Rainha Elizabeth II impede que Meghan e Harry se mudem para muito longe de Buckingham

Duque e duquesa de Sussex pretendem morar em Frogmore Cottage, em Windsor

Meghan Markle, príncipe Harry e rainha Elizabeth II

A Rainha Elizabeth II não quer que o príncipe Harry e Meghan Markle se mudem para muito longe do Palácio de Buckinghan.

Em novembro do ano passado, após o anúncio da gravidez, a duquesa e o duque falaram sobre a pretensão de se mudarem para Frogmore Cottage, em Windsor.

Na época, um porta-voz afirmou para a reportagem da People que Windsor é um lugar muito especial para a família real e que Meghan e Harry estariam muito felizes em poder se estabelecer por lá. Porém, a Rainha Elizabeth II não quer que eles fiquem longe de William e Kate Middleton, de acordo com informações do The Sunday Times.

“Eles queriam que sua casa fosse totalmente independente do Palácio de Buckingham, mas foi dito a eles que não. Existe uma estrutura institucional que não permite esse tipo de independência. O sentimento é que é bom ter os Sussex sob a jurisdição do Palácio de Buckingham”, revelou uma fonte da revista.

Anúncios

Instagram anuncia venda de produtos direto pelo aplicativo

A rede social já fez parcerias com 20 marcas para oferecer o serviço; o recurso está disponível para usuários dos Estados Unidos somente em uma versão de testes

A compra direto pelo app do Instagram funcionará como uma loja virtual normal, com opções de tamanho e cores

O Instagram está cada vez mais perto de se tornar uma loja virtual. A rede social anunciou nesta terça-feira, 19, uma nova função, chamada de Checkout, que permite que o usuários paguem por produtos diretamente pelo aplicativo, selecionando-os a partir de fotos da plataforma. O recurso está disponível para usuários dos Estados Unidos somente em uma versão de testes. 

A rede social já fez parcerias com 20 marcas para oferecer o serviço, incluindo Nike, Adidas, Dior, MAC, Michael Kors, Prada e Zara. Para fazer essa ponte entre as lojas e o cliente, o Instagram cobrará das empresas uma taxa de venda.

Para comprar os produtos das lojas parceiras direto pelo Instagram, é preciso clicar no item da foto – especificamente naquela caixinha em que aparece o preço. Depois disso, o usuário deve inserir seu e-mail para poder colocar suas informações de endereço de entrega e pagamento. O processo funciona como uma loja virtual normal, com opções de tamanho e cores. 

Até então, apesar do preço de alguns produtos serem identificados em fotos do Instagram, o usuário que quisesse comprar uma peça era direcionado para o site da loja fornecedora – muitas vezes as marcas perdiam o cliente no meio desse caminho. O Instagram acredita que a opção de compra dentro do próprio aplicativo incentivará as pessoas a consumirem mais. 

O Facebook, dono do Instagram e também do WhatsApp, afirma que por enquanto as informações de pagamento inseridas no Instagram ficarão apenas no Instagram. Entretanto, essa separação não é garantida: no começo deste mês, o presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, confirmou sua intenção de unificar todos os apps da empresa usados para comunicação, o que inclui WhatsApp, Messenger e Instagram.

“A função Checkout é só uma parte do nosso investimento a longo prazo em compras”, disse o Instagram em postagem em seu blog. 

Toy Story 4 | Brinquedos se metem em confusões em primeiro trailer completo

Toy Story 4 ganhou o seu primeiro trailer completo, que pode ser conferido abaixo. A animação ganhou também um pôster oficial.

Toy Story 4 (Foto: Reprodução/Instagram)

Segundo a sinopse, quando um novo brinquedo chamado Forky se une a Woody e sua turma, uma jornada ao lado de velhos e novos amigos revela o quanto o mundo pode ser grande para um brinquedo.

Josh Cooley (O Primeiro Encontro da Riley) dirige a animação, que chega aos cinemas em 21 de junho de 2019. [Julia Sabbaga]

Almodóvar diz que ‘Dolor y Gloria’ é o filme que melhor o representa, mas não é autobiografia

Filme chega na sexta-feira (22) aos cinemas da Espanha e tem previsão de estrear no Brasil em junho. Penélope Cruz e Antonio Banderas estão no elenco.
Por Agência EFE

Almodóvar e Penélope Cruz nos bastidores de ‘Dolor y Gloria’ — Foto: Divulgação

Há alguns anos, antes de fazer “Julieta” (2016), Pedro Almodóvar pensou que nunca mais voltaria a dirigir um filme. Daquela crise surgiu uma imagem, a do seu corpo sem gravidade, submerso em uma piscina, e desta faísca que acendeu o seu caótico, mas disciplinado, processo criativo.

“Não é a minha autobiografia, mas sim é o filme que me representa mais intimamente”, disse ele sobre “Dolor y Gloria”, seu 21º longa-metragem, que chega na próxima sexta-feira aos cinemas da Espanha e tem previsão de estrear no Brasil em junho. No elenco, Penélope Cruz, Cecilia Roth e Leonardo Sbaraglia em papéis secundários. O protagonista é Antonio Banderas.

O astro foi eleito para ser o seu alter ego, um diretor chamado Salvador Mallo, que veste a mesma roupa – as peças foram copiadas do armário de Almodóvar – e vive em uma casa como a sua, na mesma rua de Madri onde o cineasta mora, rodeado por seus próprios livros e obras de arte.

Até o prontuário médico do protagonista, belamente recriado por uma animação de Juan Gatti, corresponde aos problemas que o autor de “Tudo sobre Minha Mãe” teve e que o levaram ao turbulento momento.

“Eu não estou tão mal quanto o protagonista”, enfatizou Almodóvar, reticente em carregar as tintas com dores que também não são excessivamente dramatizadas no filme.

“Dolor y Gloria” é um filme luminoso e em vários momentos divertido, como na cena (neste caso fictícia) na qual Salvador Mallo sai em busca de uma dose de heroína para amortecer as dores.

“Eu nunca tomei nada, nem agora nem naquela época”, esclareceu o diretor durante a entrevista realizada na sede da produtora El Deseo.

“Dolor y Gloria” é a “autoficção” levada ao cinema. Esse gênero literário no qual o autor é também o narrador e o personagem principal, mas no qual as leis da narrativa mandam acima de tudo e ao qual também se aproximaram outros grandes cineastas como Woody Allen e Federico Fellini.

Às vezes acontece, contou o diretor e roteirista, que partes fictícias fiquem mais autênticas do que o real, como ocorre com uma cena com sua mãe já idosa (Julieta Serrano), um acerto de contas mãe/filho que nunca aconteceu, mas com o qual ele disse se identificar plenamente.

“Através do texto você não só abre as portas da sua intimidade como desenvolve possibilidades que não existiram e isso me emociona”, garantiu.

O Almodóvar escritor é disciplinado, se senta na frente do computador quando tem vontade, mas nunca redige de uma só vez.

“Muitas vezes volto aos roteiros e os transformo em outra coisa, é um material que sempre pode encontrar a sua natureza em outro momento”, explicou.

O filme é baseado em um roteiro que escreveu para um projeto com Michelangelo Antonioni. Mas a parceria não saiu do papel. Era um monólogo sobre o amor nos anos 80, o encontro com um velho amigo, a sua imagem misteriosa na água e as lembranças da infância.

No streaming, mas também no cinema

Na entrevista, o diretor ainda teve tempo para falar sobre a Netflix, que comprou os direitos do filme, mas respeitando as janelas de exibição. “Queriam que o filme fosse seu e ofereceram enormes quantias que o meu irmão recusou.”

Ao contrário de Alfonso Cuarón, que se rendeu com o aclamado “Roma”, que quase não passou pelo circuito de exibição, Almodóvar é um militante do poder dos cinemas.

“Estamos em pleno calor da batalha. É difícil saber o que vai a acontecer, mas eu quero que os filmes sejam vistos nos cinemas e que durem o que devem durar. Na minha opinião, a TV de casa é a segunda visão de um filme.”

Natalie Portman é astronauta com problemas psicológicos em ‘Lucy in the Sky’

Assista ao trailer do filme protagonizado pela atriz

Natalie Portman em cena do filme ‘Lucy in the Sky’ – Divulgação

Natalie Portman, 37, ganhadora do Oscar de melhor atriz por sua atuação em “Cisne Negro” (2010), agora tem um novo desafio: dar vida a uma astronauta que tem dificuldades para se readaptar ao cotidiano depois que volta de uma missão no espaço. O filme “Lucy in the Sky” teve o seu primeiro trailer divulgado nesta terça-feira (19). 

“Eu fui lá para cima e vi todo o universo. Tudo aqui embaixo parece tão pequeno”, diz Lucy Cola, personagem de Natalie. A trama é inspirada na história real da astronauta Lisa Novak, que enfrentou problemas psicológicos após uma missa espacial. Ainda não há previsão de quando o longa deve estrear.1

Na história, ao começar a perder o senso de realidade, Lucy Cola enfrenta problemas com o marido. Ela decide procurar o colega astronauta Mark Goodwin (Jon Hamm), e é aí que tudo fica ainda mais complicado. 

Parece, mas não é: startup Mycotech cria relógio feito com “couro” de cogumelo

Chamado de Pala X Mylea, modelo foi criado pela marca Mycotech em uma parceria com o relojoeiro Pala Nusantara

Parece, mas não é: startup cria relógio feito com “couro” de cogumelo (Foto: Reprodução)

Uma startup da Indonésia chamada Mycotech criou uma pequena coleção de relógios feitos de cogumelos. Com aparência semelhante ao couro da vaca, o objeto foi desenvolvido em parceria com o relojoeiro Pala Nusantara e ganhou o nome de Pala X Mylea.

O acessório foi criado com o biocouro batizado de Mylea – material desenvolvido pela marca a partir do micélio do cogumelo. A startup também abriu recentemente uma campanha de financiamento coletivo na internet para impulsionar a produção do item.

No anúncio, ela também mostra uma série de outros itens que podem ser feitos com o mesmo material, com carteira e agendas.

Segundo a descrição, o Mylea, ao contrário do couro normal, absorve corantes mais rapidamente, o que reduz os custos de produção. Nesse processo, são usados corantes naturais extraídos de folhas, raízes e resíduos alimentares, que criam tons exclusivos.

A marca também avisa que o Pala x Mylea ainda tem traços de couro sintético, mas eles pretendem melhorar a qualidade para desenvolvê-lo totalmente com cogumelos.

Leonardo DiCaprio revela pôster de ‘Once Upon a Time in Hollywood’

Filme de Quentin Tarantino, que estreia em julho, conta também com Brad Pitt no elenco

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt no primeiro pôster de ‘Once Upon a Time in Hollywood’. Foto: Instagram/@leonardodicaprio

O ator Leonardo DiCaprio revelou em suas redes sociais o pôster do próximo filme que protagonizará ao lado de Brad Pitt‘Once Upon a Time in Hollywood’.

“Hollywood. 1969”, escreveu ele na legenda ao compartilhar a imagem com seus seguidores do Twitter e do Instagram.

O longa-metragem, o nono do cineasta Quentin Tarantino, acompanha a vida dos dois personagens em 1969 por Los Angeles e pelo cenário de uma Hollywood em mudança.

No pôster, os dois aparecem sérios com a placa de Hollywood ao fundo. No elenco também aparecerão Al Pacino, Margot Robbie, Burt Reynolds, Damian Lewis, Emile HirschDakota Fanning.

“É uma história que acontece em Los Angeles em 1969, no apogeu da Hollywood hippie. Os dois protagonistas são Rick Dalton (DiCaprio), uma antiga estrela de westerns televisivos, e seu dublê Cliff Booth (Pitt). Os dois têm problemas para triunfar em uma Hollywood que já não reconhecem. Mas Rick tem uma vizinha muito famosa… Sharon Tate“, disse Tarantino em março do ano passado.