetas como Givenchy, Balmain e Gucci. Ah, é claro, há também aquele contrato pomposo de angel da Victoria’s Secret, assinado em 2015, que a colocou no mesmo patamar das tops Adriana Lima e Alessandra Ambrósio.

— Acabei de renovar meu acordo com a marca por mais dois anos — revela Laís, como se isso fosse uma coisa corriqueira. — A Victoria’s Secret mudou a minha vida socialmente e financeiramente. Deu-me segurança. Não preciso ficar na correria todo mês.

Enquanto é maquiada para este editorial de capa, fotografado no Studio do Cais, na zona portuária, a top não lembra em nada aquele furacão de sensualidade que costuma protagonizar os ensaios mais abusados da marca americana de lingerie. O que não quer dizer que sua beleza tipicamente brasileira não seja desconcertante, mesmo enquanto ela está estática, sentada na cadeira do maquiador. Mas é na hora da foto que a mágica, de fato, acontece. Incansável, Lais joga os cabelos, faz caras e bocas e até piada. A modelo domina a cena, usando looks monocromáticos, que passam longe da monotonia com decotes e formas ajustadas. Pelos cantos do estúdio, a equipe não se cansa de exaltar o corpo escultural da top, apontada como uma das mais sensuais da indústria da moda pelo portal Models.com. Em ação, Lais Ribeiro é pura explosão.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com a voz meio rouca por causa de uma gripe, a modelo recorda a adolescência entre Miguel Alves, sua cidade natal, no interior do Piauí, e Brasília, onde viveu por mais de 10 anos. No colégio era chamada de Olívia Palito e pau-de-virar-tripa, um roteiro semelhante ao vivido por outras modelos. Mas ela não se acuava, partia para cima.

— Eu era machão, queria brigar com todo mundo — comenta. — Não me achava sexy antes de me mudar para Nova York. Em Miguel Alves, magreza não era sinônimo de beleza. Nos Estados Unidos, com os elogios que recebi, mudei o meu pensamento.

NO CHÃO DA GIVENCHY
Lais Ribeiro comenta que a carreira na moda nem sempre foi uma opção. Aos 19, ela queria ser enfermeira. Chegou, inclusive, a frequentar a universidade. Mas uma amiga que era modelo insistiu para que Lais procurasse uma agência, e ela acabou convencida. Com um filho de um ano e meio para criar, entendeu que aquela seria a grande chance de sua vida. Não titubeou: largou a faculdade e, em 2009, começou a desbravar esse novo mundo.

No início de 2010, Lais fez mais de 50 desfiles entre o Rio e São Paulo. Na sequência, conquistou Manhattan. Nos lançamentos nova-iorquinos para o inverno 2011, só deu ela: foi escalada para os desfiles de Marc Jacobs, Michael Kors e Vera Wang, por exemplo. A seu favor, o carisma e as medidas perfeitas para a passarela, já que não falava uma palavra em inglês. Na mesma temporada, ela foi vista nos shows das grifes Dolce & Gabbana, Blumarine e Roberto Cavalli, em Milão, e vestiu as criações da Dior e da Givenchy, em Paris:

— Lembro até hoje da prova de roupa da Givenchy, que estava marcada para às 22h, mas terminou pela manhã. Fiquei indignada. Liguei para a agência reclamando. Por fim, dormi no chão do ateliê. Tenho uma foto coberta com um casaco que a diretora de casting pôs em mim.

PUXÃO DE ORELHA
Depois de um primeiro momento animador na moda, Lais Ribeiro viu sua carreira dar um novo salto em 2010. Confirmada no desfile da Victoria’s Secret, agradou aos bambambans da marca, que a convidaram para assinar o contrato de angel em 2015. Para ela, as asas que ganhou no primeiro desfile ajudaram.

— Eram bem pesadas. Fiquei com hematomas roxos no ombro — lembra Lais, que, desde então, foi ausência apenas em 2012. — Caí e torci o pé no ensaio. Não conseguia caminhar. No dia do desfile, fui aos bastidores de muleta, mas não teve jeito. Eu abriria o bloco em que a Rihanna cantou “Diamonds”, então a Behati Prinsloo me substituiu. Mais tarde, de raiva, comi tudo o que foi possível.

Às gargalhadas, Lais entrega que andou dando uns puxões de orelha no time da Victoria’s Secret. Acha que está posando demais de topless.

— Como eles colocam a menina que tem mais peito para clicar assim? — questiona. — Para as outras angels é simples cobrir os seios, mas eu fico toda desengonçada tentando esconder a situação com um braço. As pessoas acham que tenho silicone ou que o volume é truque no sutiã. Mas nunca fiz cirurgia plástica, graças ao meu bom Deus.

AMIGOS DISCRETOS
Lais Ribeiro pode querer diminuir os cliques que faz de topless para a Victoria’s Secret, mas é fato que seu corpo escultural de angel chama a atenção de todos. E foram justamente as suas formas (os seios, inclusive) que a fizeram “quebrar a internet” em setembro do ano passado, quando tirou a roupa para a revista francesa “Lui”, conhecida pelos ensaios sensuais.
— Deve ter sido porque a minha comissão de frente estava aparecendo — brinca ela.
Laís, que namora o jogador de basquete americano Jared Homan, confessa que é discreta e que prefere a companhia dos amigos que conquistou fora do mundo da moda. A sua rotina em Nova York inclui, por exemplo, a missa dominical, na catedral de St. Patrick. Tudo porque a modelo faz questão de não se deslumbrar.

— Precisamos ter um pouco de realidade. Certas pessoas perdem a noção nesse meio. Ser mãe me ajuda a manter os pés no chão, sei o porquê de estar fazendo esse trabalho — justifica Lais, que não descarta a possibilidade de ser atriz. — Não era um plano, mas quem sabe não faço um filme? [Gilberto Júnior]

Mercedes pega carona em Stranger Things para novo comercial

320931512-mercedes.png

Stranger Things é uma série que fez sucesso no mundo inteiro. Na produção, um grupo de jovens busca um amigo desaparecido e se depara com inexplicáveis fenômenos telecinéticos.

A Mercedes-Benz, para anunciar o novo dispositivo de seu carro elétrico, pega carona na popularidade da série e lança um comercial baseado nela.

No filme, inteiramente criado pela BDDO de Paris, toda vez que um homem estaciona seu carro em uma rua suburbana, ele percebe que algo muito estranho acontece. A cada volta para casa, peculiares adolescentes o olham fixamente e o número deles só cresce.

O anúncio gera suspense sobre o que o grupo observa com tanta atenção. Ao final, tudo é explicado e a montadora mostra qual a novidade na automatização de seu modelo mais recente. AdNews