Sia – Move Your Body | Nika Kljun Choreography | DanceOn Class

Nesta DanceOn Class, Nika Kljun traz sua coreografia para “Move Your Body” de Sia!

Subscribe to DanceOn!►► http://bit.ly/DanceOnYT Subscribe to Nika Kljun!►► http://bit.ly/NikaKljunYT

Featured Dancers: Group 1: Nika Kljun, Jan Ravnik, Stasa Tusar / Group 2: Sean and Kaycee Group 3: Noelle Marsh / Group 4: Julian Ray, Sherrod Tate, Lucas Parada
Group 5: Hailee Payne, Carly Blaney, Paul Karmiryan, Kristina Koumaeva, Randi Strong Group 6: Kelly Sweeney, Vivien Lopez, Scarlette Palacios, Talisa Ravagnani

Anúncios

Histórico: 2018 traz a maior quantidade de negras nas capas de setembro

140818-setembro-naomi-vogue-paris
Naomi Campbell na “Vogue” Paris!

As edições de setembro de revistas de moda do exterior ganharam fama e até um documentário, o “The September Issue” de 2009, que trata da “Vogue” América e sua equipe, incluindo Anna Wintour e a então diretora de moda Grace Coddington. É que elas trazem os lançamentos de outono-inverno do ano e costumam ser recheadíssimas de conteúdo e anúncio. Quase 10 anos depois desse longa e muito tempo depois da existência das revistas de moda em si, 2018 é um ano histórico: o primeiro em que as “Vogues” América, UK e Paris, pra nomear apenas alguns títulos, trazem mulheres negras ao mesmo tempo em suas capas de setembro. Isso não deveria ser notícia mas ainda é – o número de capas de moda com negras ao redor do mundo é pequeno mas parece que a situação vem mudando…

Mas não é só: além de BeyoncéRihanna e Naomi Campbell, outras artistas e modelos negras estão em capas de outras revistas em setembro, ou das edições de outono-inverno 2018/19 no caso de publicações que não são mensais. Viva! Naomi, que foi a primeira negra a aparecer em uma capa da “Vogue” Paris há 30 anos, está na mesma revista agora (outros ícones estampam outras capas da mesma edição, como Kate Moss e Christy Turlington) e também em uma das capas da “Love Magazine” dividindo a cena com Adwoa Aboah, e na capa da “Essence“. Mais? Zendaya está na “Marie Claire” americanaTracee Ellis Ross está na “Elle” Canadá; “Porter” traz Lupita Nyong’oLaura Harrier está na “Flaunt“; Ruth Negga é a estrela da “Marie Claire” inglesaSlick Woods posa na capa da “Elle” UKTiffany Haddish é a capa da “Glamour” americana. Quem dá mais? Ah, e entre homens negros, tem Jaden Smith pra “Dazed“! Confira mais abaixo – e vamos torcer para que isso se torne uma prática!

Modelo britânico George Koh é condenado por assassinato de rival

Harry Uzoka foi morto em Londres em janeiro deste ano

0f10051df9788e93fae5a0ae7749cfbd.png
Harry Uzoka, George Koh e a modelo Ruby Campbell

Um modelo britânico foi condenado pelo assassinato de outro modelo, que era seu rival e fazia mais sucesso na indústria, depois de uma briga alimentada pelas redes sociais.

Na segunda, 13, o juri considerou George Koh culpado de esfaquear Harry Uzoka do lado de fora de sua casa, em Londres. A vítima tinha 25 anos, era contratado da agencia Premier Model Management e havia trabalhado para a revista GQ e para a Zara.

Promotores afirmaram que Uzoka acusava Koh de tentar o copiar e os dois homens brigaram após Koh dizer que ele dormiu com a namorada do rival. Em janeiro, Koh mandou uma mensagem a Uzoka o desafiando a uma briga.

Segundo o The Guardian, os homens estavam armados quando se encontraram, no dia 11 de janeiro. Enquanto Uzoka estava com uma barra de ferro, Koh levou dois amigos e apareceu com duas facas, uma em cada mão. Uzoka foi esfaqueado e morreu em frente a sua casa em Shepherd’s Bush, em Londres no dia 11 de janeiro.

Koh, 24, negou o assassinato, mas confirmou que no dia do crime estava carregando as facas para defesa pessoal. Os outros dois homens, Merse Dikanda e Jonathan Okigbo, também foram condenados. A sentença sairá no dia 21 de setembro. [AP]

Demi Lovato usou mesmo opioide que matou Prince, diz site TMZ

Cantora teria mandado mensagem para traficante ir até sua casa

Demi Lovato_2
Cantora Demi Lovato teve uma overdose na noite de 24 de julho 

A overdose sofrida por Demi Lovato, 25, pode ter sido causada pela mesma substância que matou o cantor Prince, diz o site americano TMZ. A cantora foi encontrada desmaiada em sua casa na noite do dia 24 de julho após uma festa.

Segundo a fonte da publicação, Demi estava em contato com o fornecedor da droga desde abril. Ela teria enviado uma mensagem ao traficante para que ele fosse até sua casa. Ainda segundo a publicação, ele teria levado para ela oxicodona, um opioide analgésico semelhante à morfina, que estaria misturado com fentanil, outro tipo de analgésico.

O TMZ afirma que o traficante costumava comprar drogas contaminadas no México. A droga levada para Demi é a mesma que causou a morte de Prince em abril de 2016, e do rapper Lil Peep, em novembro de 2017.

Ainda de acordo com o TMZ, o traficante teria fugido assim que notou que Demi estava com dificuldade de respirar. Desde o ocorrido, a cantora passou por uma clínica de reabilitação e foi encaminhada para um novo tratamento psiquiátrico em Chicago. Sua turnê na América do Sul foi cancelada.

Nas redes sociais, Demi quebrou o silêncio e falou sobre a dificuldade de lidar com o vício. A cantora disse que continuará lutando. “Tenho sido transparente sobre meu vício durante toda a minha jornada. O que eu venho aprendendo é que isso não é uma simples doença que desaparece com o tempo. É algo que eu preciso superar e ainda não consegui”, afirmou.

A jovem, que já tratava de distúrbios alimentares, bulimia, anorexia e automutilação, agradeceu à família e aos médicos que a atenderam no hospital. “Quero agradecer a Deus por me manter bem e sã e salva. Aos meus fãs, eu sou eternamente grata por todo o seu amor e apoio que eles têm dado ao longo de toda essa semana”, disse.

Demi sofre com o vício em álcool e drogas desde o início de sua carreira e já passou por internações para tratar problemas psicológicos e alimentares em 2010. Em março deste ano ela chegou a comemorar seis anos de sobriedade. Em sua última música, ‘Sober’, lançada em junho, no entanto, ela se desculpava por não estar sóbria.

Apple Pay libera serviço para clientes Bradesco e Banco do Brasil

Até então, só o banco Itaú estava disponível na plataforma; Banco do Brasil libera pagamentos na plataforma com cartão de débito em lojas físicas

um-celular-03150744646013.jpg
O Apple Pay é o serviço de pagamento móvel da Apple

O Apple Pay, serviço de pagamento móvel da fabricante do iPhone, agora suporta cartões de correntistas do Bradesco e do Banco do Brasil. A notícia foi anunciada pela Apple nesta terça-feira, 14. Quando a plataforma foi anunciada no Brasil, em abril deste ano, o serviço estava liberado apenas para usuários de cartão de crédito emitido pelo banco Itaú — a exclusividade valia pelos primeiros 90 dias da plataforma no País.

O Apple Pay permite que os usuários paguem compras em lojas físicas e também pela internet por meio do iPhone, o relógio inteligente Apple Watch e outros produtos dispositivos da empresa. Por enquanto somente a bandeira Visa pode ser usada para clientes Bradesco e Banco do Brasil, o Itaú já suporta outras bandeiras.

Outra novidade é a adoção de novas opções de pagamento: até então, a tecnologia funcionava apenas para cartões de crédito. Segundo a assessoria de imprensa do Banco do Brasil, os seus correntistas já estão liberados a fazer pagamentos com cartões de débito em lojas físicas. O banco pretende liberar outras bandeiras em breve.

Saiba como se hospedar nos estúdios originais da Bauhaus

Uma noite no edifício icônico custa a partir de R$ 178
Por Gabrielle Chimello I Fotos: Yvone Tenschert

2c27a3f5dd0a83334acaa1da2540d53fBauhaus, escola de design, artes plásticas e arquitetura de vanguarda mais influente do século XX, funcionou entre os anos de 1919 e 1933 e foi uma das mais importantes precursoras do movimento modernista. O prédio que marcou essa era e que recebeu figuras renomadas em seus estúdios agora pode ser alugado pelos amantes da arquitetura.

A escola deixou profundas marcas na história do design e recebeu grandes designers, dentre eles: Josef Albers, Erich Consemüller, Herbert Bayer, Franz Ehrlich, Walter Peterhans, Hannes Meyer, Joost Schmidt, Marcel Breuer e Gertrud Arndt, Marianne Brandt, Gunta Stölzl e Anni Albers. Estes viveram e trabalharam nos 28 estúdios de 20 m² que foram reformados em 2006 e estão abertos para uma nova experiência em Weimar, Alemanha.

Tudo, desde a planta baixa e os materiais até as réplicas do mobiliário original, foi restaurado ao seu estado original nos mínimos detalhes, trazendo de volta à vida o edifício concluído em 1926. Toda essa experiência incrível está disponível a partir de R$ 178.

As reservas e informações extras podem ser encontradas diretamente no site da escola Bauhaus Dessau.