Esporte couture: leve a moda esportiva para o look de final de ano

invogue-esporte-1

À esquerda, bomber (R$ 11.550) Gucci, calça (R$ 4.590) Stella McCartney na NK Store, mules (R$ 2.610) Gucci e anéis (a partir de R$ 8.500) Aron & Hirsch. À direita, t-shirt Nike (R$ 98) na Frou Frou Brechó, saia (R$ 1.920) Paula Raia, sapatos (R$ 10.865) (Foto: Victor Almeita (Stills) Imaxtree, Thinkstock, Divulgação e Reprodução Instagram)

O esporte urbano que tomou conta da temporada segue em alta e chega à festa: sua t-shirt da Nike nunca foi tão cool.

Neste fim de ano, aposte em jaquetas bombers e camisetas que remetem à academia – que devem ser combinadas a peças preciosas, feitas de materiais luxuosos ou protagonizadas por volumes dramáticos.

Enquanto o caimento desabado deixa tudo ainda mais cool, salto alto é imprescindível para transmitir o clima festivo. Aposte em modelos metalizados ou decorados com aplicações.

Anúncios

O fim de ano das tops! Modelos revelam suas superstições de Réveillon

isabeli-2
Isabeli Fontana, Carol Trentini, Ana Beatriz Barros e Lea Cerezo contam quais são seus rituais na passagem de um ano para o outro. Meditação e busca pela proximidade da natureza estão entre as práticas citadas

A virada do ano é tradicionalmente a data em que as superstições ganham mais destaque pelo Brasil, especialmente no litoral. Muitos pulam sete ondas na praia, outros usam branco e alguns não deixam de comer lentilha na data. Mas e as modelos mais famosas do Brasil? Será que elas também têm esses hábitos? Nós fomos investigar e contamos tudo aqui. [Thiago Baltazar]

ISABELI FONTANA
“Meu fim de ano vai ser no Brasil, vou para o Sul ficar com a família. Vai ser no meio da natureza, bem como amo ficar. Uso branco e gosto de me energizar com a água do mar. Já pulei sete ondas, mas hoje não o faço mais. Também vou meditar.

Amo comer várias frutas. A gente faz um banquete absurdo em casa. Vou tentar fazer alguns pratos vegetarianos, fica mais fácil para meditar. Você encontra um ponto de equilibrio não comendo carne animal, consegue sentir a força divina mais forte. Isso para mim é o mais importante.”

Carol Trentini (Foto: Reprodução / Instagram)

CAROL TRENTINI
“Eu uso branco e a gente come lentinha. Fico hipersensível na transição de um ano para o outro. Eu medito bastante também.

O meu Réveillon é mais quietinho. Vou passar no Brasil, no Sul, com minha família e meus dois filhos. Lembro de uma Virada em que estava com meu filho pequeno. Ele foi dormir cedo e não acordou com os fogos. No dia seguinte, fomos andar na praia de manhãzinha.”

Ana Beatriz Barros (Foto: Getty Images)

ANA BEATRIZ BARROS
“No Ano Novo, eu escolho uma roupa branca e uso uma lingerie vermelha, claro! [risos]. Pulo as sete ondinhas e como romã. O Natal vai ser no Brasil, mas o Ano Novo ainda não decidi.”

Lea Cerezo (Foto: Getty Images)

LEA CEREZO
“Eu não tenho uma superstição unicamente de fim de ano, não sou fanática em festividades. Mas tento preferivelmente colocar um branquinho, já faço isso todas as sextas-feiras. Amo essa cor, sempre que posso, uso.”

Réveillon cool: fuja dos looks tradicionais da virada do ano

060a063_mc309_trendshilo-04

Da esq. p/ a dir.: casaco Cotton Project, R$ 349. Top Forever 21, R$ 89. Saia Renner, R$ 120. Vestido B.Luxo, R$ 480. Sapatos Nuu Shoes, R$ 280. Vestido Ocksa, R$ 310. Vestido Brechó Minha Avó Tinha, R$ 350. Chinelos Puma, R$ 350 (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)

Que tal passar o Réveillon de branco mas de uma forma diferente? Há vários tecidos e shapes que fogem do tradicional e dão um ar cool ao look. Confira algumas inspirações:

Beleza Gui Casagrande (FS.AG) Modelos Sarah Berger (Way) e Flávia Fontanetti (Joy) Assistente de styling Carolline Azevedo Assistentes de fotografia Fernanda Brandão e Eduardo Urzedo Tratamento de imagem Egeaneto

 1. Casaco FIT, R$ 1.198. Top de plástico acervo. Bermuda Ocksa, R$ 496.  2. Colete Brechó Frou Frou, R$ 255. Calça Amaro, R$ 170. Colar Jana Favoreto, R$ 140. 3. Top, R$ 1.248, e vestido, R$ 3.148, Gloria Coelho (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)1. Casaco FIT, R$ 1.198. Top de plástico acervo. Bermuda Ocksa, R$ 496. 2. Colete Brechó Frou Frou, R$ 255. Calça Amaro, R$ 170. Colar Jana Favoreto, R$ 140. 3. Top, R$ 1.248, e vestido, R$ 3.148, Gloria Coelho (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)

Vestido Heloisa Faria, R$ 899. Bolsa Aila Cortes à venda na Heloisa Faria, R$ 180 (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)Vestido Heloisa Faria, R$ 899. Bolsa Aila Cortes à venda na Heloisa Faria, R$ 180 (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)

Da esq. p/ a dir.: camisa Ocksa, R$ 560. Vestido MOS, R$ 596. Tenis Adidas à venda na Maze, R$ 599. Camisa Ocksa, R$ 525. Vestido MOS, R$596. Tênis Puma, R$ 799 (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)Da esq. p/ a dir.: camisa Ocksa, R$ 560. Vestido MOS, R$ 596. Tenis Adidas à venda na Maze, R$ 599. Camisa Ocksa, R$ 525. Vestido MOS, R$596. Tênis Puma, R$ 799 (Foto: Murilo Yamananaka) (Foto: Murilo Yamananaka)


Fotos: Murilo Yamananaka, Styling: Tathiana Yumi Kurita

Amazon registra patente de armazéns voadores

1483023254991

No começo de dezembro, a Amazon anunciou que realizou a primeira entrega de produtos para clientes por meio de drones. A entrega, feita na Inglaterra após meses de testes, marcou a entrada de grandes empresas no uso comercial dos aparelhos voadores. E a Amazon, agora, quer ir além: a empresa registrou a patente de um armazém flutuante, o que facilitaria e simplicaria o abastecimento e envio dos drones para realizar entregas em pequenas cidades.

De acordo com o registro da patente, obtido pelo site de tecnologia TechCrunch, a ideia seria manter alguns produtos estocados dentro de um balão dirigível, que sobrevoaria locais afastados e com grandes demandas. Assim, os drones da empresa poderiam ser enviados de forma mais rápida, economizando gastos com energia.

Além de locais afastados, a empresa poderia usar os dirigíveis, segundo a patente, em grandes eventos. Por exemplo: o balão poderia ficar próximo de um estádio em dias de grandes jogos. Isso faciltaria envio de produtos aos torcedores.

Pequenos dirigíveis também ficariam mais próximos ao solo para levar funcionários e facilitar o transporte de drones em alguns casos.

Como se trata de uma patente, ainda não há informações de que esta tecnologia será, de fato, desenvolvida pela Amazon. Além disso, a empresa não quis comentar a possibilidade de desenvolvimento dos armazéns flutuantes.

Cantinho de leitura com décor feminino

inspiracao-do-dia-cantinho-leitura-decor-feminino.jpeg

Um jovem casal de Toronto decidiu, ao se mudar em 2011, renovar toda a casa. Com consultoria da designer Jennifer Worts, eles deixaram os ambientes mais contemporâneos, sem perder algumas particularidades da construção Vitoriana.

O estilo arquitetônico original é visível principalmente no quarto do casal, na janela arredondada emoldurada por paredes inclinadas. Este cantinho de leitura, assim como o resto do apartamento, é iluminado por uma paleta de cores neutras e móveis simples, qualidades que também trazem leveza ao espaço. O colorido é encontrado nas almofadas, com estampas delicadas salpicadas de azul e rosa.

Embaixo da janela há um banco acolchoado com três gavetas para guardar roupas, lençóis e cobertores. Uma cadeira giratória estofada em linho e um pufe sob medida completam o pequeno espaço que serve ao lazer e reúne a família. A mesa, uma antiguidade Chinesa, deixa o cantinho ainda mais charmoso. [Débora Fernandes]

Já pensou em fazer ginástica olímpica? Ela pode te surpreender!

007-contra-spectre

Na True Pilates, uma academia perto do Central Park South, em Nova York, uma atividade – que não é a que dá nome ao endereço – rouba toda a atenção fitness: um grupo de mulheres mais velhas de collant, muitas delas com mais de 70 anos, dá cambalhotas, algumas chegando até a se elevar em argolas suspensas no teto, executando giros atléticos. Seriam antigas artistas de circo? Ex-atletas? Como podem cidadãs idosas serem tão flexíveis? A resposta está numa modalidade de difícil execução no nível profissional, mas muito democrática para amadores: a ginástica artística, ou ginástica olímpica.

Para quem ainda guarda o trauma de infância de ser proibida de praticar o exercício porque ele “atrapalhava o crescimento” (estudos mostram que isso acontece apenas com muitas horas de treinos semanais, no caso dos atletas), esse resgate da modalidade com saltos, exercícios de solo, trave, argolas e barras paralelas não podia ser mais libertador. “É possível começar em qualquer idade e colher os benefícios”, garante o romeno Cornel Marina, 60 e muitos anos, instrutor da True Pilates. Outro ginasta técnico da academia, Ivo Lupis, tem 84 e já deu aulas para Jackie Kennedy!

No começo da prática, Cornel adverte uma jovem iniciante. “Pegue leve. Se eu pedir oito repetições e você não conseguir acompanhar, tudo bem se fizer apenas três.” Ao olhar para as colegas de classe, a moça deve ter imaginado que se tratava de uma piada, já que a mais jovem beirava os 50 anos e a mais velha era uma senhora de 89 com marca-passo. Mas logo ficou claro que não. Durante uma hora, aquelas mulheres foram de um aquecimento “fácil” (com levantamento de peso e posições invertidas sobre os ombros) a barras paralelas assimétricas, com séries complicadas. Enquanto isso, a novata de pouco mais de 30 precisou da assistência do instrutor para concluir o que ele definia como uma “simples parada de cabeça”.

Pode parecer difícil se imaginar fazendo movimentos típicos dos Jogos Olímpicos, mas vale lembrar que as alunas de Cornel são amadoras. Algumas começaram tarde – uma mulher de 50 anos havia feito sua primeira aula um mês antes – e a maioria deu suas primeiras cambalhotas de brincadeira, em pequenas academias. A adaptação nem sempre é imediata porque a modalidade trabalha, ao mesmo tempo, coordenação, força e equilíbrio – mas os alunos costumam se surpreender com o que conseguem atingir em poucas aulas. “É um exercício para todo o corpo, que requisita músculos dos pulsos aos dedões do pé. No começo, é normal que você tenha dores em lugares que nunca teve antes”, diz Josh Diorio, diretor-assistente do departamento de ginástica e instrutor do Chelsea Piers Field House, em Manhattan.


Por April Long e Carol Vasone

Branco total: móveis e objetos para ambientes claros e minimalistas

Estilo: Adriana Frattini; Produção: Ana Montenegro; Fotos: Filippo Bamberghi; Assistente de Produção: Miriam Souza; Colaborou: Larissa Viana

Símbolo de pureza, atemporal e preferido dos minimalistas, o branco inspira positivismo e ganha força quando combinado com elementos quentes e contrastantes. Descubra, nesta matéria, várias maneiras de apostar na cor como protagonista da decoração!estilo-tendencia01Elegância Metalizada

Da esq. para a dir., poltrona e pufe Alta (1971, reedição 2013), design Oscar e Anna Maria Niemeyer, da Etel; luminária de piso Led, na Atrium Objetos; mesa lateral Petra, design Luciano Santelli, no Empório Beraldin; sobre ela, busto Estudo para Bronze (déc. 1940), francês, no Espaço Cardeal; sofá Tufty-Time’15, design Patricia Urquiola para B&B Italia, na Casual B&B Italia; mesa de centro Landutim (2016), design Simone Coste, com tampo da Mont Blanc Mármores, na Firma Casa; sobre ela, centro de mesa Marola II, design Jacqueline Terpins, na Firma Casa; pufe Malta, design Paulo Haubert, da Arcade Avec, na Collectania; cortina de linho Marajó, da Donatelli Tecidos; tapete Pixels, na Kian Tapetes; e, na parede, vestido de Gilda Midani


estilo-tendencia02Combinação Clássica

Da esq. para a dir., mesa lateral Adobe, design Guilherme Wentz, da Wentz, na Decameron; poltrona Flag Halyard, design Hans J. Wegner, da PP Møbler, na Casual Interiores; cachepôs Beija-Flor, design Estúdio da Casa, na Estar Móveis; mesa lateral Thin Black, design Nendo para Cappellini, na Micasa; mesa vintage Dado, norte-americana, na Legado Arte; sobre ela, luminária Taj Mini, design Ferruccio Laviani, da Kartell, e busto Apolo, no Espaço Cardeal; cadeira Urban, aramada, na Entreposto; cortina de gaze de linho Blue Chip, da JRJ Tecidos; tapete Sibilla, design Francesca Alzati, da By Kamy; e, na parede, tela Sopro I (2016), de Shu Lin, na Galeria Sancovsky


cv 375 estilo tendencia (Foto: Filippo Bamberghi)

Leveza Constante

A partir do fundo, luminária de piso Reta, de Fábio Alvim, na Ligne Roset; escrivaninha Ara (2016), design Luciana Martins e Gerson de Oliveira, da Ovo; sobre ela, vasos alemães (anos 1970), na Passado Composto Século XX; banqueta Nom, design Bakery Studio para Cappellini, na Micasa; cortina de linho Marajó, da Donatelli Tecidos; e tapete Victoria, na Kian Tapetes


cv 375 estilo tendencia (Foto: Filippo Bamberghi)Contornos Etéreos

Da esq. para a dir., luminária Structure Three, de Ingo Maurer, na FAS; mesa lateral Edo, design Romeo Sozzi para Promemoria, na Casual Interiores; sobre ela, vaso Eagle Murano, da Armani Casa, na Casual Acessórios e Complementos; poltrona Hum, design Zanini de Zanine, da Glass 11; e cortina de linho Marajó, da Donatelli Tecidos


cv 375 estilo tendencia (Foto: Filippo Bamberghi)

Madeira Sublime

Da esq. para a dir., cadeira Thiou, design Ricardo Minelli e Fábio Berbari, da Érea; espelho da coleção Quintal, design Guilherme Wentz, Leonardo Dalle Laste e Marina Gatelli, na Estar Móveis; bufê Labirinto, design Nada Se Leva, da Lider Interiores; sobre ele, abajur Vêndome (2016), na Atrium Objetos, bandeja Leggio, design Teresa La Rocca, na Acierno, elefante Voador, design Estudio Manus, na Carbono Design, e vaso Fetish, na Orbi Brasil; banco Helix, na Estar Móveis; poltrona Rampa, design Sergio Bernardes, na Dpot; mesa lateral Pronto-Socorro, design Luciana Martins e Gerson de Oliveira, da Ovo; sobre ela, jarra de cerâmica, design Studio Job para Thomas Eyck, na Firma Casa; cortina de linho Marajó, da Donatelli Tecidos; e tapete Wings, na Phenicia Concept