SEJA MEMBRO DO UFW – 20 REAIS/ANO

UFW – O Universomovie Forward traz um olhar diferente sobre moda, beleza, cultura, lifestyle, tech, arquitetura, design, advertising.

Seja membro

R$ 20,00

Ganhe benefícios exclusivos ao se tornar membro do UFW.

Seja membro do UFW pelo valor de R$20,00/ano (após o pagamento, envie um zap para (11) 96190-5729 e receba seu código de acesso. Atualizações diárias exclusivas, inclusive aos finais de semana e feriados, além de garantia de participação em sorteios no site e muito mais…..

OUTRAS FORMAS DE PAGAMENTO:

Banco NUBANK AG 0001 CONTA 29496942-1 (Renato Cezario)
PIX renatocscezario@gmail.com


Earn exclusive benefits by becoming a UFW member.

Be a UFW member for R $ 20.00 / year (after payment, send a zap to (11) 96190-5729 and receive your access code. Exclusive daily updates, including weekends and holidays, in addition to guarantee of participation in sweepstakes on the website and much more… ..

OTHER PAYMENT METHODS:

Bank NUBANK AG 0001 ACCOUNT 29496942-1 (Renato Cezario)
PIX renatocscezario@gmail.com

‘Dedico essa história a sobreviventes de abuso sexual’, diz Michaela Coel no Emmy 2021

Britânica que estrela ‘I may destroy you’ venceu a categoria de melhor roteiro de minissérie

Michaela Coel Foto: Getty Images

A britânica Michaela Coel, que criou e protagonizou a minissérie “I may destroy you“, da HBO, dedicou o Emmy 2021 de melhor roteiro de minissérie a sobreviventes de abuso sexual. A obra é uma produção de 2020 que discute consentimento sexual na contemporaneidade a partir de um abuso sofrido por Arabella, a personagem de Michaela. A história é baseada na experiência da própria atriz, criadora da série.

“Escreva a história que te assusta, que te faz se sentir inseguro, que não é confortável. Eu te desafio. Em um mundo que nos seduz a navegar pela vida de outras pessoas para nos ajudar a determinar melhor como nos sentimos sobre nós mesmos e, por sua vez, sentir a necessidade de estarmos constantemente visíveis – pois a visibilidade hoje em dia parece de alguma forma equivaler ao sucesso -não tenha medo de desaparecer dela, de nós, por um tempo e ver o que vem para você no silêncio”, disse ela. “Dedico essa história a sobreviventes de abuso sexual”.

No Bafta, em junho, ela dedicou o prêmio de melhor atriz de TV à coordenadora de intimidade Ita O’Brien. Desde as denúncias de assédio que explodiram com o movimento #MeToo, a presença desse tipo de profissional tem sido constante em filmagens de cenas de nudez e sexo. A função deles é zelar pelo bem-estar dos atores e evitar constrangimentos e abusos.

“Quero dedicar este prêmio a coordenadora de intimidade Ita O’Brien. Obrigado por sua existência na nossa indústria, por tornar o espaço seguro físico, emocional e profissionalmente para que a gente faça um trabalho sobre exploração, perda de respeito e abuso de poder sem ser explorada e abusada no processo”, disse Michaela. “Eu sei como é filmar sem um coordenador de intimidade – a bagunça e a vergonha para a equipe e devastação interna para a atriz. A sua direção foi essencial para a minha série, e acredito que seja essencial para toda produtora que queira trabalhar com temas de consentimento”.

Emmy 2021 coroa ‘The Crown’, ‘Ted Lasso’ e ‘O gambito da rainha’; veja a lista de vencedores

Prêmio da TV americana teve uma cerimônia morna e com poucas surpresas

Olivia Colman com seu Emmy de melhor atriz em série de drama por ‘The crown’ Foto: PETER NICHOLLS / REUTERS

Após se destacar pela criatividade no ano passado, o Emmy em 2021 voltou ao formato tradicional, com público presente, ainda que com algumas adaptações à pandemia —  a premiação foi realizada com restrição de convidados. E não soube manter o espírito inovador e ágil da última temporada, tendo realizado uma festa, no mínimo, morna. Em Los Angeles, quem comandou a principal noite da TV americana foi o comediante Cedric The Entertainer, estrela da série “The neighborhood”.

Foi, também, uma cerimônia de poucas surpresas. A principal teve a vitória de “O gambito da rainha” no prêmio mais disputado, o de melhor minissérie. A trama da Netflix sobre xadrez bateu outras produções incensadas, como “I may destroy you” e “Mare of Easttown”, o que gerou comentários frustrados nas redes sociais.

Somando as estatuetas técnicas com estas anunciadas neste domingo, “O gambito da rainha” e “The crown” empataram com 11 Emmys vencidos, enquanto “Ted Lasso” ficou com sete e “Mare of Easttown”, com quatro.

“The crown” fez valer o favoritismo entre as produções dramáticas, ganhando todas as principais estatuetas do segmento — melhor série, atriz (Olivia Colman), ator (Josh O’Connor), roteiro (Peter Morgan), direção (Jessica Hobbs), atriz (Gillian Anderson) e ator coadjuvantes (Tobias Menzies). A produção da Netflix levou sete estatuetas só neste domingo.

Kate Winslet com o prêmio de melhor atriz de minissérie por "Mare Of Easttown" Foto: MARIO ANZUONI / REUTERS
Kate Winslet com o prêmio de melhor atriz de minissérie por “Mare Of Easttown” Foto: MARIO ANZUONI / REUTERS

As reações nas redes sociais foram positivas para “Ted Lasso”, que dominou o segmento de comédia e começou a noite com tudo. As duas primeiras estatuetas foram entregues à produção da Apple TV+: melhor atriz (para Hannah Waddingham) e melhor ator coadjuvante em série de comédia (Brett Goldstein). O domínio não foi completo porque, depois, “Hacks” mostrou sua força, ficando com o prêmio de roteiro, direção (Lucia Aniello) e melhor atriz, para Jean Smart. Mas o astro de “Ted Lasso” Jason Sudeikis retomou as rédeas com o Emmy de melhor ator. E, no fim, a série ficou com sete Emmys e foi coroada como a melhor de comédia na temporada.

De volta às minisséries, “Mare of Easttown” dominou as categorias de atuação, com Kate Winslet ganhando o Emmy de melhor atriz, e Julianne Nicholson e Evan Peters os de atriz e ator coadjuvantes, respectivamente. Melhor ator, Ewan McGregor levou o único prêmio de “Halston”. Já Michaela Coel ficou com o Emmy de roteiro por “I may destroy you”, enquanto Scott Frank, de “O gambito da rainha”, levou o de direção.

A equipe de "O gambito da rainha", melhor minissérie Foto: Rich Fury / AFP
A equipe de “O gambito da rainha”, melhor minissérie Foto: Rich Fury / AFP

Na semana passada, o Emmy entregou os troféus técnicos, que foram dominados pela minissérie “O gambito da rainha”, com sete estatuetas — seguida por “Pose” e “Saturday night live”, com três cada.

Recorde negativo

Uma das surpresas deste ano foi o fato de “The Handmaid’s Tale”, da Hulu, ter tido 21 indicações (entre categorias técnicas e principais) e não ter levado nenhum prêmio. Só “The Crown”, “The Mandalorian” (com 24 indicações cada) e “Wandavision” (com 23) tiveram mais que a série distópica estrelada por Elizabeth Moss. Em 2017, a produção foi consagrada como a melhor de drama. Em 2018 e 2020, recebeu indicações nessa categoria, mas não levou a estatueta.PUBLICIDADE

Representatividade?

Apesar de ter celebrado um percentual de 44% de atores não brancos entre os indicados, o fato é que o Emmy 2021 voltou a ser alvo de polêmica por conta da falta de representatividade entre os premiados. Todas as 12 estatuetas entregues para ator — entre principais e coadjuvantes, seja em comédia, drama ou minissérie — foram para artistas brancos.

Os vencedores do Emmy 2021 (em negrito)

Melhor minissérie

  • “I may destroy you”
  • “Mare of Easttown”
  • “O gambito da rainha”
  • “The underground railroad”
  • “WandaVision”

Melhor série de drama

  • “The boys”
  • “Bridgerton”
  • “The crown”
  • “The handmaid’s tale”
  • “Lovecraft Country”
  • “The Mandalorian”
  • “Pose”
  • “This is us”

Melhor série de comédia

  • “Black-ish”
  • “Cobra Kai”
  • “Emily em Paris”
  • “Hacks”
  • “The flight attendant”
  • “O método Kominsky”
  • “Pen15”
  • “Ted Lasso”

Melhor atriz em série dramática

  • Uzo Aduba, “In treatment”
  • Olivia Colman, “The crown”
  • Emma Corrin, “The crown”
  • Elisabeth Moss, “The handmaid’s tale”
  • Mj Rodríguez, “Pose”
  • Jurnee Smollett, “Lovecraft Country”

Melhor ator em série dramática

  • Sterling K. Brown, “This is us”
  • Jonathan Majors, “Lovecraft Country”
  • Josh O’Connor, “The crown”
  • Regé-Jean Page, “Bridgerton”
  • Billy Porter, “Pose”
  • Matthew Rhys, “Perry Mason”

Melhor atriz em série de comédia

  • Aidy Bryant, “Shrill”
  • Kaley Cuoco, “The flight attendant”
  • Allison Janney, “Mom”
  • Tracee Elis-Ross, “Black-ish”
  • Jean Smart, “Hacks”

Melhor ator em série de comédia

  • Anthony Anderson, “Black-ish”
  • Michael Douglas, “O método Kominsky”
  • William H. Macy, “Shameless”
  • Jason Sudeikis, “Ted Lasso”
  • Kenan Thompson, “Kenan”

Melhor atriz em minissérie ou filme para TV

  • Michaela Coel, “I may destroy you”
  • Cynthia Erivo, “Genius: Aretha”
  • Elizabeth Olsen, “WandaVision”
  • Kate Winslet, “Mare of Easttown”
  • Anya Taylor-Joy, “O gambito da rainha”

Melhor ator em minissérie ou filme para TV

  • Paul Bettany, “WandaVision”
  • Hugh Grant, “The undoing”
  • Ewan McGregor, “Halston”
  • Lin-Manuel Miranda, “Hamilton”
  • Leslie Odom Jr., “Hamilton”

Melhor atriz coadjuvante em série dramática

  • Gillian Anderson, “The crown”
  • Helena Bonham Carter, “The crown”
  • Ann Dowd, “The handmaid’s tale”
  • Emerald Fennell, “The crown”
  • Madeline Brewer, “The handmaid’s tale”
  • Aunjanue Ellis, “Lovecraft Country”
  • Yvonne Strahovski, “The handmaid’s tale”
  • Samira Wiley, “The handmaid’s tale”

Melhor ator coadjuvante em série dramática

  • Giancarlo Esposito, “The Mandalorian”
  • O-T Fagbenle, “The handmaid’s tale”
  • John Lithgow, “Perry Mason”
  • Tobias Menzies, “The crown”
  • Max Minghella, “The handmaid’s tale”
  • Chris Sullivan, “This is us”
  • Bradley Whitford, “The handmaid’s tale”
  • Michael K. Williams, “Lovecraft Country”

Melhor atriz coadjuvante em série de comédia

  • Aidy Bryant, “Saturday Night Live”
  • Hannah Einbinder, “Hacks”
  • Kate McKinnon “Saturday Night Live”
  • Rosie Perez, “The flight attendant”
  • Cecily Strong, “Saturday Night Live”
  • Juno Temple, “Ted Lasso”
  • Hannah Waddingham, “Ted Lasso”

Melhor ator coadjuvante em série de comédia

  • Brett Goldstein, “Ted Lasso”
  • Brendan Hunting, “Ted Lasso”
  • Nick Mohammed, “Ted Lasso”
  • Paul Reiser, “O método Kominsky”
  • Kenan Thompson, “Kenan”
  • Bowen Yang, “Saturday Night Live”
  • Carl Clemons-Hopkins, “Hacks”

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV

  • Renée Goldsberry, “Hamilton”
  • Kathryn Hahn, “WandaVision”
  • Moses Ingram, “O gambito da rainha”
  • Julianne Nicholson, “Mare of Easttown”
  • Jean Smart, “Mare of Easttown”
  • Phillipa Soo, “Hamilton”

Melhor ator coadjuvante em série limitada ou filme para TV

  • Thomas Sangster, “O gambito da rainha”
  • Daveed Diggs, “Hamilton”
  • Paapa Essiedu, “I may destroy you”
  • Jonathan Groff, “Hamilton”
  • Evan Peters, “Mare of Easttown”
  • Anthony Ramos, “Hamilton”

Melhor roteiro em série de drama

  • Rebecca Sonnenshine, “The boys”
  • Peter Morgan, “The crown”
  • Yahlin Chang, “The Handmaid’s Tale”
  • Misha Green, “Lovecraft Country”
  • Dave Filoni, “The Mandalorian”
  • Jon Favreau, “The Mandalorian”
  • Ryan Murphy, Brad Falchuk, Steven Canals, Janet Mock e Our Lady J, “Pose”

Melhor direção em série de drama

  • Julie Anne Robinson, “Bridgerton”
  • Benjamin Caron, “The crown”
  • Jessica Hobbs, “The crown”
  • Liz Garbus, “The Handmaid’s Tale”
  • Jon Favreau, “The Mandalorian”
  • Steven Canals, “Pose”

Melhor roteiro em série de comédia

  • Steve Yockey, “The Flight Attendant”
  • Meredith Scardino, “Girls5eva”
  • Lucia Aniello, Paul W. Downs, Jen Statsky, “Hacks”
  • Maya Erskine, “Pen15”
  • Jason Sudeikis, Brendan Hunt e Joe Kelly, “Ted Lasso” (episódio “Make Rebecca Great Again”)
  • Jason Sudeikis, Bill Lawrence, Brendan Hunt e Joe Kelly, “Ted Lasso” (episódio Piloto)

Melhor direção em série de comédia

  • James Burrows, “B Positive”
  • Susanna Fogel, “The Flight Attendant”
  • Lucia Aniello, “Hacks”
  • James Widdoes, “Mom”
  • Zach Braff, “Ted Lasso”
  • MJ Delaney, “Ted Lasso”
  • Declan Lowney, “Ted Lasso”

Melhor direção em minissérie ou filme para TVPUBLICIDADE

  • Thomas Kail, “Hamilton”
  • Michaela Coel, “I may destroy you”
  • Sam Miller, “I may destroy you”
  • Craig Zobel, “Mare of Easttown”
  • Scott Frank, “O gambito da rainha”
  • Barry Jenkins, “The Underground Railroad”
  • Matt Shakman, “WandaVision”

Melhor roteiro em minissérie ou filme para TV

  • Michaela Coel, “I may destroy you”
  • Brad Ingelsby, “Mare of Easttown”
  • Scott Frank, “O gambito da rainha”
  • Chuck Hayward e Peter Cameron, “WandaVision”
  • Jac Schaeffer, “WandaVision”
  • Laura Donney, “WandaVision”

Melhor roteiro em série de variedades

  • “The Amber Ruffin Show”
  • “A Black Lady Sketch Show”
  • “Last Week Tonight With John Oliver”
  • “The Late Show With Stephen Colbert”
  • “Saturday Night Live”

Melhor talk show

  • “Conan”
  • “The Daily Show with Trevor Noah”
  • “Jimmy Kimmel Live!”
  • “Last Week Tonight with John Oliver”
  • “The Late Show with Stephen Colbert”

Melhor reality show de competição

  • “The amazing race”
  • “Nailed it!”
  • “RuPaul’s drag race”
  • “Top chef”
  • “The voice”

Melhor especial de variedades pré-gravado

  • “Bo Burnham: Inside”
  • “David Byrne’s American Utopia”
  • “8:46 – Dave Chappelle”
  • “Friends: The Reunion”
  • “Hamilton”
  • “A West Wing Special To Benefit When We All Vote”

Emmy Awards 2021: Cabelos crespos, ondulados e naturais presentes no red carpet

Atrizes negras apostam em cabelos naturais para o Emmy Awards 2021

LOS ANGELES, CALIFORNIA – SEPTEMBER 19: Tracee Ellis Ross attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Foto: Rich Fury/Getty Images) 

No red carpet do Emmy Awards, as atrizes apostaram em looks incríveis, sem dúvida, mas os penteados também tomaram os holofotes da premiaçãoTracee Ellis Ross e Taraji P. Henson são exemplos de que o cabelo crespo e natural também é uma aposta valiosa para noites de gala. Abaixo, veja as celebridades que optaram por um hair mais natural. 

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Misha Green attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Misha Green (Foto: Getty Images)

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Angela Bassett attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Angela Bassett (Foto: Getty Images)

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Lauren Ashley Smith attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Lauren Ashley Smith (Foto: Getty Images)

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Taraji P. Henson attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Taraji P. Henson (Foto: Getty Images)

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Samira Wiley attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Samira Wiley (Foto: Getty Images)

.

LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Amber Ruffin attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
Amber Ruffin (Foto: Getty Images)
LOS ANGELES, CALIFORNIA - SEPTEMBER 19: Michaela Jaé Rodriguez attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)
LOS ANGELES, CALIFORNIA – SEPTEMBER 19: Michaela Jaé Rodriguez attends the 73rd Primetime Emmy Awards at L.A. LIVE on September 19, 2021 in Los Angeles, California. (Photo by Rich Fury/Getty Images) (Foto: Getty Images)

Michaela Coel se torna primeira mulher negra premiada com Emmy de Melhor Roteiro pela série da HBO, I May Destroy You

Atriz dedicou o prêmio às vítimas de abuso sexual

Michaela Coel (Foto: CBS via Getty Images)

“Eu dedico essa história a cada sobrevivente de abuso sexual”. Foi com essas palavras que a atriz britânica Michaela Coel recebeu o prêmio de Melhor Roteiro, pela série da HBO, I May Destroy You, na noite do último domingo, 19.09, na 73ª edição do Emmy Awards. A atriz se tornou a primeira mulher negra vencedora nesta categoria.

Ao todo, a série criada e protagonizada por Michaela concorreria a 9 categorias, como Melhor Atriz em Série Limitada e Direção. 

“I May Destroy You” conta a história da escritora Arabella, uma jovem mulher negra que precisa lidar com os altos e baixos de seu processo criativo enquanto revive o trauma de um abuso sexual. A história baseia-se parcialmente em vivências pessoais de Michaela.

A 73ª edição do Emmy Awards celebrou as produções da TV norte-americana, como séries e filmes para a TV. Nomes como Emma Corrin, Olivia Coliman, Michaela Cel, Anya Taylor-Joy e Kate Winslet estiveram entre as principais apostas da noite. Vale lembrar que das 48 indicadas, 14 delas eram 50+.

Emmys 2021: amarelo solar e cores cítricas são tendências no tapete vermelho

A paleta foi escolha de atrizes como Michaela Coel, Anya-Taylor Joy, Kaley Cuoco e Paulina Alexis para brilhar no red carpet

Michaela Coel em Christopher John Rogers Foto: Getty Images

O Emmy Awards, conhecido como “Oscar da televisão”, está de volta. Após ser apresentado remotamente em 2020, a 73ª edição do evento acontece na noite deste domingo (19), em Los Angeles, e será comandado pelo escritor e comediante Cedric The Entertainer. No tapete vermelho, o amarelo solar e as cores cítricas marcaram presença nos looks das celebridades. A paleta foi escolha de atrizes como Michaela Coel, Anya-Taylor Joy, Kaley Cuoco e Paulina Alexis para brilhar no red carpet. Confira as tendências abaixo:

Anya-Taylor Joy em Dior

Anya Taylor-Joy Foto: Matheus Krüger
Anya Taylor-Joy Foto: Matheus Krüger

Yara Shahidi em Dior

Yara Shahidi Foto: Getty Images
Yara Shahidi Foto: Getty Images

Moses Ingram

Moses Ingram Foto: Getty Images
Moses Ingram Foto: Getty Images

Kaley Cuoco em Vera Wang

Kaley Cuoco Foto: Getty Images
Kaley Cuoco Foto: Getty Images

Paulina Alexis em Naeem Khan

Paulina Alexis Foto: Rich Fury / Getty Images

Puzzle | Spring Summer 2022 | Highlights

Puzzle | Spring Summer 2022 | Highlights in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Mercedes-Benz Fashion Week Madrid/IFEMA)

Can You Hear

Nikola at Ivet Fashion Model and Samuil Velev at Inter Models shot by Margarita Tentyukova and styled by Nia Topalova, in exclusive for Fucking Young! Online.

Art-Direction: Margarita Tentyukova @maarrgaritte
Make-up: Samuil Velev @vsamuil
BRANDS: Nia Topalova @niya.ktt, Seletas Vintage Store @seletas_ Neva, Balnikova @nevabalnikova

Bilheteria EUA: Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis, Free Guy, Cry Macho: O Caminho Para Redenção, A Lenda de Candyman, Maligno

Shang-Chi lidera bilheteria norte-americana pela 3ª semana seguida

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

Marvel Studios já pode pedir música depois de ficar na liderança da bilheteria dos Estados Unidos pela terceira semana seguida com Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis (e sem dar sinais de desacelerar tão cedo). O filme do Mestre do Kung-Fu deve fazer cerca de US$21 milhões entre sexta (17) e domingo (19), ficando bem à frente do que deve arrecadar o segundo colocado do ranking, Free Guy: Assumindo o Controle. A comédia de ação com Ryan Reynolds tem estimativa de US$5,2 milhões, no mesmo período.

Uma das estreias da semana, Cry Macho: O Caminho Para Redenção, de Clint Eastwood, aparece no terceiro lugar, com US$4.5 milhões. Em quarto, A Lenda de Candyman segue fazendo bonito em sua quarta semana em cartaz, com US$3.5 milhões, enquanto o novo horror de James Wan, Maligno, fecha o Top 5 com US$2.6 milhões.

Emmy: ‘The Crown’ e ‘The Mandalorian’ lideram indicações ao prêmio em 2021

Netflix pode bater recorde na cerimônia deste ano, que terá a presença de 500 convidados em auditório aberto como precaução contra a covid-19
Andrew Marszal, AFP

Josh O’Connor e Emma Corrin em cena de ‘The Crown’ Foto: Des Willie/Netflix/Divulgação

Netflix parece muito perto de concretizar o sonho de vencer o maior prêmio da televisão: neste domingo, 19, The Crown é a favorita de muitos para vencer na categoria série dramática do Emmy, mas terá de superar outra produção adorada pelo público, The Mandalorian. A cerimônia começa às 21h (Brasília) e será transmitida ao vivo pelo canal pago TNT.

Apesar de ter revolucionado o mundo da TV desde seu lançamento em 2007, a Netflix, líder do streaming, nunca venceu um Emmy nas categorias de melhor drama, comédia ou minissérie.

“Com The Crown parece que finalmente chegou a hora. Será a primeira grande vitória de uma série para a Netflix”, declarou à AFP Clayton Davis, editor de prêmios da revista Variety.

Além do drama da família real britânica, que em sua quarta temporada retrata o difícil casamento da princesa Diana e do príncipe Charles, a gigante do streaming também tem grandes chances de vitória com a popular The Queen’s Gambit (O Gambito da Rainha).

Com atriz norte-americana Anya Taylor-Joy no papel de uma jovem prodígio do xadrez que enfrenta várias dificuldades, a produção provocou o aumento nas vendas de tabuleiros de xadrez no mundo e é considerada a favorita para levar o prêmio de melhor minissérie.

Se triunfar com outras indicadas, como a série de época Bridgerton e o documentário sobre a natureza David Attenborough – A Life on Our Planet, além de outros 34 prêmios Emmy que já faturou em categorias técnicas anunciadas antes da cerimônia, a Netflix pode bater um recorde. 

“O que estamos vendo é a Netflix finalmente conseguindo. Eles sempre foram bem com as indicações, mas nunca nas categorias principais”, afirmou o colunista do Deadline Pete Hammond. “Isso é um ponto de mudança para eles.

Se alguém pode estragar a festa é a Disney+, que, com apenas dois anos no mundo do streaming, trouxe para a disputa personagens amados dos universos de Star Wars e dos filmes da Marvel.

Baby Yoda e companheiros ajudaram The Mandalorian a igualar o número de indicações de The Crown.

Outra que chega com muita força na categoria drama é a série Pose, protagonizada por Billy Porter e que retrata a cena cultural LGBT+ de Nova York nos anos 1980. A série organizou uma grande campanha para o Emmy em sua temporada final. 

Entre as séries de comédia, a grande favorita é o fenômeno Ted Lasso, da Apple TV+, incluindo Jason Sudeikis como melhor ator por seu papel de técnico de futebol americano que assume o comando de uma equipe de futebol na Inglaterra. Entre as minisséries, WandaVision, também da Disney+, superou as expectativas da crítica. 

Nesta categoria, a HBO também marca presença e tem chances de vitória com Mare of Easttown, protagonizada por Kate Winslet, e com a produção britânica I May Destroy You.

Ao contrário da cerimônia do ano passado, que aconteceu antes das vacinas contra a covid-19 e foi praticamente virtual, desta vez a premiação terá a presença de 500 convidados em um auditório aberto, com uma série de precauções para evitar a propagação do coronavírus.

apresentador da festa será o comediante Cedric the Entertainer.

Mas com a variante delta ainda dificultando as viagens, alguns indicados de outros países, incluindo o elenco de The Crown, devem participar da premiação de maneira remota de Londres.

Principais indicados

Melhor série dramática

The Boys (Prime Video)

Bridgerton (Netflix)

The Crown (Netflix)

The Handmaid’s Tale (Hulu)

Lovecraft Country (HBO)

The Mandalorian (Disney+)

Pose (FX Networks)

This Is Us (NBC)

Melhor comédia

Black-ish (ABC)

Cobra Kai (Netflix)

Emily em Paris (Netflix)

Hacks (HBO Max)

The Flight Attendant (HBO Max)

O Método Kominsky (Netflix)

PEN15 (Hulu)

Ted Lasso (Apple TV+)

Melhor minissérie

I May Destroy You (HBO)

Mare of Easttown (HBO)

O Gambito da Rainha (Netflix)

The Underground Railroad (Prime)

WandaVision (Disney+